JCR: 0,712; SJR: 0,339; H Index Scopus: 29; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V26

Editorial

New

A enfermagem como profissão do futuro e base de sustentação dos sistemas universais

Nursing as the profession of the future and the foundation of universal health systems

Ricardo Alexandre Arcêncio

A inclusão da saúde mental na agenda da saúde pública internacional e o protagonismo da enfermagem no processo

The inclusion of mental health in the international public health agenda and the leading role of nursing in this process

Sueli Frari Galera

A Educação Interprofissional em saúde na Região das Américas

Interprofessional Health Education in the Region of the Americas

Fernando Antonio Menezes da Silva, Silvia Helena De Bortoli Cassiani, José Rodrigues Freire Filho

Gestão editorial e os 25 anos da Revista Latino-Americana de Enfermagem

Editorial management and the 25 years of the Latin American Journal of Nursing

Maria Helena Palucci Marziale

Artigos Originais

New

Complicações vasculares em pacientes submetidos a procedimentos cardiológicos endovasculares: coorte multicêntrica

Vascular complications in patients who underwent endovascular cardiac procedures: multicenter cohort study

Angelita Costanzi Paganin, Mariur Gomes Beghetto, Maria Karolina Feijó, Roselene Matte, Jaquelini Messer Sauer, Eneida Rejane Rabelo-Silva

Objetivo: analisar as complicações vasculares de pacientes submetidos a procedimentos cardiológicos endovasculares em laboratório de hemodinâmica de três centros de referência. Método: estudo de coorte multicêntrico, em três instituições de referência, sendo a amostra constituída de 2.696 pacientes, incluindo pacientes adultos que realizaram procedimento percutâneo cardiológico em caráter eletivo ou urgente. Foram considerados como desfechos a presença de complicações vasculares, como hematoma no local da punção arterial, sangramento maior e menor e correção cirúrgica para hemorragia retroperitoneal, pseudoaneurisma ou formação de fístula arteriovenosa. Resultados: dos 2.696 pacientes, 237 (8,8%) apresentaram algum tipo de complicação vascular no sítio de punção arterial. O número total de complicações vasculares foi 264: hematoma menor <10 cm (n=135), sangramento estável (n=86), hematoma maior ≥10 cm (n=32) e sangramento instável (n=11). Não ocorreu evento de hematoma retroperitoneal, pseudoaneurisma ou fístula arteriovenosa. Majoritariamente, tanto as complicações maiores como as menores ocorreram nas primeiras seis horas após o procedimento. Conclusão: os resultados das complicações no cenário atual da cardiologia intervencionista indicam que a incidência dessas ocorre predominantemente nas primeiras seis horas após os procedimentos, considerando a avaliação até 48 horas. Medidas preventivas imediatas aos procedimentos devem ser planejadas e implementadas pela equipe.

New

Associação entre qualidade de vida e prognóstico de pacientes candidatos ao transplante cardíaco: estudo transversal

Association between quality of life and prognosis of candidate patients for heart transplantation: a cross-sectional study

Vanessa Silveira Faria, Ligia Neres Matos, Liana Amorim Correa Trotte, Helena Cramer Veiga Rey, Tereza Cristina Felippe Guimarães

Objetivo: verificar a associação entre os escores de prognóstico e a qualidade de vida de pacientes candidatos ao Transplante Cardíaco. Método: estudo transversal descritivo, com amostra de conveniência formada por 32 pacientes ambulatoriais candidatos ao transplante cardíaco. O prognóstico foi classificado pelo Heart Failure Survival Score (HFSS) e pelo Seattle Heart Failure Model (SHFM); e a qualidade de vida pelo Minnesota Living With Heart Failure Questionnaire (MLHFQ) e pelo Kansas City Cardiomyopathy Questionnaire (KCCQ). Aplicou-se o teste de correlação de Pearson. Resultados: as correlações encontradas entre os escores gerais dos instrumentos de qualidade de vida e os escores de prognósticos foram (HFSS/MLHFQ r = 0,21), (SHFM/MLHFQ r = 0,09), (HFSS/KCCQ r = -0,02), (SHFM/KCCQ r = -0,20). Conclusão: a correlação fraca entre os escores de prognóstico e de qualidade de vida sugere a não associação entre as medidas, ou seja, pior prognóstico não significa pior qualidade de vida e o mesmo ocorre no sentido inverso.

