JCR: 0,634; SJR: 0,396; H Index Scopus: 26; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número: V23N5

Editorial

Prática avançada de enfermagem: estratégias para formação e construção do conhecimento

Advanced nursing practice: strategies for training and knowledge building

Maria Lúcia Zanetti

Artigos Originais

Uso da classificação das intervenções de enfermagem na identificação da carga de trabalho da equipe de enfermagem em um centro cirúrgico

Use of the nursing intervention classification for identifying the workload of a nursing team in a surgical center

João Francisco Possari, Raquel Rapone Gaidzinski, Antônio Fernandes Costa Lima, Fernanda Maria Togeiro Fugulin, Tracy Heather Herdman

Objetivo: analisar a distribuição da carga de trabalho entre os profissionais de enfermagem, de acordo com a Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC), durante o período transoperatório, em um centro cirúrgico (CC) especializado em oncologia. Método: estudo transversal, observacional e descritivo. A amostra foi composta por 11 enfermeiros e 25 técnicos de enfermagem, que realizavam diversas funções dentro da sala de cirurgia, 16 técnicos de enfermagem, que trabalhavam com instrumentação cirúrgica, e dois técnicos de enfermagem da recepção de pacientes, que trabalhavam no CC durante o período transoperatório. Um instrumento foi desenvolvido para coletar dados e as intervenções foram validadas de acordo com a taxonomia da NIC. Resultados: foram identificadas 266 atividades, mapeadas em 49 intervenções de enfermagem, sete domínios e 20 classes da NIC. Os domínios mais representativos foram Fisiológico Complexo (61,68%) e Sistema de Saúde (22,12%), enquanto as intervenções mais frequentes foram Assistência Cirúrgica (30,62%) e Documentação (11,47%), respectivamente. A produtividade da equipe de enfermagem alcançou 95,34%. Conclusões: o uso da NIC evidencia a distribuição da carga de trabalho, contribuindo para a alocação adequada do efetivo de enfermagem.

Influência das intervenções assistenciais na continuidade do sono de pacientes em unidade de terapia intensiva

The influence of care interventions on the continuity of sleep of intensive care unit patients

Fernanda Luiza Hamze, Cristiane Chaves de Souza, Tânia Couto Machado Chianca

Objetivo: identificar intervenções assistenciais, realizadas pela equipe de saúde, e a influência das mesmas na continuidade do sono de pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva. Método: estudo descritivo com amostra de 12 pacientes. Para a coleta dos dados, utilizou-se técnica de filmagem. Os despertares do sono foram mensurados utilizando o método da actigrafia. A análise dos dados foi descritiva, processada no Statistical Package for the Social Sciences. Resultados: foram identificadas 529 intervenções assistenciais, agrupadas em 28 diferentes tipos, das quais 12 (42,8%) causaram despertares no sono dos pacientes. Observou-se média de 44,1 intervenções/paciente/dia e 1,8 intervenções/paciente/hora. A administração de medicamento e alimentação oral foram as intervenções que causaram despertares nos pacientes com maior frequência. Conclusão: identificou-se que as intervenções assistenciais podem prejudicar o sono dos pacientes internados em UTI. Recomenda-se que os profissionais de saúde repensem o planejamento das intervenções de acordo com a demanda individual dos pacientes e com diversificação de horários e introduzam novas práticas para melhorar a qualidade do sono de pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva.

Alto risco para síndrome da apneia obstrutiva do sono em pacientes com infarto agudo do miocárdio

High risk for obstructive sleep apnea in patients with acute myocardial infarction

