JCR: 0,712; SJR: 0,339; H Index Scopus: 29; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V26

Artigos Originais

Consumo/dependência de álcool e resiliência na pessoa idosa com hipertensão arterial sistêmica

Alcohol consumption/dependence and resilience in older adults with high blood pressure

Aline Alves dos Santos Dullius, Silvana Maria Coelho Leite Fava, Patrícia Mônica Ribeiro, Fábio de Souza Terra

Objetivo: avaliar o consumo/dependência de álcool e a resiliência na pessoa idosa com hipertensão arterial sistêmica e analisar os fatores associados a essas variáveis. Método: estudo descritivo-analítico, transversal, quantitativo, desenvolvido com 300 idosos com hipertensão arterial sistêmica das Estratégias Saúde da Família em um município de Minas Gerais. Foram utilizados o questionário semiestruturado, a escala Alcohol Use Disorder Identification Test e a Escala de Resiliência. Para análise dos dados, utilizaram-se os testes Qui-quadrado de Person, Exato de Fisher, Alfa de Cronbach, odds ratio e regressão logística. Resultados: 89,3% dos entrevistados fazem uso de baixo risco de bebidas alcóolicas. As variáveis sexo, faixa etária, tabagismo e tempo de doença apresentaram associação significativa com o consumo/dependência de álcool. Constatou-se que 36,7% das pessoas apresentaram resiliência baixa. As variáveis renda familiar mensal e própria, escolaridade, atividade física e de lazer apresentaram associação com a resiliência. Não houve associação estatisticamente significativa entre o consumo/dependência de álcool e a resiliência. Conclusão: o consumo de álcool e a resiliência podem interferir na saúde física e mental das pessoas idosas com hipertensão arterial sistêmica.

Síndrome de Burnout e o trabalho em turnos na equipe de enfermagem

Burnout Syndrome and shift work among the nursing staff

Viviane Vidotti, Renata Perfeito Ribeiro, Maria José Quina Galdino, Julia Trevisan Martins

Objetivo: analisar os fatores associados à síndrome de Burnout, segundo o turno de trabalho da equipe de enfermagem. Método: estudo transversal, desenvolvido com uma amostra representativa de 502 trabalhadores de enfermagem de uma instituição hospitalar filantrópica. Os dados foram coletados por meio de um instrumento de caracterização, o Maslach Burnout Inventory-Human Service Survey e o Demand-Control-Support Questionnaire. Analisaram-se os dados por estatística descritiva e regressão logística binária múltipla. Resultados: os níveis da síndrome de Burnout foram significativamente maiores entre os trabalhadores de enfermagem do turno diurno. Entre os participantes que trabalhavam no período diurno, os fatores associados às dimensões da síndrome de Burnout foram: alta demanda, baixo controle, baixo apoio social, insatisfação com o sono e recursos financeiros, ser enfermeiro e, ainda, sedentarismo. Já no noturno, baixo apoio social, insatisfação com o sono e lazer, ter filhos, não ter religião, menor tempo de trabalho na instituição e ser auxiliar e técnico de enfermagem aumentaram significativamente as chances de altos níveis da síndrome. Conclusão: os fatores psicossociais e do contexto laboral, sobretudo o baixo apoio social, tiveram associação com as dimensões da síndrome entre os profissionais de enfermagem de ambos os turnos.

Adaptação cultural do “DISABKIDS” para medir a qualidade de vida em crianças colombianas com doença crônica

Cross-cultural validation of the “DISABKIDS” questionnaire for quality of life among Colombian children with chronic diseases