New

Risco de hemólise após transfusão de concentrado de hemácias com bombas de infusão

Hemolysis risk after packed red blood cells transfusion with infusion pumps

Ana Maria Miranda Martins Wilson, Maria Angélica Sorgini Peterlini, Mavilde da Luz Gonçalves Pedreira

Objetivo: avaliar os biomarcadores de hemólise de concentrado de hemácias transfundidos por duas bombas de infusão peristáltica linear distintas, em duas taxas de infusão. Método: estudo experimental randomizado desenhado para simular a prática clínica da transfusão. Duas bombas de infusão peristáltica linear de diferentes fabricantes foram estudadas em triplicata a 100 ml/h e 300 mL/h de infusão. Os biomarcadores de hemólise escolhidos foram hemoglobina total, hemoglobina livre, hematócrito, potássio e grau de hemólise. Eles foram analisados antes e após cada infusão. Resultados: o potássio apresentou variações estatisticamente significativas em todos os cenários do experimento (P < 0,010). Em análise separada, o potássio aumentou principalmente na taxa de 300 mL/h (P = 0,021) e a hemoglobina livre teve uma variação significativa no experimento comparando bombas de infusão de diferentes fabricantes (P = 0,026). Embora o hematócrito, a hemoglobina total e o grau de hemólise tenham aumentado após a infusão, não foram identificadas variações estatisticamente significativas. Conclusões: o risco de hemólise induzido por bombas de infusão peristáltica linear foi identificado com base em um aumento nos marcadores de hemoglobina livre e potássio. Como o biomarcador potássio é frequentemente aumentado em concentrados de hemácias envelhecidos, não se recomenda usá-los nesse cenário e estudos adicionais podem ser realizados. Vale a pena realizar estudos sobre outros marcadores e utilizar amostras maiores para fundamentar a prática de enfermagem transfusional.

New

Fatores associados à ferida cirúrgica complexa em regiões de mama e abdome: estudo observacional caso-controle

Factors associated with complex surgical wounds in breast and abdomen: a case-control observational study

Josimare Aparecida Otoni Spira, Eline Lima Borges, Patrícia Aparecida Barbosa Silva, Mery Natali Silva Abreu, Antônio Carlos Martins Guedes, José Ferreira Pires-Júnior

Objetivo: identificar fatores associados à ferida cirúrgica complexa em mama e abdome em pacientes ambulatoriais. Método: estudo observacional do tipo caso-controle, envolvendo 327 pacientes, sendo 160 casos (ferida cirúrgica complexa) e 167 controles (ferida cirúrgica simples). Os dados foram extraídos dos prontuários e para análise foi utilizado o modelo de regressão logística binária, considerando nível de significância de 5%. Resultados: os fatores associados a uma maior chance de ocorrência da ferida cirúrgica complexa foram faixa etária 18 a 59 anos (p = 0,003), escolaridade < 8 anos (p = 0,049), radioterapia (p < 0,001), histerectomia (p = 0,017), hernioplastia (p = 0,003), laparotomia (p = 0,004), glicemia ≤ 99 mg/dL (p = 0,007) e hipertensão arterial (p = 0,033), enquanto quadrantectomia (p = 0,025) atuou como fator protetor. Conclusão: a radioterapia foi o fator com maior significância para complicações da ferida cirúrgica. Alteração glicêmica foi um resultado inesperado, o que mostra a necessidade de mais estudos relacionados a esse tema.