Carla Renata Silva Andrechuk, Maria Filomena Ceolim

Objetivos: estratificar o risco para a síndrome da apneia obstrutiva do sono em pacientes com infarto agudo do miocárdio, atendidos em um hospital público, terciário e de ensino do Estado de São Paulo, Brasil, bem como identificar fatores sociodemográficos e clínicos relacionados. Método: estudo analítico transversal com 113 pacientes (média de idade 59,57 anos, 70,8% pertencentes ao sexo masculino). Utilizou-se questionário específico para caracterização sociodemográfica e clínica e o Questionário de Berlim para estratificação do risco da síndrome da apneia obstrutiva do sono. Resultados: a prevalência do alto risco foi de 60,2% e o desfecho de piora clínica na hospitalização foi mais frequente entre esses pacientes. Os fatores relacionados ao alto risco foram índice de massa corporal superior a 30kg/m2, hipertensão arterial e circunferência da cintura indicativa de risco cardiovascular, enquanto a idade mais avançada (60 anos ou mais) constituiu fator de proteção. Conclusão: considerando a elevada prevalência da síndrome da apneia obstrutiva do sono e a sua relação com piora clínica, sugere-se que o enfermeiro deve rastrear, na sua prática clínica, as pessoas com alto risco para essa síndrome, orientando medidas de controle dos fatores modificáveis e visando prevenir complicações associadas à mesma, entre elas o agravamento de doenças cardiovasculares.

Autoeficácia e morbidade psicológica no pós-operatório de prostatectomia radical

Postoperative self-efficacy and psychological morbidity in radical prostatectomy

Luciana Regina Ferreira da Mata, Emilia Campos de Carvalho, Cássia Regina Gontijo Gomes, Ana Cristina da Silva, Maria da Graça Pereira

Objetivo: avaliar a autoeficácia geral e percebida, a morbidade psicológica e conhecimento sobre cuidados pós-operatórios de pacientes submetidos à prostatectomia radical. Identificar as relações entre as variáveis e conhecer os preditores da autoeficácia. Método: estudo descritivo, transversal, realizado com 76 homens internados. Foram utilizadas as Escalas de Autoeficácia Geral e Percebida e a de Ansiedade e Depressão Hospitalar, além de questionários de caracterização sociodemográfica, clínica e de conhecimento. Resultados: encontrou-se relação negativa da autoeficácia com ansiedade e depressão. A morbidade psicológica foi variável preditora significativa da autoeficácia. Estar em situação profissional ativa e o tempo de espera pela cirurgia também revelaram-se variáveis relevantes na ansiedade e no conhecimento, respectivamente. Conclusão: os participantes apresentaram bom nível de autoeficácia geral e percebida e porcentagem reduzida de depressão. Com estes achados é possível traçar o perfil dos pacientes sobre suas necessidades psicológicas após prostatectomia radical e, assim, permitir que a enfermagem atue de forma holística, considerando não apenas as necessidades de cuidado de ordem física, mas a esfera psicossocial.

Validação de escala de autoconfiança para assistência de enfermagem na retenção urinária

Validation of the self-confidence scale of nursing care in urinary retention

Alessandra Mazzo, José Carlos Amado Martins, Beatriz Maria Jorge, Rui Carlos Negrão Batista, Rodrigo Guimarães dos Santos Almeida, Fernando Manuel Dias Henriques, Verónica Rita Dias Coutinho, Isabel Amélia Costa Mendes

Objetivo: validar instrumento para mensurar a autoconfiança na assistência de enfermagem na retenção urinária. Métodos: estudo de investigação metodológica, realizado após autorização ética. Foi aplicada a estudantes do Curso de Graduação em Enfermagem uma escala tipo Likert, de 32 itens, referentes à assistência de enfermagem na retenção urinária. Para a validação do instrumento, foi realizada análise da adequação amostral e dos componentes principais, rotação ortogonal Varimax e consistência interna. Resultados: numa amostra de 305 estudantes, houve elevada correlação de todos os itens com o total da escala, alpha de Cronbach 0,949. Os itens da escala foram divididos em: cinco fatores, com consistência interna de: Fator 1 (0,890), Fator 2 (0,874), Fator 3 (0,868), Fator 4 (0,814) e Fator 5 (0,773), respectivamente. Conclusão: a escala cumpre os requisitos de validade, demonstrando potencial para uso em avaliação e investigação.