Nadia Carolina Reina Gamba, Miguel Richart Martinez, Julio Cabrero García

Objetivo: descrever o processo de adaptação cultural do questionário “DISABKIDS” para a Colômbia, na versão para crianças e adolescentes e na versão para pais; ferramenta que tem como finalidade medir a qualidade de vida relacionada com a saúde em crianças e adolescentes colombianos com doença crônica. Método: processo de adaptação cultural, seguindo a metodologia sistemática consensual internacional, denominada validação linguística padronizada, para garantir uma equivalência linguística com o questionário original. Resultados: as entrevistas cognitivas do pré-teste mostraram a necessidade de fazer um ajuste geral no questionário que consistiu em perguntar pela “condição de saúde” e não somente utilizar a palavra “condição”. Devido ao contexto cultural, a palavra “condição”, que figura na versão original, relaciona-se com condições sócio-econômicas e não com a saúde; realizaram-se ajustes aos 11 itens da versão de crianças e a 8 itens da versão dos pais. Conclusões: a versão colombiana do DISABKIDS-37 para medir qualidade de vida relacionada com a saúde em crianças e adolescentes com doença crônica tanto na versão para crianças como na versão para pais é equivalente à versão original e é apropriada para ser utilizada na Colômbia. Futuros estudos poderão avaliar suas propriedades psicométricas.

Sífilis na gestação: associação das características maternas e perinatais em região do sul do Brasil

Syphilis in during pregnancy: association of maternal and perinatal characteristics in a region of southern Brazil

Camila Padovani, Rosana Rosseto de Oliveira, Sandra Marisa Pelloso

Objetivo: Analisar a prevalência de sífilis na gestação e sua associação com características socioeconômicas, histórico reprodutivo, assistência no pré-natal e no parto e características do recém-nascido. Método: Estudo retrospectivo, transversal, realizado a partir das notificações de sífilis gestacional e sífilis congênita. Realizou-se linkage dos bancos de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos e Sistema de Informação sobre Mortalidade. Resultados: A prevalência da sífilis gestacional foi de 0,57%. Foram encontradas as seguintes associações à sífilis na gestação: raça/cor não branca (RP=4,6; IC=3,62-5,76); baixa escolaridade (RP=15,4; IC=12,60-18,86); e ausência do pré-natal (RP=7,4; IC=3,68-14,9). Os desfechos perinatais associados à sífilis gestacional foram prematuridade (RP=1,6 IC=1,17-2,21) e baixo peso ao nascer (RP=1,6; IC=1,14-2,28). Notificaram-se dois óbitos por sífilis congênita, um óbito por outra causa e cinco natimortos. Conclusão: Os resultados apontam que há um longo caminho para o alcance da meta da Organização Mundial da Saúde de erradicação da sífilis congênita.

Atitudes para a colaboração interprofissional de equipes da Atenção Primária participantes do Programa Mais Médicos

Attitudes towards interprofessional collaboration of Primary Care teams participating in the ‘More Doctors’ (Mais Médicos) program

José Rodrigues Freire Filho, Marcelo Viana da Costa, Carinne Magnago, Aldaísa Cassanho Forster

Objetivos: comparar atitudes em relação à colaboração interprofissional de profissionais de saúde componentes de equipes da Estratégia Saúde da Família, participantes do Programa Mais Médicos, bem como identificar fatores associados a atitudes de colaboração interprofissional. Método: estudo descritivo, transversal e comparativo, desenvolvido com 63 profissionais de saúde que responderam à Escala Jefferson de Atitudes Relacionadas à Colaboração Interprofissional. Os dados foram analisados estatisticamente. Resultados: o somatório dos itens da escala variou de 88 a 139 pontos. A análise do conjunto das equipes de Saúde da Família indicou diferenças estatísticas significantes entre os escores da escala e a categoria profissional e entre os escores e a escolaridade, sugerindo que os enfermeiros e os profissionais com nível superior são mais inclinados para a prática colaborativa. A análise segundo o perfil do médico - brasileiro, intercambista ou cubano - não determinou diferenças estatísticas nos escores dos médicos, tampouco nos escores dos componentes das equipes de diferentes perfis. Conclusão: o perfil não sugeriu maior ou menor inclinação, com significância estatística, dos médicos ou das equipes para o trabalho interprofissional. Este estudo pode constituir subsídio para novas investigações que contribuam para análise sobre a colaboração interprofissional e o impacto do Programa Mais Médicos.

