JCR: 0,712; SJR: 0,339; H Index Scopus: 29; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V26

Editorial

A inclusão da saúde mental na agenda da saúde pública internacional e o protagonismo da enfermagem no processo

The inclusion of mental health in the international public health agenda and the leading role of nursing in this process

Sueli Frari Galera

A Educação Interprofissional em saúde na Região das Américas

Interprofessional Health Education in the Region of the Americas

Fernando Antonio Menezes da Silva, Silvia Helena De Bortoli Cassiani, José Rodrigues Freire Filho

Gestão editorial e os 25 anos da Revista Latino-Americana de Enfermagem

Editorial management and the 25 years of the Latin American Journal of Nursing

Maria Helena Palucci Marziale

Artigos Originais

Validade e confiabilidade da versão turca da escala de avaliação do Ambiente de Aprendizagem Clínica, Supervisão e Professor de Enfermagem (CLES+T)

Validity and reliability of the Clinical Learning Environment, Supervision and Nurse Teacher (CLES+T), Turkish version

Selma Atay, Fatma Yılmaz Kurt, Gülbahar Korkmaz Aslan, Mikko Saarikoski, Hilal Yılmaz, Volkan Ekinci

Objetivo: Um estudo do tipo metodológico foi desenvolvido com o propósito de investigar a validade e a confiabilidade da versão turca da escala de avaliação do Ambiente de Aprendizagem Clínica, Supervisão e Professor de Enfermagem (CLES + T) no ambiente de aprendizagem clínica de estudantes, enfermeiros clínicos e educadores. Métodos: A amostra foi composta por 602 estudantes de enfermagem turcos com experiência na prática clínica hospitalar. O CLES + T, desenvolvido por Saarikoski, foi utilizado para coleta de dados. Equivalência de linguagem, consistência interna, correlação item-total e validade de estrutura foram avaliados no escopo do estudo de validade e confiabilidade na escala CLES + T. Resultados: As correlações item-total de quatro itens foram inferiores a 0,30, e tais itens foram removidos da escala como resultado da análise de itens. O valor alfa de Cronbach da escala foi de 0,93-0,99; as correlações item-total da escala variaram entre 0,45 e 0,66; seis fatores foram identificados na análise fatorial da escala, com uma variância total explicada por esses seis fatores de 64%. Conclusão: De acordo com os resultados da pesquisa, a versão turca do escala CLES+T foi considerada válida e confiável, a qual pode ser usada para avaliar a satisfação de estudantes de enfermagem com sua educação clínica na Turquia.

Autoeficácia para amamentação e depressão pós-parto: estudo de coorte

Breastfeeding self-efficacy and postpartum depression: a cohort study

Erika de Sá Vieira, Nathalia Torquato Caldeira, Daniella Soares Eugênio, Marina Moraes di Lucca, Isília Aparecida Silva

Objetivo: avaliar a autoeficácia para amamentação, a presença de sintomas de depressão no período pós-parto e a associação entre autoeficácia na amamentação e depressão pós-parto, com a interrupção do aleitamento materno exclusivo. Método: estudo de coorte realizado com 83 mulheres. Os instrumentos utilizados foram a Escala de Autoeficácia para amamentação e a Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo. A análise estatística foi feita por meio dos testes log-rank, análise de variância e modelo de sobrevivência de Cox. Resultados: os níveis de autoeficácia para amamentação (p=0,315) e depressão pós-parto (p=0,0879), ao longo do tempo, não evidenciaram diferença estatística. As chances de interrupção do aleitamento materno exclusivo diminuem em 48% com a melhora do nível baixo de autoeficácia para médio e em 80% de médio para alto. Puérperas com escore ≥10 na Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo interrompem o aleitamento exclusivo, em média, 10 dias antes do que aquelas com escore ≤9, cuja mediana de aleitamento materno foi de 38 dias após o parto. Conclusão: a autoeficácia para amamentação revelou-se como fator de proteção para o aleitamento materno exclusivo, enquanto a depressão pós-parto configura-se como fator de risco.