O diálogo cultural na dimensão doméstica de atendimento em cuidadores imigrantes na Espanha

The cultural dialogue on the domestic dimension of care to immigrant caregivers in Spain

Isabel Morales-Moreno, Maravillas Giménez-Fernández, Paloma Echevarría-Pérez

Objetivos: determinar como o fenômeno da imigração influencia na resposta aos cuidados informais a nível doméstico por meio da atividade de um cuidador e analisar o diálogo cultural estabelecido na área habitacional de Múrcia (Espanha). Método: Trata-se de um estudo etnográfico, realizado em 26 cuidadores informais imigrantes. Como instrumentos de coleta de dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas e observação participante. Análise de conteúdo assistida MAXQDA-2 também foi aplicada. Resultados: a cuidadora imigrante é a principal consumidora de medicamentos tradicionais, estendendo essas práticas de saúde para o grupo doméstico. Um diálogo cultural é estabelecido no cuidado informal, caracterizado pela interculturalidade e adaptação mútua. Conclusões: identifica-se hibridização cultural nas cuidadoras informais imigrantes, intercâmbio e integração cultural: novas práticas de atendimento na saúde e comportamentos culturais em sistemas informais. Há uma transformação nos papéis familiares em atendimento em ambientes domésticos, aumentando a qualidade de vida e autocuidado. Eles representam uma alternativa à medicalização, promovendo a autogestão da saúde.

Perfil obstétrico de adolescentes grávidas em um hospital público: risco no início do trabalho de parto, parto, pós-parto e puerpério

Obstetric profile of pregnant adolescents in a public hospital: risk at beginning of labor, at delivery, postpartum, and in puerperium

Hugo Tapia Martínez, Marta Angélica Iossi Silva, Iñiga Pérez Cabrera, Araceli Jiménez Mendoza

Objetivo: descrever o perfil obstétrico das adolescentes no início do trabalho de parto, durante o parto, pós-parto e puerpério. Método: estudo descritivo transversal, com 85 adolescentes grávidas, escolhidas por conveniência, encaminhadas dos Centros de Saúde a um Hospital Público na Cidade do México. Foram avaliados os riscos antes, durante e depois do parto e no puerpério, medidos respectivamente com os “Previgenes” que compõem o Sistema de Avaliação de Risco Reprodutivo e Perinatal. Resultados: o nível socioeconômico, a ocupação e a escolaridade tiveram influência sobre a emotividade das adolescentes em relação ao trabalho de parto, cujo risco obstétrico foi 55% baixo, 35% médio e 10% alto. O risco no trabalho de parto foi baixo em 55%, médio em 18% e alto em 27%. O risco no pós-parto foi de 50% risco baixo, 25% risco médio e 25% risco alto. No puerpério, a maioria das adolescentes (90%) apresentou baixo risco. Conclusão: a maioria das adolescentes apresentou baixo risco nas etapas avaliadas. O estudo contribuiu para identificar estratégias para a abordagem de riscos devido à vulnerabilidade inerente a este tipo de população e favoreceu a realização de intervenções adequadas para as suas necessidades.

Um marco conceitual da clínica do cuidado de enfermagem na terapia intensiva

A conceptual framework of clinical nursing care in intensive care

Rafael Celestino da Silva, Márcia de Assunção Ferreira, Thémistoklis Apostolidis, Marcos Antônio Gomes Brandão

Objetivo: propor um marco conceitual para uma clínica do cuidado de enfermagem na terapia intensiva. Método: pesquisa de campo, descritiva e qualitativa, realizada com 21 enfermeiros de uma unidade de terapia intensiva de um hospital público federal. Realizou-se entrevista semiestruturada e análise de conteúdo temático e lexical, com apoio do software Alceste. Resultados: os elementos que caracterizam a clínica do cuidado na terapia intensiva emergem dos saberes especializados, da interação, do contexto do trabalho, dos tipos de paciente e de enfermeiro, próprios da terapia intensiva, e dos referenciais assistenciais. Conclusão: conclui-se que o marco conceitual da clínica do cuidado de terapia intensiva articula elementos próprios da dinâmica desse cenário: objetivos em relação às tecnologias e atenção aos equipamentos e subjetivos relacionados à interação humana, específicos dos cuidados de enfermagem, contrapondo-se às críticas pautadas na desumanização.