Segurança do paciente na assistência de enfermagem durante a administração de medicamentos

Patient safety in nursing care during medication administration

Júlian Katrin Albuquerque de Oliveira, Eliana Ofélia Llapa-Rodriguez, Iza Maria Fraga Lobo, Luciana de Santana Lôbo Silva, Simone de Godoy, Gilvan Gomes da Silva

Objetivo: avaliar a conformidade da prática assistencial da equipe de enfermagem durante a administração de medicamentos por cateter vascular central. Método: estudo descritivo, prospectivo, observacional, realizado em Unidade de Terapia Intensiva. A amostra não probabilística, do tipo intencional, é constituída de 3402 observações de administrações de medicamentos em pacientes em uso de acesso vascular central. O instrumento de coleta, previamente validado, é construído e alicerçado no Guideline for Prevention of Intravascular cateter-related infections. A coleta se deu a partir da observação direta da prática assistencial realizada pela equipe de enfermagem. A análise utilizou estatística analítica, descritiva e inferencial (Teste de Qui-quadrado e Exato de Fisher). Resultados: foram observadas 3402 ações relacionadas a administrações de medicamentos. O maior número de ações foi realizado por Técnicos de Enfermagem do sexo feminino. Em nenhum dos procedimentos o profissional executou todas as ações necessárias, com 0,2% das administrações de medicamento antecedidas pela higienização das mãos e 1,3% pela desinfecção do frasco multidose, ampola ou injetores. Conclusão: a prática avaliada foi classificada como indesejada. A não obtenção da conformidade almejada deu-se, provavelmente, pela baixa adesão dos profissionais à prática de higienização das mãos e à desinfecção de materiais, injetores e conectores.

Fatores de risco para quedas em pacientes adultos hospitalizados: um estudo caso-controle

Risk factors for fall occurrence in hospitalized adult patients: a case-control study

Isis Marques Severo, Ricardo de Souza Kuchenbecker, Débora Feijó Villas Boas Vieira, Amália de Fátima Lucena, Miriam de Abreu Almeida

Objetivo: identificar os fatores de risco para a ocorrência de quedas em pacientes adultos hospitalizados. Métodos: estudo do tipo caso-controle pareado (um controle para cada caso). Pesquisa quantitativa realizada em unidades clínicas e cirúrgicas de um hospital universitário da região Sul do Brasil. A amostra incluiu 358 pacientes. Os dados foram coletados durante 18 meses, entre 2013-2014. A análise dos dados foi realizada por meio de estatística descritiva e regressão logística condicional, utilizando o Microsoft Excel e o SPSS versão 18.0. Resultados: os fatores de risco identificados foram: desorientação/confusão [OR 4,25 (1,99 a 9,08), p<0,001]; micção frequente [OR 4,50 (1,86 a 10,87), p=0,001]; limitação para caminhar [OR 4,34 (2,05 a 9,14), p<0,001]; ausência de cuidador [OR 0,37 (0,22 a 0,63), p<0,001]; período pós-operatório [OR 0,50 (0,26 a 0,94), p=0,03]; e o número de medicamentos administrados nas 72 horas anteriores à queda [OR 1,20 (1,04 a 1,39) p=0,01]. Conclusão: os riscos para quedas são multifatoriais. Todavia, conhecê-los dá suporte à decisão clínica do enfermeiro, o que contribui para a busca das melhores intervenções preventivas e impacta positivamente na segurança dos pacientes.

Vias do planejamento na transferência do tratamento diretamente observado da tuberculose

Planning pathways in the transfer of Directly Observed Treatment of Tuberculosis

Rarianne Carvalho Peruhype, Fernando Mitano, Juliana Feliciati Hoffmann, Catiucia de Andrade Surniche, Pedro Fredemir Palha