Efetividade da auriculoterapia sobre a ansiedade no trabalho de parto: ensaio clínico randomizado

Effectiveness of auriculotherapy on anxiety during labor: a randomized clinical trial

Reginaldo Roque Mafetoni, Mariana Haddad Rodrigues, Lia Maristela da Silva Jacob, Antonieta Keiko Kakuda Shimo

Objetivo: avaliar a efetividade da auriculoterapia sobre a ansiedade de mulheres durante o trabalho de parto. Método: trata-se um ensaio clínico randomizado, paralelo e triplo-cego. Foram selecionadas 102 parturientes com idade gestacional ≥ 37 semanas, dilatação cervical ≥ 4 cm e duas ou mais contrações em 10 minutos. As participantes foram divididas aleatoriamente em três grupos, para receber auriculoterapia, placebo ou controle (cuidados de rotina). A auriculoterapia foi aplicada com microesferas de cristais nos pontos shenmen, útero, área de neurastenia e endócrino, e a ansiedade avaliada pela Escala de Ansiedade de Hamilton (HAM-A). As análises foram realizadas por meio dos testes: Kruskal-Wallis, Generalized estimating equations, Qui-quadrado e exato de Fisher. Resultados: os grupos não mostraram diferença significativa pela HAM-A na admissão do estudo. Após a intervenção, com 120 minutos houve aumento significativo nas pontuações da HAM-A no grupo placebo versus auriculoterapia (diferença média (DM) 3,62, intervalo de confiança (IC) 0,42-6,81, p=0,0265) e controle versus auriculoterapia (DM 4,88, IC 1,87-7,88, p=0,0015). Conclusão: as parturientes com auriculoterapia apresentaram menor nível de ansiedade por meio da pontuação da HAM-A após o tratamento quando comparadas às mulheres dos outros grupos; o que pode se tornar um cuidado alternativo na prática obstétrica. Registro: n. RBR-47hhbj.

Modelo preditivo de fragilidade física em idosos longevos

Physical frailty prediction model for the oldest old

Jacy Aurelia Vieira de Sousa, Maria Helena Lenardt, Clóris Regina Blanski Grden, Luciana Kusomota, Mara Solange Gomes Dellaroza, Susanne Elero Betiolli

Objetivo: apresentar um modelo preditivo de fragilidade física para idosos longevos usuários da atenção básica de saúde, segundo variáveis clínicas. Método: estudo transversal com amostra estratificada proporcional de 243 idosos longevos. Os dados foram coletados por meio de formulário clínico estruturado, testes de aferição da força de preensão manual e velocidade da marcha, verificação da perda de peso, fadiga/exaustão e nível de atividade física. Para análise dos dados, foi empregada análise univariada e multivariada por regressão logística (p<0,05), que resultou em modelos preditores, dos quais foram calculados odds ratio (Intervalo de Confiança 95%). Cada modelo foi avaliado pela análise de deviance, valor preditivo, especificidade e sensibilidade, sendo considerado elegível o mais parcimonioso. Todos os preceitos éticos e legais foram atendidos. Resultados: o modelo preditivo eleito foi composto pelas variáveis doenças metabólicas, dislipidemias e hospitalização nos últimos 12 meses. Conclusão: infere-se que variáveis clínicas interferem no desenvolvimento da síndrome da fragilidade física em idosos longevos usuários da atenção básica de saúde. A eleição de um modelo de regressão de fragilidade física constitui-se como o primeiro passo na elaboração de condutas clínicas de avaliação de idosos longevos na atenção primária.

Commitment organizacional, qualidades psicométricas e invariância do questionário de Meyer e Allen em enfermeiros portugueses

Organizational commitment, psychometric qualities and invariance of the Meyer and Allen Questionnaire for Portuguese Nurses