New

Habilidade de cuidado de cuidadores familiares de pacientes em tratamento oncológico: fatores associados

Caring ability of family caregivers of patients on cancer treatment: associated factors

Larissa de Carli Coppetti, Nara Marilene Oliveira Girardon-Perlini, Rafaela Andolhe, Maria Gaby Rivero de Gutiérrez, Steffani Nikoli Dapper, Fernanda Duarte Siqueira

Objetivo: analisar a associação entre a habilidade de cuidado de cuidadores familiares de pacientes em tratamento oncológico e as características demográficas e clínicas dos pacientes, como também as características sociodemográficas dos cuidadores e do cuidado prestado. Métodos: estudo transversal, realizado com 132 cuidadores familiares de pacientes em tratamento oncológico cujos dados foram coletados por meio da versão brasileira do Caring Ability Inventory e questionários de caracterização dos pacientes, cuidadores e cuidado prestado. Utilizaram-se os Testes t de Student, Mann-Whitney ou Kruskal-Wallis, ao nível de significância ≤5%. Resultados: a idade do paciente associou-se significativamente com habilidade de cuidado total (p=0,002) e as dimensões coragem (p=0,006) e paciência (p=0,009) do cuidador. A escolaridade do cuidador associou-se com a habilidade de cuidado total (p=0,028) e as dimensões coragem (p=0,008) e paciência (p=0,045). A situação conjugal associou-se com a habilidade de cuidado total (p=0,020) e a dimensão paciência (p=0,045) e o tempo de cuidado com a dimensão paciência (p=0,027). Conclusão: os cuidadores de pacientes com idade avançada, que têm maior escolaridade e não têm companheiro demonstram ter mais habilidade de cuidado.

New

Desafios e potencialidades do trabalho de Enfermagem em Consultório na Rua

Challenges and potentialities of nursing work in street medical offices

Aline Costa Cardoso, Débora de Souza Santos, Silvana Martins Mishima, Danielly Santos Cardoso dos Anjos, Jorgina Sales Jorge, Hiule Perreira de Santana

Objetivo: analisar elementos do processo de trabalho de enfermagem no Consultório na Rua, evidenciando os desafios e potencialidades do cuidado à pessoa em situação de rua. Método: trata-se de uma pesquisa exploratória de natureza qualitativa sustentada pela perspectiva do processo de trabalho em saúde, mediante entrevistas semiestruturadas com enfermeiros das equipes de Consultório na Rua do município de Maceió, analisadas segundo a técnica de análise de conteúdo, abordando questões relativas ao objeto, instrumentos e finalidades do processo de trabalho de enfermagem. Resultados: temas identificados: Necessidade de cuidado à saúde no contexto de vulnerabilidade social e de saúde; Planejamento estratégico e trabalho em equipe como instrumentos da organização do processo de trabalho; Finalidades e produtos do trabalho: garantindo o direito ao acesso e ao cuidado. O enfermeiro, diante de um objeto de trabalho desenhado por graves necessidades de saúde resultantes da vulnerabilidade social dessa população, utiliza instrumentos variados em seu processo de trabalho: planejamento estratégico, atuação em equipe multiprofissional e valorização das tecnologias leves de acolhimento e vínculo. Conclusão: afora as dificuldades, o estudo apresenta uma experiência exitosa que explora a potencialidade de relações solidárias de cuidado humanizado.

New

Validação semântica das versões curtas das Escalas de Medição do Quociente de Empatia/Sistematização

Semantic validation of the short versions of the Empathy-Systemizing Quotient Scales

Mirella Castelhano-Souza, Isabel Amélia Costa Mendes, José Carlos Amado Martins, Maria Auxiliadora Trevizan, Valtuir Duarte Souza-Júnior, Simone de Godoy