Objetivo: investigar o processo de planejamento da transferência da política do Tratamento Diretamente Observado da tuberculose. Método: estudo qualitativo, realizado por meio de entrevistas e roteiro semiestruturado aplicado a cinco sujeitos, dentre coordenadores e gestores dos programas de controle da tuberculose e o secretário de saúde de um município do Sul do Brasil. O Planejamento Estratégico Situacional e a Análise de Discurso de matriz francesa foram os referenciais teórico e analítico utilizados, respectivamente. Resultados: três eixos reflexivos sobressaíram: as fragilidades no processo de planejamento da transferência do Tratamento Diretamente Observado; o antagonismo entre o planejamento e as exigências cotidianas; e a formulação do planejamento e sua execução. A assistematização do planejamento para a execução da transferência do Tratamento Diretamente Observado indica não apenas a fragilidade e incipiência dessa atividade, mas também a possibilidade de sua inexistência. Conclusão: é notória a premente necessidade de os gestores e coordenadores se apropriarem melhor tanto do referencial teórico da transferência de políticas públicas quanto dos próprios mecanismos de planejamento em si, incluindo, nesse sentido, uma proposta de reorganização e qualificação do processo difusor, prático-operativo e político-organizativo.

Cultura de segurança do paciente em um hospital universitário

Patient safety culture in a university hospital

Taís Freire Galvão, Marcélia Célia Couteiro Lopes, Carmen Conceição Carrilho Oliva, Maria Elizete de Almeida Araújo, Marcus Tolentino Silva

Objetivo: avaliar a cultura de segurança do paciente em hospital universitário. Método: estudo transversal com coleta de dados por meio do Hospital Survey on Patient Safety Culture aplicado em dispositivo eletrônico. Entrevistaram-se 381 funcionários, correspondendo a 46% do total de profissionais elegíveis. Os dados foram analisados descritivamente, com cálculo de frequências e da confiabilidade pelo alfa de Cronbach. Resultados: a maior parte eram mulheres (73%), da área de enfermagem (50%) e com contato direto com pacientes (82%). As dimensões “trabalho em equipe no âmbito das unidades” (58%, α=0,68), “aprendizado organizacional” (58%, α=0,63), “expectativas e ações dos supervisores e gerentes para promoção da segurança do paciente” (56%, α=0,73) apresentaram maior positividade. Nove dimensões tiveram positividade baixa, com destaque para “respostas não punitivas aos erros” (18%, α=0,40). Somente o item “nesta unidade, as pessoas se tratam com respeito” obteve positividade acima de 70%. A avaliação da segurança do paciente na unidade de trabalho foi positiva para 36% dos funcionários, porém somente 22% informaram ter notificado eventos no último ano. Conclusão: os achados revelam fragilidades na cultura de segurança no hospital, com destaque à culpabilização.

Estratégias de enfermeiros para a vigilância à saúde da criança

Nursing strategies for child health surveillance

Marina Sayuri Yakuwa, Sarah Neill, Débora Falleiros de Mello

Objetivo: apreender as estratégias impulsionadas por enfermeiros no contexto da vigilância à saúde da criança, relevantes ao desenvolvimento na primeira infância. Método: estudo qualitativo, com análise temática indutiva dos dados, fundamentado nos princípios conceituais da vigilância à saúde da criança, a partir de entrevistas semiestruturadas gravadas com enfermeiras brasileiras que atuam com famílias, no âmbito da atenção primária à saúde. Resultados: as estratégias das enfermeiras a favor da vigilância à saúde da criança focam em ações que se antecipam aos danos com acompanhamento contínuo e monitorização de indicadores de saúde. O processo de crescimento e desenvolvimento da criança é a base para respostas e benefícios à saúde, conexão com o cotidiano das famílias, busca ativa, articulações entre profissionais e serviços, acesso a cuidado abrangente, ações intrínsecas entre promoção, prevenção e seguimento da saúde. Conclusão: as ações em vigilância à saúde da criança, que os enfermeiros realizam com e junto às famílias, envolvem compartilhamento de saberes, favorecem a resolutividade, incrementam os indicadores de saúde infantil e estreitam relações entre saúde e direitos da criança, as quais sustentam a promoção do desenvolvimento na primeira infância.