Estudo comparativo das formas de apropriação dos modelos da Qualidade Total e Lean Production nos serviços de saúde

Comparative study: TQ and Lean Production ownership models in health services

Natalia Yuri Eiro, Alvair Silveira Torres-Junior

Objetivo: como parte do processo de aplicação de modelos gerencias fundados na premissa da qualidade, muitas empresas adotaram e aderiram aos princípios de gestão da Qualidade Total (QT). As organizações da área de saúde seguiram o mesmo percurso com alguma defasagem de tempo em relação às organizações manufatureiras. A crescente competitividade entre as empresas de saúde corrobora a busca por soluções inovadoras capazes de reduzir custos, otimizar processos e planejar recursos. O objetivo deste estudo visa comparar a aplicação dos modelos da QT utilizados em processos de um serviço de saúde, os casos de Lean Healthcare da literatura e de uma outra instituição que já aplicou esse modelo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e descritiva que foi conduzida através de estudo de caso. A pesquisa possibilitou identificar que o modelo lean foi mais apropriado sistemicamente pelas pessoas que trabalham e geram o fluxo. E apontou para alguns desafios potenciais na introdução e implementação de métodos de lean na saúde.

Violência por parceiro íntimo e transtornos ansiosos na gestação: importância da formação profissional da equipe de enfermagem para o seu enfrentamento

Intimate partner violence and anxiety disorders in pregnancy: the importance of vocational training of the nursing staff in facing them

Mariana de Oliveira Fonseca-Machado, Juliana Cristina dos Santos Monteiro, Vanderlei José Haas, Ana Cristina Freitas de Vilhena Abrão, Flávia Gomes-Sponholz

Objetivo: identificar a relação entre transtorno de estresse pós-traumático, ansiedade-traço e estado e violência por parceiro íntimo, durante a gestação. Método: estudo observacional e transversal, desenvolvido com 358 gestantes. Foram utilizados o Post-Traumatic Stress Disorder Checklist – Civilian Version, o Inventário de Ansiedade Traço-Estado e uma versão adaptada do instrumento usado no World Health Organization Multi-country Study on Women’s Health and Domestic Violence. Resultados: após se ajustar ao modelo de regressão logística múltipla, a violência por parceiro íntimo, ocorrida durante a gestação, associou-se com o indicativo de transtorno de estresse pós-traumático. Os modelos de regressão linear múltipla ajustados evidenciaram que as vítimas de violência, na atual gestação, apresentaram maiores escores dos sintomas de ansiedade-traço e estado do que as não vítimas. Conclusão: reconhecer a violência por parceiro íntimo como um fator de risco clinicamente relevante e identificável, para a ocorrência de transtornos ansiosos, durante a gestação, pode ser um primeiro passo na prevenção desses problemas.

Apoio à mulher que denuncia o vivido da violência a partir de sua rede social

Support to women who denounce experiences of violence based on her social network

Letícia Becker Vieira, Ivis Emília de Oliveira Souza, Florence Romijn Tocantins, Florentina Pina-Roche

Objetivo: analisar as possibilidades de ajuda/apoio mediante o mapeamento e reconhecimento da rede social de mulheres que denunciam o vivido da violência, em uma Delegacia de Polícia para a Mulher. Método: estudo qualitativo, ancorado no referencial teórico-metodológico de Rede Social de Lia Sanicola, mediante entrevista junto a 19 mulheres. Resultados: a análise dos mapas de rede evidenciou a rede social primária mais presente que a rede secundária, no entanto, mesmo constituída por relações significativas, demonstra limitações. A rede secundária é acessada pelas mulheres em momentos pontuais da problemática da violência e/ou de suas repercussões em sua vida e saúde. Revelou-se a presença discreta dos serviços de saúde na composição da rede social e, quando mencionados, a relação profissional da saúde e da mulher foi caracterizada como frágil. Conclusão: a importância da rede social reside na criação de espaços de ajuda/apoio à mulher que transcenda o momento pontual da agressão, que a acompanhe em seu processo de emancipação de um viver anulado pela violência, compreendendo que cada mulher tem seu tempo para agir e tomar decisões no contexto relacional.