Teresa Neves, João Graveto, Victor Rodrigues, João Marôco, Pedro Parreira

Objetivo: avaliar as qualidades psicométricas da versão portuguesa do Questionário de Comprometimento Organizacional, para o contexto da enfermagem, através de análise confirmatória e de invariância, visando a confiabilidade, consistência interna, validade de construto e a validade externa do instrumento. Método:procedeu-se à análise fatorial confirmatória da versão portuguesa do questionário, numa amostra de 850 enfermeiros, em contexto hospitalar. Complementou-se a análise com recurso à pesquisa de especificação. A qualidade de ajustamento foi avaliada através de diferentes índices. Estimou-se a confiabilidade, consistência interna e validade de construto. A invariância do modelo foi avaliada em duas subamostras, da amostra global, por forma a confirmar a validade externa da solução fatorial. Resultados: O modelo obtido após refinamento demonstrou bom ajustamento global (χ2/df=6,37; CFI=0,91; GFI=0,92; RMSEA=0,08; MECVI=0,62). A estrutura fatorial revelou-se estável (λ:Δχ2(14)=18,31; p=0,193; Interceptos: Δχ2(14)=22,29; p=0,073; Covariância: Δχ2(3)=6,01; p=0,111; Resíduos: Δχ2(15)=22,44; p=0,097). Conclusão: o modelo simplificado do questionário revelou boa qualidade de ajustamento, apresentando uma solução fatorial estável. O instrumento revelou-se ajustado para monitorizar e avaliar o comprometimento organizacional dos enfermeiros portugueses.

Escala de avaliação de habilidades não técnicas em enfermagem: construção, desenvolvimento e validação

Non-technical skills assessment scale in nursing: construction, development and validation

Sara Martins Pereira Pires, Sara Otília Marques Monteiro, Anabela Maria Sousa Pereira, Joana Novaes Machado Stocker, Daniela de Mascarenhas Chaló, Elsa Maria de Oliveira Pinho de Melo

A introdução de habilidades não técnicas durante o ensino de enfermagem é fundamental para preparar os enfermeiros para o contexto clínico e aumentar a segurança do paciente. Não foram encontrados quaisquer instrumentos desenvolvidos para essa finalidade. Objetivos: construir, desenvolver e validar uma escala de avaliação de habilidades não técnicas em enfermagem. Método: pesquisa metodológica. Com base na revisão da literatura e na experiência dos pesquisadores em habilidades não técnicas em saúde, e no conhecimento dos princípios do gerenciamento de recursos em crises, foi construída uma lista de 63 itens e com uma escala Likert de cinco pontos. A escala foi aplicada em 177 estudantes de graduação em enfermagem. Estatística descritiva, correlações, análises de consistência interna e análise fatorial exploratória foram realizadas para avaliar as propriedades psicométricas da escala. Resultados: os itens da escala apresentaram valores semelhantes para média e mediana. Os valores máximo e mínimo mostraram uma boa distribuição em todas as opções de resposta. A maioria dos itens apresentou uma relação significativa e positiva. O alfa de Cronbach apresentou um bom valor (0,94) e a maioria das correlações foi significativa e positiva. A análise fatorial exploratória através do teste de Kaiser-Meyer-Olkin apresentou um valor de 0,849, e o teste de Bartlett apresentou valores de esfericidade adequados (χ2=6483.998; p=0.000). O modelo de um fator explicou 26% da variância total. Conclusão: a formação em habilidades não técnicas e sua mensuração poderiam ser incluídos nos programas de graduação ou pós-graduação de profissões da saúde, ou até mesmo serem utilizadas para avaliar as necessidades e melhorias nos contextos de cuidados de saúde.

Revisão cientométrica das pesquisas de enfermagem sobre gestão da dor

Scientometric overview of nursing research on pain management

Hale Turhan Damar, Ozlem Bilik, Guzin Ozdagoglu, Aşkın Ozdagoglu, Muhammet Damar

Objetivos: analisar artigos científicos sobre dor e enfermagem, utilizando metodologias bibliométricas e cienciométricas. Método: artigos do banco de dados Web of Science que continham dor e enfermeiro e dor e enfermagem foram analisados utilizando métodos cientométricos, através de técnicas de visualização de dados e análise avançada de textos. Resultado: dos 107.559 artigos científicos encontrados na área de enfermagem, 3.976 deles foram escritos com base nas palavras-chave dor e enfermagem, e foram considerados em consonância com o âmbito de aplicação deste estudo. As análises preliminares indicaram que as publicações têm aumentado ao longo dos anos, com pequenas flutuações. Títulos, palavras-chave e resumos foram analisados através de análise de texto para revelar agrupamentos de palavras-chave e estruturas de temas. Estudos sobre oncologia e dor no campo da enfermagem têm uma frequência relativamente maior. Conclusão: os resultados das análises revelaram as características da literatura atual em uma ampla gama de áreas, considerando-se dimensões específicas. Portanto, os resultados podem respaldar pesquisas atuais e futuras neste campo, proporcionando informações sobre redes, tendências e conteúdos da literatura em questão.