Análise da confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester: concordância interna e entre observadores

Reliability analysis of the Manchester Triage System: inter-observer and intra-observer agreement

Cristiane Chaves de Souza, Tânia Couto Machado Chianca, Welfane Cordeiro Júnior, Maria do Carmo Paixão Rausch, Gabriela Fontoura Lana Nascimento

Objetivo: analisar a confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester para determinar o grau de prioridade de pacientes em serviços de urgência. Método: trata-se de estudo de confiabilidade com amostra de 361 enfermeiros. Os dados foram coletados em três etapas e os questionários aplicados utilizando software eletrônico. A concordância foi mensurada pela avaliação de casos clínicos. Os desfechos avaliados foram: concordância com o padrão ouro e intraobservadores na indicação do fluxograma, discriminador e nível de risco. Os dados foram submetidos a análises uni e bivariadas. A concordância foi mensurada pelo cálculo do índice Kappa. Resultados: a confiabilidade externa e interna do protocolo variou de moderada a substancial (Kappa:0,55-0,78). Tempo de experiência profissional como enfermeiro, em serviços de urgência e emergência e na classificação de risco, foi associado à confiabilidade externa e interna. A escolha certa do discriminador influenciou mais a correta indicação do nível de risco (R²=0,77; p<0,0001) do que a escolha correta do fluxograma (R²=0,16; p<0,0001). Conclusão: a confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester variou de moderada a substancial e foi influenciada pela experiência clínica do enfermeiro. O protocolo é seguro para definição das prioridades clínicas utilizando diferentes fluxogramas de classificação.

Custo direto da manutenção da permeabilidade de cateter venoso central totalmente implantado

Direct cost of maintenance of totally implanted central venous catheter patency

Rafael Fernandes Bel Homo, Antônio Fernandes Costa Lima

Objetivo: identificar o custo direto médio da manutenção da permeabilidade de cateter venoso central totalmente implantado, com heparina, no Hospital Dia de um hospital público de alta complexidade especializado em tratamento de pacientes oncológicos, e estimar o custo direto médio da substituição da heparina por cloreto de sódio 0,9%. Método: pesquisa quantitativa, exploratório-descritiva, cuja amostra constituiu-se da observação não participante de 200 manutenções de cateter venoso central totalmente implantado com heparina. O custo direto médio foi calculado multiplicando-se o tempo (cronometrado) despendido por profissionais participantes do procedimento pelo custo unitário da mão de obra direta, somando-se ao custo dos materiais e soluções. Resultados: o custo direto médio total da manutenção do cateter, com heparina, correspondeu a US$ 9.71 (DP=1.35), variando entre US$ 7.98 e US$ 23.28. A estimativa do custo direto médio total da manutenção, substituindo-se a heparina por cloreto de sódio 0,9%, foi de US$ 8.81 (DP=1.29), ocorrendo, consequentemente, a redução de US$ 0.90/procedimento. Conclusão: os resultados obtidos contribuíram para a proposição de estratégias para auxiliar na contenção/minimização de custos do procedimento. A estimativa da substituição da heparina por cloreto de sódio 0,9% evidenciou a possibilidade de redução do custo direto médio total obtido.

Fatores de risco para óbito em pacientes com eventos adversos não infecciosos

Risk factors for death in patients with non-infectious adverse events

Gilcilene Oliveira Gadelha, Hémilly Caroline da Silva Paixão, Patricia Rezende do Prado, Renata Andréa Pietro Pereira Viana, Thatiana Lameira Maciel Amaral