Objetivo: realizar a validação semântica e avaliar as propriedades psicométricas das versões curtas das Escalas de Medição do Quociente de Empatia/Sistematização, originadas em Cambridge e validadas em Portugal, para mensurar o perfil empático e sistemático dos indivíduos. Método: estudo metodológico no qual foram compreendidas a validação semântica (validade de conteúdo) e a verificação das propriedades psicométricas (consistência interna) das escalas. Cinco juízes participaram da validação semântica. Foi calculado o Índice de Validade de Conteúdo, seguido de pré-teste, com 18 graduandos em enfermagem e posterior aplicação a uma amostra. Resultados: a amostra foi composta de 215 graduandos em enfermagem, sendo 186 (86,51%) do sexo feminino, com idade média de 21 anos. As escalas apresentaram boa consistência interna, com valores de Alfa de Cronbach global de 0,83 para o Quociente de Empatia e 0,79 para o Quociente de Sistematização. As correlações entre as escalas e subescalas do Quociente de Empatia e Quociente de Sistematização foram todas positivas e significantes, resultantes do teste de correlação de Pearson. Conclusão: as escalas foram consideradas confiáveis e válidas para mensurar o perfil empático e sistemático de graduandos em enfermagem e a versão final foi denominada versões curtas das Escalas de Medição do Quociente de Empatia/Sistematização - Brasil.

New

Comportamento sexual e infecções sexualmente transmissíveis em mulheres de apenados

Sexual behavior and sexually transmitted diseases among the female partners of inmates

Debora Cristina Martins, Giovanna Brichi Pesce, Giordana Maronezzi da Silva, Carlos Alexandre Molena Fernandes

Objetivo: analisar o comportamento sexual e estimar a prevalência de infecções sexualmente transmissíveis em mulheres de apenados. Método: estudo quantitativo transversal, com 349 mulheres parceiras de apenados. Para coleta de dados, foi utilizado o instrumento validado no Brasil, Estudo de Comportamento Sexual. Para análise estatística, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Sciences, versão 20. Resultados: identificou-se que 41,2% das mulheres de apenados referiram que já tiveram algum tipo de infecção sexualmente transmissível. Há associação entre mulheres que tiveram mais de um parceiro nos últimos 12 meses (<0,006), que sofreram violência sexual (<0,001), praticaram sexo por dinheiro (<0,001), sob efeito de álcool (<0,001) e sob efeito de drogas (<0,005). Na Regressão Logística, as variáveis associadas às infecções sexualmente transmissíveis foram: mulheres que se relacionaram com mais de um parceiro nos últimos 12 meses, que referiram ter sofrido violência sexual, prática de sexo por dinheiro e sob efeito de álcool ou drogas. Conclusão: número de parceiros, violência sexual, sexo por dinheiro e sexo sob efeito de álcool ou drogas são comportamentos sexuais de risco que aumentam a prevalência de infecções sexualmente transmissíveis em mulheres de apenados.

Validade e confiabilidade da versão turca da escala de avaliação do Ambiente de Aprendizagem Clínica, Supervisão e Professor de Enfermagem (CLES+T)

Validity and reliability of the Clinical Learning Environment, Supervision and Nurse Teacher (CLES+T), Turkish version

Selma Atay, Fatma Yılmaz Kurt, Gülbahar Korkmaz Aslan, Mikko Saarikoski, Hilal Yılmaz, Volkan Ekinci

Objetivo: Um estudo do tipo metodológico foi desenvolvido com o propósito de investigar a validade e a confiabilidade da versão turca da escala de avaliação do Ambiente de Aprendizagem Clínica, Supervisão e Professor de Enfermagem (CLES + T) no ambiente de aprendizagem clínica de estudantes, enfermeiros clínicos e educadores. Métodos: A amostra foi composta por 602 estudantes de enfermagem turcos com experiência na prática clínica hospitalar. O CLES + T, desenvolvido por Saarikoski, foi utilizado para coleta de dados. Equivalência de linguagem, consistência interna, correlação item-total e validade de estrutura foram avaliados no escopo do estudo de validade e confiabilidade na escala CLES + T. Resultados: As correlações item-total de quatro itens foram inferiores a 0,30, e tais itens foram removidos da escala como resultado da análise de itens. O valor alfa de Cronbach da escala foi de 0,93-0,99; as correlações item-total da escala variaram entre 0,45 e 0,66; seis fatores foram identificados na análise fatorial da escala, com uma variância total explicada por esses seis fatores de 64%. Conclusão: De acordo com os resultados da pesquisa, a versão turca do escala CLES+T foi considerada válida e confiável, a qual pode ser usada para avaliar a satisfação de estudantes de enfermagem com sua educação clínica na Turquia.