Ação da auriculoacupuntura em pessoas com dor crônica na coluna vertebral: ensaio clínico randomizado

Action of ear acupuncture in people with chronic pain in the spinal column: a randomized clinical trial

Caroline de Castro Moura, Denise Hollanda Iunes, Silvia Graciela Ruginsk, Valéria Helena Salgado Souza, Bianca Bacelar de Assis, Erika de Cássia Lopes Chaves

Objetivos: avaliar a ação da auriculoacupuntura na incapacidade e na temperatura tissular de pessoas com dor crônica na coluna vertebral. Método: ensaio clínico com amostra de 110 pessoas, randomizadas em três grupos: Tratado, Placebo e Controle. Os instrumentos de avaliação foram o Questionário de Incapacidade de Rolland Morris e uma câmera termográfica, aplicados antes da primeira sessão de tratamento, uma semana após e 15 dias após (follow up) à quinta sessão de auriculoacupuntura. Na análise dos dados, aplicaram-se os testes Kruskal-Wallis, Student-Newman-Keuls e Wilcoxon. Resultados: houve redução significativa da incapacidade nos grupos Tratado e Placebo entre as avaliações inicial e final (p<0,05) e entre as avaliações inicial e follow up (p<0,05). Na avaliação final, o grupo Tratado apresentou melhora da incapacidade se comparado ao Placebo e ao Controle (p<0,05). Houve aumento na temperatura média tissular da região dorsal entre as avaliações inicial e follow up no Tratado e Controle (p<0,05). Entre as avaliações final e follow up no Tratado e Placebo (p<0,05). Conclusão: a auriculoacupuntura foi eficaz para reduzir a incapacidade e aumentar a temperatura tissular em pessoas com dor crônica na coluna vertebral. Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (RBR-5X69X2).

Efeito de tecnologia educacional jogo de tabuleiro no conhecimento de escolares sobre aleitamento materno

Effect of the board game as educational technology on schoolchildren’s knowledge on breastfeeding

Fernanda Demutti Pimpão Martins, Luciana Pedrosa Leal, Francisca Márcia Pereira Linhares, Alessandro Henrique da Silva Santos, Gerlaine de Oliveira Leite, Cleide Maria Pontes

Objetivo: avaliar o efeito de uma tecnologia educacional do tipo jogo de tabuleiro no conhecimento de escolares sobre aleitamento materno. Método: ensaio clínico randomizado por conglomerado, realizado em nove escolas, com 99 crianças do 3º ano do ensino fundamental (grupo controle = 51 e intervenção = 48). O pré-teste foi realizado em ambos os grupos; a intervenção consistiu na aplicação de tecnologia educacional imediatamente após o pré-teste no grupo intervenção; e o pós-teste foi aplicado no sétimo e no trigésimo dia em ambos os grupos. Para análise do conhecimento das crianças sobre amamentação consideraram-se as médias dos escores do pré e pós-teste, utilizando-se o teste de Mann-Whitney para comparação das médias entre os grupos, e o de Wilcoxon dentro do mesmo grupo. Resultados: no pré-teste, não houve diferença significante entre os grupos. No seguimento, na comparação entre os grupos, verificaram-se médias mais elevadas no grupo intervenção, no sétimo (19,68±1,788) e no trigésimo dia (20,16±1,260), com diferença estatisticamente significativa. Dentro do grupo intervenção, houve aumento significativo das médias do pré-teste (15,89±3,082) para o trigésimo dia (20,16±1,260). Conclusão: a intervenção educacional contribuiu significativamente para o aumento dos escores de conhecimento das crianças acerca da amamentação no grupo intervenção. UTN: U1111-1184-7386.