Objetivo: identificar os fatores de risco para óbito em pacientes que sofreram eventos adversos não infecciosos. Método: estudo de coorte retrospectivo com pacientes que sofreram Eventos Adversos (EA) não infecciosos em uma Unidade de Terapia Intensiva. Foi utilizado o método de Kaplan Meier para estimar a probabilidade condicional do óbito (teste log-rank 95%) e os fatores de risco associados ao óbito por meio da regressão de Cox. Resultados: pacientes acima de 50 anos apresentaram um risco de 1,57 vezes, indivíduos acometidos por infecção/sepse apresentaram quase 3 vezes o risco. Os pacientes com Simplified Acute Physiology Score III (SAPS3) superior a 60 pontos tiveram 4 vezes maior risco, enquanto os que possuíam escala de Charlson superior a 1 ponto apresentaram, aproximadamente, 2 vezes maior risco. A variável número de eventos adversos se mostrou como fator de proteção reduzindo o risco de óbito em até 78%. Conclusão: pacientes que sofreram evento adverso e que têm mais de 50 anos de idade, com infecção/sepse, maior gravidade, ou seja, SAPS 3>30 e Charlson >1, apresentaram maior risco de óbito, no entanto o maior número de EA não contribuiu para o aumento do risco de óbito.

Resultados da implementação dos cuidados integrados pós-parada cardiorrespiratória em um hospital universitário

Results of the implementation of integrated care after cardiorespiratory arrest in a university hospital

Evelyn Carla Borsari Mauricio, Maria Carolina Barbosa Teixeira Lopes, Ruth Ester Assayag Batista, Meiry Fernanda Pinto Okuno, Cássia Regina Vancini Campanharo

Objetivos: identificar os cuidados pós-parada cardiorrespiratória (PCR) realizados e relacioná-los com o estado neurológico e a sobrevida nas primeiras 24 horas, na alta, após seis meses e um ano. Método: estudo retrospectivo, analítico e quantitativo, realizado no Serviço de Emergência de um hospital universitário em São Paulo. Foram incluídos 88 prontuários de pacientes atendidos em PCR, que apresentaram retorno da circulação espontânea sustentado por mais de 20 minutos e identificados os cuidados pós-PCR realizados nas primeiras 24 horas, como também a relação com a sobrevida e estado neurológico. Resultados: os cuidados pós-PCR realizados com maior frequência foram a obtenção de uma via área avançada e passagem de sonda vesical de demora. Para os pacientes que tiveram manutenção de boa respiração e circulação, controle da temperatura e transferência para unidade de terapia intensiva, a sobrevida foi maior nas primeiras 24 horas, após seis meses e um ano da alta. O bom estado neurológico em seis meses e um ano após a alta associou-se a não utilização de drogas vasoativas e à investigação das causas da PCR. Conclusão: a identificação das boas práticas em relação aos cuidados pós-PCR pode auxiliar na diminuição da mortalidade destes indivíduos e na melhora da sua qualidade de vida.

Dificuldades e motivações para o exercício físico em mulheres idosas. Um estudo qualitativo

Difficulties and motivations for physical exercise in women older than 65 years. A qualitative study

Yolanda López-Benavente, José Arnau-Sánchez, Tania Ros-Sánchez, María Beatriz Lidón-Cerezuela, Araceli Serrano-Noguera, María Dolores Medina-Abellán

Objetivo: identificar dificuldades e motivações para a prática de exercício físico em mulheres com mais de 65 anos. Método: estudo qualitativo baseado na teoria fenomenológica com grupos focais e entrevistas em profundidade. A enfermagem selecionou 15 mulheres por amostragem intencional com critérios de idade, tempo dedicado ao exercício físico, independentes, sem deterioração cognitiva e sem contra-indicação para a atividade. Foram estudados dois grupos focais (um realizava menos de 150 minutos semanais de exercício físico e outro no mínimo 150 minutos semanais), além de cinco entrevistas em profundidade. Análise qualitativa dos dados mediante transcrição, codificação, categorização e verificação dos resultados. Resultados: as dificuldades para o início e desenvolvimento do exercício físico ficam circunscritas à percepção de má saúde e à falta de tempo livre, resultado da obrigação do cuidado, representado como um mandato de gênero. Porém, as motivações estão relacionadas à percepção de fortaleza, necessidade de socialização, percepção de autonomia e liberdade. Conclusões: a representação ideológica do gênero determina a decisão para realizar exercício. Conhecer o sentido e o significado que as mulheres dão à saúde e ao seu papel no âmbito sócio familiar, permite que as enfermeiras desenvolvam relações e intervenções para a prática do exercício físico.