Autoeficácia para amamentação e depressão pós-parto: estudo de coorte

Breastfeeding self-efficacy and postpartum depression: a cohort study

Erika de Sá Vieira, Nathalia Torquato Caldeira, Daniella Soares Eugênio, Marina Moraes di Lucca, Isília Aparecida Silva

Objetivo: avaliar a autoeficácia para amamentação, a presença de sintomas de depressão no período pós-parto e a associação entre autoeficácia na amamentação e depressão pós-parto, com a interrupção do aleitamento materno exclusivo. Método: estudo de coorte realizado com 83 mulheres. Os instrumentos utilizados foram a Escala de Autoeficácia para amamentação e a Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo. A análise estatística foi feita por meio dos testes log-rank, análise de variância e modelo de sobrevivência de Cox. Resultados: os níveis de autoeficácia para amamentação (p=0,315) e depressão pós-parto (p=0,0879), ao longo do tempo, não evidenciaram diferença estatística. As chances de interrupção do aleitamento materno exclusivo diminuem em 48% com a melhora do nível baixo de autoeficácia para médio e em 80% de médio para alto. Puérperas com escore ≥10 na Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo interrompem o aleitamento exclusivo, em média, 10 dias antes do que aquelas com escore ≤9, cuja mediana de aleitamento materno foi de 38 dias após o parto. Conclusão: a autoeficácia para amamentação revelou-se como fator de proteção para o aleitamento materno exclusivo, enquanto a depressão pós-parto configura-se como fator de risco.

Efetividade da auriculoterapia sobre a ansiedade no trabalho de parto: ensaio clínico randomizado

Effectiveness of auriculotherapy on anxiety during labor: a randomized clinical trial

Reginaldo Roque Mafetoni, Mariana Haddad Rodrigues, Lia Maristela da Silva Jacob, Antonieta Keiko Kakuda Shimo

Objetivo: avaliar a efetividade da auriculoterapia sobre a ansiedade de mulheres durante o trabalho de parto. Método: trata-se um ensaio clínico randomizado, paralelo e triplo-cego. Foram selecionadas 102 parturientes com idade gestacional ≥ 37 semanas, dilatação cervical ≥ 4 cm e duas ou mais contrações em 10 minutos. As participantes foram divididas aleatoriamente em três grupos, para receber auriculoterapia, placebo ou controle (cuidados de rotina). A auriculoterapia foi aplicada com microesferas de cristais nos pontos shenmen, útero, área de neurastenia e endócrino, e a ansiedade avaliada pela Escala de Ansiedade de Hamilton (HAM-A). As análises foram realizadas por meio dos testes: Kruskal-Wallis, Generalized estimating equations, Qui-quadrado e exato de Fisher. Resultados: os grupos não mostraram diferença significativa pela HAM-A na admissão do estudo. Após a intervenção, com 120 minutos houve aumento significativo nas pontuações da HAM-A no grupo placebo versus auriculoterapia (diferença média (DM) 3,62, intervalo de confiança (IC) 0,42-6,81, p=0,0265) e controle versus auriculoterapia (DM 4,88, IC 1,87-7,88, p=0,0015). Conclusão: as parturientes com auriculoterapia apresentaram menor nível de ansiedade por meio da pontuação da HAM-A após o tratamento quando comparadas às mulheres dos outros grupos; o que pode se tornar um cuidado alternativo na prática obstétrica. Registro: n. RBR-47hhbj.

