JCR: 0,634; SJR: 0,396; H Index Scopus: 26; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V26

Artigos Originais

Estratégias de enfrentamento utilizadas por pessoas vivendo com aids frente à situação da doença

Coping strategies of people living with AIDS in face of the disease

Rafael Tavares Silveira Silva, Richardson Augusto Rosendo da Silva, Iellen Dantas Campos Verdes Rodrigues, Vinicius Lino de Souza Neto, Bárbara Coeli Oliveira da Silva, Francisca Marta de Lima Costa Souza

Objetivo: Identificar as estratégias de enfrentamento de pessoas vivendo com aids frente à situação da doença e analisá-las segundo variáveis socidemográficas, clínicas e hábitos de vida. Método: trata-se de um estudo transversal de cunho quantitativo. A amostra foi composta por 331 pessoas vivendo com aids atendidos em um ambulatório de um hospital de referência no tratamento da aids. Para coletar os dados, foi utilizado o Inventário de Estratégias de Enfrentamento. Resultados: Houve maior referência nos modos de enfrentamento focados na emoção. Os escores médios das mulheres, dos trabalhadores, dos religiosos e dos que nunca abandonaram o tratamento foram mais elevados para todos os fatores. Os usuários que possuíam companheiro, moravam com familiares e receberam apoio no tratamento apresentaram maiores escores médios para os fatores confronto, afastamento e suporte social. Quanto ao lazer e a prática de exercícios físicos também predominou os modos focados na emoção. Identificou-se correlação entre o tempo de tratamento, escolaridade e renda familiar e os fatores do Inventário de Estratégias de Enfrentamento. Conclusão: O estudo permitiu evidenciar que os modos de enfrentamento mais frequentes foram os focados na emoção.

Enfermeiro gestor universitário: uma teoria fundamentada nos dados

University management nurse: a grounded theory

Kamylla Santos da Cunha, Selma Regina de Andrade, Alacoque Lorenzini Erdmann

Objetivo: compreender o significado da gestão universitária realizada por enfermeiros gestores do curso de graduação em enfermagem de uma universidade pública. Método: pesquisa qualitativa, ancorada na teoria fundamentada nos dados. A coleta de dados ocorreu entre maio e setembro de 2016, com entrevistas abertas, no cenário de uma universidade pública federal. Respeitou-se a técnica de análise comparativa constante dos dados, obtendo amostragem teórica com 19 enfermeiros, em dois grupos amostrais. Resultados: emergiram três categorias que configuraram o fenômeno: Articulando coletivos complexos por meio da gestão universitária para a formação qualificada de novos enfermeiros. As categorias incluíram: a) condições, definidas por Percebendo o compromisso com o coletivo, experiências anteriores e formação para a gestão em saúde, como motivações para ser docente gestor; b) ações/interações, delimitadas por Conhecendo e reconhecendo, na prática, o processo de gestão universitária, limites e possibilidades na coordenação de assuntos coletivos complexos; e, c) consequências, como Aperfeiçoando o trabalho docente e se responsabilizando com a formação universitária. Conclusão: os enfermeiros docentes gestores significam a gestão universitária como um conjunto de ações individuais e coletivas que, articuladas em um ambiente social complexo, promovem condições para a formação de enfermeiros críticos e reflexivos com as demandas da sociedade.

Intervenção musical sobre a ansiedade e parâmetros vitais de pacientes renais crônicos: ensaio clínico randomizado

Musical intervention on anxiety and vital parameters of chronic renal patients: a randomized clinical trial

Geórgia Alcântara Alencar Melo, Andrea Bezerra Rodrigues, Mariana Alves Firmeza, Alex Sandro de Moura Grangeiro, Patrícia Peres de Oliveira, Joselany Áfio Caetano

Objetivo: avaliar o efeito de uma intervenção musical sobre a ansiedade e parâmetros vitais em doentes renais crônicos em comparação ao cuidado convencional de clínicas de hemodiálise. Método: ensaio clínico controlado randomizado realizado em três clínicas de terapia renal substitutiva. Foram alocadas aleatoriamente 60 pessoas com doença renal crônica em hemodiálise (30 no grupo experimental e 30 no grupo controle). A ansiedade-estado foi avaliada em ambos os grupos pelo State-Trait Anxiety Inventory. Para verificar o efeito da manipulação experimental sobre as variáveis estudadas foi utilizado o teste t de Student. Resultados: houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos no que diz respeito à ansiedade durante a sessão de hemodiálise. O grupo experimental apresentou redução estatisticamente significativa do escore de ansiedade após a audição musical (p = 0,03), bem como pressão arterial sistólica (p < 0,002), pressão arterial diastólica (p < 0,002), frequência cardíaca (p < 0,01) e frequência respiratória (p < 0,006). Conclusão: a música apresenta-se como uma potencial intervenção de enfermagem para a redução da ansiedade-estado durante sessões de hemodiálise. Registro Brasileiro de Ensaio Clinico: RBR-64b7x7.

Artigos de Revisão

Uso de trolamina para prevenção e tratamento da radiodermatite aguda: revisão sistemática e meta-análise

Use of trolamine to prevent and treat acute radiation dermatitis: a systematic review and meta-analysis

Amanda Gomes de Menêses, Paula Elaine Diniz dos Reis, Eliete Neves Silva Guerra, Graziela De Luca Canto, Elaine Barros Ferreira

Objetivo: avaliar os efeitos da trolamina na prevenção ou no tratamento da radiodermatite. Método: revisão sistemática e meta-análise. Em janeiro de 2016, foram desenvolvidas estratégias detalhadas de busca individual para Cinahl, Cochrane Library Central, LILACS, PubMed e Web of Science. Também foram realizadas buscas manuais para encontrar referências adicionais. Se utilizou Google Scholar para buscar a literatura cinzenta. Dois investigadores leram os títulos e resumos de cada referência cruzada de forma independente. O risco de viés dos estudos incluídos foi analisado com a ferramenta Cochrane Collaboration Risk of Bias Tool. A qualidade das evidências e a classificação da força das recomendações foram avaliadas mediante os Grades of Recommendation, Assessment, Development and Evaluation (GRADE). Resultados: foram identificados sete ensaios clínicos controlados. Os controles utilizados foram calêndula, placebo, preferência institucional / atenção padrão, Aquaphor®, RadiaCare™ e Lipiderm™. Os estudos foram agrupados utilizando a frequência de eventos e o índice de risco com intervalos de confiança de 95% em subgrupos, de acordo com a graduação da radiodermatite. Conclusão: com base nos estudos incluídos nesta revisão, a trolamina não pode ser considerada um produto padronizado para a prevenção ou o tratamento da radiodermatite em pacientes com câncer de mama e cabeça e pescoço.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br