Relação entre sintomatologia ansiosa, depressiva e compulsão alimentar em pacientes com doenças cardiovasculares

Relationship between anxiety, depressive symptoms and compulsive overeating disorder in patients with cardiovascular diseases

Géssica Damares Garcia, Daniele Alcalá Pompeo, Letícia Palota Eid, Cláudia Bernardi Cesarino, Maria Helena Pinto, Laryssa Wilson Paiva Gonçalves

Objetivos: identificar a presença de compulsão alimentar em pacientes com doenças cardiovasculares e verificar sua relação com variáveis sociodemográficas e clínicas e presença de sintomas ansiosos e depressivos. Método: estudo correlacional, de corte transversal, com amostra constituída por 111 pacientes com doenças cardiovasculares. A presença de sintomas ansiosos e depressivos foi avaliada pelo instrumento hospital anxiety and depression scale e a compulsão alimentar foi avaliada por meio de um instrumento likert denominado Escala de compulsão alimentar periódica (binge eating scale). Resultados: houve predomínio de pacientes sem compulsão alimentar (n=91; 82%), seguida da presença de pacientes com compulsão alimentar moderada (n=15; 13,5%) e grave (n=5; 4,5%), sendo associada a níveis elevados de índice de massa corporal (p=0,010) e à presença de sintomas ansiosos (p=0,017). Conclusão: a compulsão alimentar esteve presente em 18% dos pacientes, estando associada ao índice de massa corporal e à ansiedade, sugerindo que os profissionais da saúde devem se atentar para a avaliação integral do paciente com doenças cardiovasculares. Importantes resultados emergiram deste estudo, ressaltando a necessidade da implementação de programas para melhorar a saúde mental e física dos pacientes em serviços de atenção tanto primária como especializada.

Preditores de bem-estar e qualidade de vida em homens submetidos à prostatectomia radical: estudo longitudinal

Predictors of well-being and quality of life in men who underwent radical prostatectomy: longitudinal study

Adilson Edson Romanzini, Maria da Graça Pereira, Caroline Guilherme, Adauto José Cologna, Emilia Campos de Carvalho

Objetivo: identificar fatores preditores sociodemográficos, clínicos e psicológicos para o bem-estar e a qualidade de vida de homens submetidos à prostatectomia radical, em seguimento de 360 dias. Método: trata-se de um estudo longitudinal, com 120 homens submetidos à prostatectomia radical. Foram utilizados questionários para caracterização e avaliação clínica do participante, bem como os instrumentos Escala Visual Analógica de Dor, Inventário de Estratégias de Coping, Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão, Escala de Satisfação com o Suporte Social, Escala de Satisfação Conjugal, Escala de Bem-estar Subjetivo e o Expanded Prostate Cancer Index. Para análise dos dados, utilizou-se o modelo linear de efeitos mistos. Resultados: fatores sociodemográficos idade e raça não se mostraram preditores das variáveis dependentes; tempo de cirurgia, enfrentamento focado no problema e ansiedade foram preditores para bem-estar subjetivo; dor, ansiedade e depressão foram preditores negativos de qualidade de vida; estratégia de enfrentamento focado na emoção, positivo. A não satisfação conjugal foi preditora para ambas variáveis. Conclusões: foram identificados fatores preditores distintos da literatura: desejo de mudança nos níveis de satisfação conjugal apresentou relação positiva com qualidade de vida e bem-estar; modo de enfrentamento focado na emoção foi preditor de qualidade de vida; e ansiedade foi preditor de bem-estar subjetivo.

Riscos de adoecimento no trabalho da equipe de enfermagem em um hospital psiquiátrico

Risks of illness in the work of the nursing team in a psychiatric hospital

Kayo Henrique Jardel Feitosa Sousa, Tayane Silva Gonçalves, Marize Barbosa Silva, Elizabeth Camacho Fonseca Soares, Maria Luiza Figueiredo Nogueira, Regina Célia Gollner Zeitoune

Objetivo: Analisar os riscos de adoecimento do trabalhador de enfermagem relacionados ao contexto de trabalho em um hospital psiquiátrico. Método: Estudo transversal e quantitativo, desenvolvido em um hospital psiquiátrico, com 74 trabalhadores de enfermagem. Utilizou-se a Escala de Avaliação do Contexto de Trabalho, que permite medir os riscos de adoecimento no trabalho. Realizaram-se análises descritivas por meio de média e desvio padrão. Para testar a confiabilidade dos dados, utilizou-se o teste alfa de Cronbach. A correlação entre os fatores do contexto de trabalho foi testada por meio do coeficiente de correlação de Spearmann. Resultados: A organização do trabalho foi considerada crítica, as relações socioprofissionais satisfatórias e as condições de trabalho graves para riscos de adoecimento no trabalho. Os itens repetitividade das tarefas, condições de trabalho que oferecem riscos à segurança dos trabalhadores, mobiliário e estrutura física do posto de trabalho inadequados, bem como existência de barulho no ambiente de trabalho, indicaram riscos severos à saúde dos trabalhadores. Conclusão: O fator condições de trabalho é o que mais contribui para o adoecimento do trabalhador de enfermagem.