Registro das circunstancias das quedas no âmbito comunitário: perspectiva na Península Ibérica

Record of the circumstances of falls in the community: perspective in the Iberian Peninsula

Maria de Fátima Araújo, Nilza Nogueira Caldevilla, Candida Maciel, Felicidade Malheiro, María Aurora Rodríguez-Borrego, Pablo Jesús López-Soto

Objetivo: determinar o diagnóstico da situação sobre a documentação das quedas e risco de queda em pessoas maiores de 75 anos em unidades básicas de saúde da Espanha e Portugal. Método: estudo exploratório misto em duas etapas: (i) descritiva quantitativa de registros de queda selecionados aleatoriamente produzidos em um ano (597 registros; 197 espanhóis e 400 portugueses); e (ii) qualitativa, para conhecer a percepção dos profissionais de saúde, utilizando entrevistas semiestruturadas (72 profissionais; 16 espanhóis e 56 portugueses). Os âmbitos de estudo foram duas unidades básicas de saúde do Sul de Espanha e do Norte de Portugal. Resultados: nos registros de queda, o número de mulheres era maior. A presença de queda esteve associada com as variáveis idade, presença de demência, doença osteoarticular, quedas prévias e consumo de antivertiginosos. Os profissionais de saúde perceberam uma ausência de instrumentos de avaliação do risco de queda, assim como carência de programas de prevenção e falta de sensibilização sobre este acontecimento. Conclusão: as quedas são percebidas como uma área de atenção prioritária para os profissionais de saúde. Não obstante, existe uma falta de adesão ao registro de quedas e da avaliação do risco como consequência de problemas organizacionais, logísticos e motivacionais.

Custos diretos de procedimentos integrantes da hemodiálise convencional realizada por profissionais de enfermagem

Direct costs of integrated procedures of conventional hemodialysis performed by nursing professionals

Antônio Fernandes Costa Lima

Objetivo: analisar o custo direto médio de procedimentos constituintes da hemodiálise convencional, realizada em três hospitais públicos de ensino e pesquisa. Método: pesquisa quantitativa, exploratório-descritiva, do tipo estudos de casos múltiplos. Calculou-se o custo direto médio por meio da multiplicação do tempo (cronometrado) despendido por profissionais de enfermagem, na execução dos procedimentos, pelo custo unitário da mão de obra direta, somando-se ao custo dos materiais e soluções/medicamentos. Resultados: o custo direto médio total, em pacientes portadores de fístula arteriovenosa, correspondeu a US$25.10 no hospital A, US$37.34 no hospital B e US$25.01 no hospital C e, em pacientes com cateter de duplo lúmen, US$32.07 no hospital A, US$40.58 no hospital B e US$30.35 no hospital C. As médias ponderadas dos valores obtidos foram US$26.59 para o hospital A, US$38.96 para o hospital B e US$27.68 para o hospital C. Evidenciou-se que a “instalação e desinstalação de hemodiálise via fístula” causou impacto econômico significativamente menor em comparação à “instalação e desinstalação de hemodiálise via cateter”. Conclusão: com o conhecimento desenvolvido será possível subsidiar gerentes hospitalares, responsáveis técnicos e profissionais de enfermagem no processo decisório, com vistas à alocação racional dos insumos necessários à consecução da hemodiálise convencional.

Protocolo de laser-acupuntura para hipertensão arterial sistêmica primária: ensaio clínico randomizado

Laser acupuncture protocol for essential systemic arterial hypertension: randomized clinical trial

Raphael Dias de Mello Pereira, Neide Aparecida Titonelli Alvim, Claudia Dayube Pereira, Saint Clair dos Santos Gomes Junior