Modelo preditivo de fragilidade física em idosos longevos

Physical frailty prediction model for the oldest old

Jacy Aurelia Vieira de Sousa, Maria Helena Lenardt, Clóris Regina Blanski Grden, Luciana Kusomota, Mara Solange Gomes Dellaroza, Susanne Elero Betiolli

Objetivo: apresentar um modelo preditivo de fragilidade física para idosos longevos usuários da atenção básica de saúde, segundo variáveis clínicas. Método: estudo transversal com amostra estratificada proporcional de 243 idosos longevos. Os dados foram coletados por meio de formulário clínico estruturado, testes de aferição da força de preensão manual e velocidade da marcha, verificação da perda de peso, fadiga/exaustão e nível de atividade física. Para análise dos dados, foi empregada análise univariada e multivariada por regressão logística (p<0,05), que resultou em modelos preditores, dos quais foram calculados odds ratio (Intervalo de Confiança 95%). Cada modelo foi avaliado pela análise de deviance, valor preditivo, especificidade e sensibilidade, sendo considerado elegível o mais parcimonioso. Todos os preceitos éticos e legais foram atendidos. Resultados: o modelo preditivo eleito foi composto pelas variáveis doenças metabólicas, dislipidemias e hospitalização nos últimos 12 meses. Conclusão: infere-se que variáveis clínicas interferem no desenvolvimento da síndrome da fragilidade física em idosos longevos usuários da atenção básica de saúde. A eleição de um modelo de regressão de fragilidade física constitui-se como o primeiro passo na elaboração de condutas clínicas de avaliação de idosos longevos na atenção primária.

Commitment organizacional, qualidades psicométricas e invariância do questionário de Meyer e Allen em enfermeiros portugueses

Organizational commitment, psychometric qualities and invariance of the Meyer and Allen Questionnaire for Portuguese Nurses

Teresa Neves, João Graveto, Victor Rodrigues, João Marôco, Pedro Parreira

Objetivo: avaliar as qualidades psicométricas da versão portuguesa do Questionário de Comprometimento Organizacional, para o contexto da enfermagem, através de análise confirmatória e de invariância, visando a confiabilidade, consistência interna, validade de construto e a validade externa do instrumento. Método:procedeu-se à análise fatorial confirmatória da versão portuguesa do questionário, numa amostra de 850 enfermeiros, em contexto hospitalar. Complementou-se a análise com recurso à pesquisa de especificação. A qualidade de ajustamento foi avaliada através de diferentes índices. Estimou-se a confiabilidade, consistência interna e validade de construto. A invariância do modelo foi avaliada em duas subamostras, da amostra global, por forma a confirmar a validade externa da solução fatorial. Resultados: O modelo obtido após refinamento demonstrou bom ajustamento global (χ2/df=6,37; CFI=0,91; GFI=0,92; RMSEA=0,08; MECVI=0,62). A estrutura fatorial revelou-se estável (λ:Δχ2(14)=18,31; p=0,193; Interceptos: Δχ2(14)=22,29; p=0,073; Covariância: Δχ2(3)=6,01; p=0,111; Resíduos: Δχ2(15)=22,44; p=0,097). Conclusão: o modelo simplificado do questionário revelou boa qualidade de ajustamento, apresentando uma solução fatorial estável. O instrumento revelou-se ajustado para monitorizar e avaliar o comprometimento organizacional dos enfermeiros portugueses.

Escala de avaliação de habilidades não técnicas em enfermagem: construção, desenvolvimento e validação

Non-technical skills assessment scale in nursing: construction, development and validation

Sara Martins Pereira Pires, Sara Otília Marques Monteiro, Anabela Maria Sousa Pereira, Joana Novaes Machado Stocker, Daniela de Mascarenhas Chaló, Elsa Maria de Oliveira Pinho de Melo