Avaliação do nível de conforto de cuidadores de pacientes com câncer em cuidados paliativos

Comfort level of caregivers of cancer patients receiving palliative care

Maisa Vitória Gayoso, Marla Andréia Garcia de Avila, Thays Antunes da Silva, Rúbia Aguiar Alencar

Objetivo: Verificar associação entre o nível de conforto do cuidador e variáveis sociodemográficas do cuidado realizado, com avaliação do estado funcional e sintomas do paciente. Método: Estudo transversal com amostragem não probabilística, de tipo intencional. Utilizaram-se os instrumentos Palliative Performance Scale (escore de zero a 100%), Escala de Avaliação de Sintomas de Edmonton (escore por sintoma de zero a dez) e Questionário de Conforto Holístico - cuidador (escore total de 49 até 294 e escore médio de 1 até 6). A relação dos escores de conforto em função das variáveis independentes foi realizada por regressão linear múltipla. Resultados: Participaram da pesquisa 50 cuidadores informais -80% do sexo feminino, 32% com 60 anos ou mais, 36% filhos(as), 58% exerciam trabalho remunerado e 60% não contavam com ajuda no cuidado. A média do conforto geral do cuidador foi de 4,52 pontos. Quanto maior a funcionalidade do paciente, maior é o conforto do cuidador. Os cuidadores com mais idade e que contaram com ajuda para o desempenho do cuidado possuem maiores escores de conforto. Conclusão: O nível de conforto dos cuidadores de pacientes com câncer acompanhados pelo serviço de cuidados paliativos apresentou associação com variáveis sociodemográficas, avaliação do estado funcional e sintomas do paciente.

A construção social da experiência de viver com uma doença renal crônica

Social construction of the experience of living with chronic kidney disease

Claudia Andrea Ramírez-Perdomo, Mari Carmen Solano-Ruíz

Objetivo: Compreender a experiência vivida por pessoas com Doença Renal Crônica que foram transplantadas, a partir dos significados construídos em relação ao fenômeno vivenciado. Método: Estudo hermenêutico-fenomenológico baseado nos cinco existenciais, de acordo com o referencial teórico de Van Manen. Onze pessoas transplantadas participaram do estudo, e os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, após a aprovação do estudo pelo comitê de ética da Universidade de Antioquia. Resultados: Surgiu o tema de Viver com Doença Renal Crônica, e os subtemas foram agrupados como existenciais de Temporalidade: algo inesperado, estar presente e não vê-la, ser jovem e estar doente. Relacionalidade: o apoio, se sentir atados e Doença Renal Crônica Terminal. Espacialidade: mudanças de vida, tristeza e depressão. Corporeidade: deterioração do corpo e alteração da vida sexual. Materialidade: impacto na situação econômica. Conclusões: O cuidado proporcionado às pessoas deve ser orientado para o reconhecimento de suas individualidades, entendendo o que a doença significa para o indivíduo e para a família, como eles vivem com ela e quais são as mudanças que enfrentam, levando-os a modificar sua vida e iniciar um processo de longa duração, como é o fato de viver com uma condição de natureza crônica.

O efeito da escuta terapêutica na ansiedade e medos de pacientes cirúrgicos: ensaio clínico aleatorizado

The effect of therapeutic listening on anxiety and fear among surgical patients: randomized controlled trial

Ana Cláudia Mesquita Garcia, Talita Prado Simão-Miranda, Ana Maria Pimenta Carvalho, Paula Condé Lamparelli Elias, Maria da Graça Pereira, Emilia Campos de Carvalho