Mulheres vivenciando a intergeracionalidade da violência conjugal

Women experiencing the intergenerationality of conjugal violence

Gilvânia Patrícia do Nascimento Paixão, Nadirlene Pereira Gomes, Normélia Maria Freire Diniz, Margaret Ollinda de Souza Carvalho e Lira, Milca Ramaiane da Silva Carvalho, Rudval Souza da Silva

Objetivo: analisar a relação familiar, na infância e adolescência, de mulheres que vivenciam violência conjugal. Método: estudo qualitativo. Foram entrevistadas 19 mulheres, em vivência de violência conjugal, residentes em uma comunidade de Salvador, Bahia, Brasil. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (nº 42/2011). Resultados: os dados foram organizados pelo método Discurso do Sujeito Coletivo, identificando-se as ideias centrais síntese: presenciaram violência entre os pais; sofreram repercussões da violência entre os pais; indignaram-se com a submissão da mãe ao companheiro; e reproduziram a violência conjugal. O discurso mostrou que as mulheres presenciaram, na infância e adolescência, violência entre os pais, sendo agredidas fisicamente e moralmente. Diante da submissão da mãe surgiram sentimentos de indignação dos filhos. No entanto, na fase adulta, perceberam que sua vida conjugal assemelha-se a dos pais, reproduzindo a violência. Conclusão: é necessário o investimento em estratégias de rompimento da violência intergeracional, e os profissionais de saúde têm importância neste processo, por ser um fenômeno com repercussão na saúde. Por atuarem na Estratégia Saúde da Família, que foca na prevenção de agravos e doenças, promoção da saúde e intersetorialidade, os enfermeiros são essenciais no processo de prevenção e enfrentamento deste fenômeno.

Fatores associados ao clima de segurança do paciente em um hospital de ensino

Factors associated with the patient safety climate at a teaching hospital

Raíssa Bianca Luiz, Ana Lúcia de Assis Simões, Elizabeth Barichello, Maria Helena Barbosa

Objetivos: verificar a associação entre os escores do clima de segurança do paciente e as variáveis sociodemográficas e profissionais. Métodos: estudo observacional, seccional e quantitativo, realizado em um hospital público, de ensino e grande porte. Utilizou-se o instrumento Safety Attitudes Questionnaire, traduzido e validado para o Brasil. Para análise dos dados utilizou-se o software Statistical Package for the Social Sciences. Na análise bivariada utilizou-se o teste t de Student, análise de variância e correlação de Sperman (α= 0,05). Para identificação dos preditores sobre os escores do clima de segurança utilizou-se a regressão linear múltipla, tendo-se como desfecho principal o domínio clima de segurança (α= 0,01). Resultados: a maioria dos participantes era do sexo feminino, da equipe de enfermagem, atuavam na assistência direta com pacientes adultos, em áreas críticas, não possuíam pós-graduação e nem apresentavam outro vínculo empregatício. A média e a mediana do escore geral do instrumento foram de 61,8 (DP=13,7) e 63,3, respectivamente. Encontrou-se como fator associado ao clima de segurança a variável atuação profissional para o domínio percepção da gerência da unidade e do hospital (p=0,01). Conclusão: a identificação dos fatores associados ao clima de segurança permite a construção de estratégias para práticas seguras nas instituições hospitalares.

Adesão ao tratamento em pacientes com insuficiência cardíaca acompanhados por enfermeiras em duas clínicas especializadas

Treatment adherence in heart failure patients followed up by nurses in two specialized clinics

Andressa Freitas da Silva, Ana Carla Dantas Cavalcanti, Mauricio Malta, Cristina Silva Arruda, Thamires Gandin, Adriana da Fé, Eneida Rejane Rabelo-Silva