Objetivos: avaliar a eficácia de um protocolo para laser-acupuntura, desenvolvido e aplicado por enfermeiros em pacientes com hipertensão arterial. Método: ensaio clínico randomizado, multicêntrico, triplo-cego, dois braços. A amostra foi composta por 102 participantes, 51 por braço, ambos os sexos, idade entre 30 e 75 anos, em tratamento medicamentoso há um ano ou mais, com dificuldades para controle da pressão arterial, mantendo medidas regulares >140x90 mmHg. Os participantes foram submetidos a seis sessões de laser-acupuntura, padrão ou simulada, com duração de 24 minutos, no decorrer de seis semanas. Empregaram-se análises descritivas por frequências de ocorrências, médias e medianas, e de associação entre variáveis por teste t de Student e Anova, empregando o software Statistica®, versão 12.0. O nível de significância adotado foi de 5% (alpha=0,05). A comparação entre resultados da pressão arterial foi pelo teste t de Student para amostras pareadas e Anova para medidas repetidas. Resultados: observou-se redução significativa da pressão arterial sistólica (p<0,001) e diastólica (p<0,001) dos participantes do braço intervenção, evento não verificado no braço simulado. Conclusão: pelos resultados constatou-se eficácia do protocolo. Houve redução e controle da pressão arterial, indicando seu emprego como possibilidade de tecnologia para o cuidado de pessoas com hipertensão arterial sistêmica primária. Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos. UTN: U1111-1177-1811. Clinical TrialsNCT02530853.

Condições de trabalho e significados do trabalho em enfermagem em Barcelona

Labor conditions and the meanings of nursing work in Barcelona

Alberto Granero, Josep M Blanch, Paola Ochoa

Objetivo: analisar a relação entre a avaliação quantitativa das condições de trabalho e a percepção qualitativa da própria experiência de trabalho. Método: uma amostra de 1760 profissionais de enfermagem de Barcelona respondeu a um questionário para avaliação de suas condições de trabalho e resumiu em cinco palavras-chave sua própria experiência de trabalho atual. Resultados: o corpus textual dos significados do trabalho incluiu 8043 formas lexicais, que foram categorizadas e codificadas. As pessoas pesquisadas que classificaram mais alto as suas condições de trabalho expressaram uma visão do trabalho em termos de autonomia, realização e bem-estar, ao passo que as que o classificavam mais baixo falavam principalmente de exaustão, despersonalização e clima negativo. Uma análise de correspondências evidenciou uma estreita relação entre as avaliações quantitativas das condições de trabalho e os códigos verbais de significado do trabalho. Conclusões: os significados dados ao trabalho foram não só coerentes com as avaliações numéricas das condições de trabalho, mas também as tornaram mais compreensíveis. A informação obtida coloca desafios para reflexão e aponta caminhos para enfrentar a promoção dos aspectos positivos e a prevenção dos negativos das condições do trabalho de enfermagem.

Ações de apoio realizadas à mulher por acompanhantes em maternidades públicas

Support actions undertaken for the woman by companions in public maternity hospitals

Carolina Frescura Junges, Odaléa Maria Brüggemann, Roxana Knobel, Roberta Costa

Objetivo: identificar as ações de apoio realizadas à mulher no trabalho de parto, parto, cesariana e pós-parto. Método: estudo transversal, realizado em três maternidades públicas, com amostra de 1147 acompanhantes. Os dados foram coletados por meio de entrevista e analisados por estatística descritiva. As ações de apoio foram classificadas nas quatro dimensões: emocional, física, informacional e de intermediação. Resultados: a maioria dos entrevistados era o companheiro/pai do bebê (76,7%). No trabalho de parto, nascimento e pós-parto, as ações de apoio emocional, como tranquilizar, encorajar e elogiar, foram realizadas por mais de 80,0% dos acompanhantes; o apoio informacional por cerca de 70,0%; e o de intermediação por menos de 65,0% deles. No trabalho de parto, o destaque no apoio físico foi observado no auxílio à deambulação (84,4%) e na mudança de posição (90,4%). Conclusão: os acompanhantes participam ativamente do processo do nascimento realizando ações de apoio nas quatro dimensões. O apoio emocional é o mais frequente, seguido do físico e informacional, principalmente durante o trabalho de parto e parto. Os resultados contribuem para a valorização do acompanhante da rede social da mulher no cenário do parto e o reconhecimento do seu papel como provedor de apoio.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br