Objetivo: Investigar o efeito da escuta terapêutica sobre a ansiedade estado e os medos relacionados à cirurgia em pacientes no pré-operatório de cirurgia de câncer colorretal. Método: Ensaio clínico, aleatorizado e controlado, realizado com 50 pacientes que foram aleatoriamente designados para o grupo intervenção (escuta terapêutica) (n=25) ou para o grupo controle (n=25). O estudo avaliou as mudanças nos níveis de ansiedade das variáveis ansiedade estado, medos relacionados à cirurgia e variáveis fisiológicas (alfa-amilase salivar, cortisol salivar, frequência de pulso, frequência respiratória e pressão arterial). Resultados: Na comparação das variáveis nos grupos controle e intervenção nos momentos pré e pós-intervenção, constataram-se diferenças entre os momentos no grupo controle para as variáveis cortisol (p=0,043), frequência de pulso (p=0,034) e medos relacionados à cirurgia (p=0,030), com redução dos valores dessas variáveis. Conclusão: Não houve redução nos níveis das variáveis ansiedade estado e medos relacionados à cirurgia decorrente da realização da escuta terapêutica, seja por meio dos indicadores fisiológicos ou psicológicos. Contudo, o acolhimento dado pela pesquisadora na coleta de dados, sem estímulo reflexivo à situação, pode ter gerado os resultados do grupo controle. Registro de Ensaio Clínico: NCT02455128.

Eficácia de uma intervenção educativa de Prática Baseada em Evidências com estudantes do segundo ano de enfermagem

Effectiveness of an Evidence-Based Practice educational intervention with second-year nursing students

Desirée Mena-Tudela, Víctor Manuel González-Chordá, Agueda Cervera-Gasch, María Loreto Maciá-Soler, María Isabel Orts-Cortés

Objetivos: avaliar a eficácia de uma intervenção educativa sobre os conhecimentos, competências e atitudes da prática baseada em evidências em estudantes do segundo ano do curso de enfermagem. Método: estudo quase-experimental, antes e depois. A população do estudo foi composta por 120 estudantes matriculados na cadeira de Cuidados de Enfermagem em Processos de Assistência Médica. A intervenção educativa foi baseada em aulas teóricas e práticas sobre o processo da prática baseada em evidências e o uso da técnica do incidente crítico durante o estágio clínico. A eficácia foi medida com o Questionário de Competências de Práticas Baseadas em Evidências em três medidas pareadas usando análise de variância de medidas repetidas. Resultados: os escores médios do Questionário de Competências da Prática Baseada em Evidências foram 79,83 (IC95% 78,63-81,03) para a medição basal, 84,53 (IC95% 83,23-85,83) para a medição intermédia e 84,91 (IC95% 83,26-86,55) para a medição final, com uma diferença estatisticamente significante entre as três medidas pareadas (p<0,001). Houve diferenças estatisticamente significantes em Atitudes (p = 0,034) e Conhecimento (p <0,001), mas não em Competências (p = 0,137). Conclusão: esta intervenção educativa baseada em aulas teóricas e práticas sobre o processo de prática baseada em evidências e o uso da técnica do incidente crítico durante o estágio clínico aumenta a competência de prática baseada em evidências em estudantes do segundo ano do curso de enfermagem.

Rota crítica de mulheres em situação de violência por parceiro íntimo

Critical path of women in situations of intimate partner violence

Daniella Yamada Baragatti, Diene Monique Carlos, Maria Neto da Cruz Leitão, Maria das Graças Carvalho Ferriani, Eliete Maria Silva

Objetivo: Conhecer e analisar a rota crítica de mulheres em situação de violência, na perspectiva das mesmas, perpetrada por parceiro íntimo até um Centro de Referência de um município brasileiro. Método: Pesquisa qualitativa, ancorada pelo conceito de rota crítica. Foram realizadas observações participantes do grupo de apoio do Centro de Referência e entrevistas com dez mulheres em situação de violência, acompanhadas por esse serviço. Resultados: os fatores motivadores para as mulheres buscarem ajuda foram o aumento da gravidade das agressões, o impacto da violência nos filhos e o apoio familiar. Passando por diversos setores e serviços antes do acesso ao Centro de Referência, tais como policial, jurídico, saúde e social. Tais mulheres encontram pouca resposta efetiva dos serviços, sendo que o acolhimento é apontado como fator de resposta mais relevante para enfrentamento da situação. Conclusão: O atendimento é fragmentado e dependente da postura do profissional que as atende. O Centro de Referência é reconhecido como importante local de apoio pelas mulheres. Além dos esforços governamentais para manter a rede estruturada, é fundamental a educação permanente dos profissionais atuantes.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br