A introdução de habilidades não técnicas durante o ensino de enfermagem é fundamental para preparar os enfermeiros para o contexto clínico e aumentar a segurança do paciente. Não foram encontrados quaisquer instrumentos desenvolvidos para essa finalidade. Objetivos: construir, desenvolver e validar uma escala de avaliação de habilidades não técnicas em enfermagem. Método: pesquisa metodológica. Com base na revisão da literatura e na experiência dos pesquisadores em habilidades não técnicas em saúde, e no conhecimento dos princípios do gerenciamento de recursos em crises, foi construída uma lista de 63 itens e com uma escala Likert de cinco pontos. A escala foi aplicada em 177 estudantes de graduação em enfermagem. Estatística descritiva, correlações, análises de consistência interna e análise fatorial exploratória foram realizadas para avaliar as propriedades psicométricas da escala. Resultados: os itens da escala apresentaram valores semelhantes para média e mediana. Os valores máximo e mínimo mostraram uma boa distribuição em todas as opções de resposta. A maioria dos itens apresentou uma relação significativa e positiva. O alfa de Cronbach apresentou um bom valor (0,94) e a maioria das correlações foi significativa e positiva. A análise fatorial exploratória através do teste de Kaiser-Meyer-Olkin apresentou um valor de 0,849, e o teste de Bartlett apresentou valores de esfericidade adequados (χ2=6483.998; p=0.000). O modelo de um fator explicou 26% da variância total. Conclusão: a formação em habilidades não técnicas e sua mensuração poderiam ser incluídos nos programas de graduação ou pós-graduação de profissões da saúde, ou até mesmo serem utilizadas para avaliar as necessidades e melhorias nos contextos de cuidados de saúde.

Revisão cientométrica das pesquisas de enfermagem sobre gestão da dor

Scientometric overview of nursing research on pain management

Hale Turhan Damar, Ozlem Bilik, Guzin Ozdagoglu, Aşkın Ozdagoglu, Muhammet Damar

Objetivos: analisar artigos científicos sobre dor e enfermagem, utilizando metodologias bibliométricas e cienciométricas. Método: artigos do banco de dados Web of Science que continham dor e enfermeiro e dor e enfermagem foram analisados utilizando métodos cientométricos, através de técnicas de visualização de dados e análise avançada de textos. Resultado: dos 107.559 artigos científicos encontrados na área de enfermagem, 3.976 deles foram escritos com base nas palavras-chave dor e enfermagem, e foram considerados em consonância com o âmbito de aplicação deste estudo. As análises preliminares indicaram que as publicações têm aumentado ao longo dos anos, com pequenas flutuações. Títulos, palavras-chave e resumos foram analisados através de análise de texto para revelar agrupamentos de palavras-chave e estruturas de temas. Estudos sobre oncologia e dor no campo da enfermagem têm uma frequência relativamente maior. Conclusão: os resultados das análises revelaram as características da literatura atual em uma ampla gama de áreas, considerando-se dimensões específicas. Portanto, os resultados podem respaldar pesquisas atuais e futuras neste campo, proporcionando informações sobre redes, tendências e conteúdos da literatura em questão.

Ação da auriculoacupuntura em pessoas com dor crônica na coluna vertebral: ensaio clínico randomizado

Action of ear acupuncture in people with chronic pain in the spinal column: a randomized clinical trial

Caroline de Castro Moura, Denise Hollanda Iunes, Silvia Graciela Ruginsk, Valéria Helena Salgado Souza, Bianca Bacelar de Assis, Erika de Cássia Lopes Chaves

Objetivos: avaliar a ação da auriculoacupuntura na incapacidade e na temperatura tissular de pessoas com dor crônica na coluna vertebral. Método: ensaio clínico com amostra de 110 pessoas, randomizadas em três grupos: Tratado, Placebo e Controle. Os instrumentos de avaliação foram o Questionário de Incapacidade de Rolland Morris e uma câmera termográfica, aplicados antes da primeira sessão de tratamento, uma semana após e 15 dias após (follow up) à quinta sessão de auriculoacupuntura. Na análise dos dados, aplicaram-se os testes Kruskal-Wallis, Student-Newman-Keuls e Wilcoxon. Resultados: houve redução significativa da incapacidade nos grupos Tratado e Placebo entre as avaliações inicial e final (p<0,05) e entre as avaliações inicial e follow up (p<0,05). Na avaliação final, o grupo Tratado apresentou melhora da incapacidade se comparado ao Placebo e ao Controle (p<0,05). Houve aumento na temperatura média tissular da região dorsal entre as avaliações inicial e follow up no Tratado e Controle (p<0,05). Entre as avaliações final e follow up no Tratado e Placebo (p<0,05). Conclusão: a auriculoacupuntura foi eficaz para reduzir a incapacidade e aumentar a temperatura tissular em pessoas com dor crônica na coluna vertebral. Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-5X69X2).

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br