Objetivos: analisar a adesão ao tratamento da insuficiência cardíaca (IC) em pacientes acompanhados pela equipe de enfermagem em clínicas especializadas e sua associação com características dos pacientes, tais como número de consultas anteriores, estrutura familiar e comorbidades. Métodos: estudo transversal realizado em duas clínicas de referência para o tratamento de pacientes com IC (centro 1 e centro  2). Os dados foram obtidos por meio de um questionário composto por 10 itens com escores variando de 0 a 26 pontos; a adesão foi considerada adequada se a pontuação foi ≥18 pontos, ou 70% de adesão. Resultados: no total, 340 pacientes foram incluídos. A média do escore de adesão foi de 16 (±4) pontos. Além disso, 124 (36,5%) pacientes apresentaram uma taxa de adesão ≥70%. Demonstrou-se que os pacientes que viviam com suas famílias tiveram escores de adesão mais elevados, e que três ou mais consultas de enfermagem anteriores estavam significativamente associadas com uma adesão mais alta (p<0,001); a hipertensão estava associada com baixa adesão (p=0,023). Conclusões: a adesão ao tratamento foi considerada satisfatória em menos da metade dos pacientes acompanhados nas duas clínicas especializadas em IC. Viver com a família e comparecer a um grande número de consultas de enfermagem aumentaram a adesão, enquanto a presença de hipertensão levou a menor adesão.

Vivenciando a doação de órgãos: sentimentos de familiares pos consentimento

Experiencing organ donation: feelings of relatives after consent

Marli Elisa Nascimento Fernandes, Zélia Zilda Lourenço de Camargo Bittencourt, Ilka de Fátima Santana Ferreira Boin

Objetivo: identificar as vivências e sentimentos dos familiares de doadores em uma unidade transplantadora, frente ao processo de doação de órgãos. Método: trata-se de pesquisa exploratória com abordagem qualitativa, tendo como participantes do estudo sete familiares de diferentes doadores de órgãos selecionados mediante sorteio. Através de entrevistas semiestruturadas, foram coletados dados sociodemográficos e relativos as vivências do processo de doação. O material de linguagem foi transcrito e submetido à análise de conteúdo temático. Resultados: os participantes consideraram a pouca sensibilidade da equipe médica na comunicação da morte encefálica do familiar - potencial doador - e a ausência de suporte socioemocional diante da situação vivenciada pela família. Conclusões: o estudo identificou a necessidade de se oferecer maior apoio socioemocional aos familiares frente a vivência do processo de doação. A partir destes achados outras práticas de atenção e gestão na saúde poderão ser discutidas para impactar no fortalecimento dos vínculos familiares pós-doação, bem como nos índices de captação de órgãos.

Peritonite e infecção de orifício de saída do cateter em pacientes em diálise peritoneal no domicílio

Peritonitis and catheter exit-site infection in patients on peritoneal dialysis at home

Ana Cristina Freire Abud, Luciana Kusumota, Manoel Antônio dos Santos, Flávia Fernanda Luchetti Rodrigues, Marta Maria Coelho Damasceno, Maria Lúcia Zanetti

Objetivo: analisar as complicações relacionadas à peritonite e infecção de orifício de saída do cateter, em pacientes em diálise peritoneal no domicílio. Método: estudo quantitativo e transversal, realizado com 90 pacientes em diálise peritoneal no domicílio, em um município do Nordeste brasileiro. Para coleta de dados utilizaram-se dois roteiros estruturados e consulta aos prontuários de saúde. Foram utilizadas análises descritivas e testes de comparação entre grupos independentes, considerando o nível de significância estatística de p<0,05. Resultados: comparando-se a frequência de peritonite e o tempo de tratamento, constatou-se que pacientes com mais de dois anos de diálise peritoneal apresentaram maior chance de ter peritonite (X²=6,39; p=0,01). O número de episódios de infecção de orifício de saída do cateter peritoneal mostrou associação com o tempo de tratamento (U=224,000; p=0,015). Conclusão: a peritonite e infecção de orifício de saída do cateter estão associadas ao tempo de tratamento.

Características epidemiológicas dos casos de óbito por tuberculose e territórios vulneráveis

Epidemiological characteristics of cases of death from tuberculosis and vulnerable territories

Mellina Yamamura, Marcelino Santos-Neto, Rebeca Augusto Neman dos Santos, Maria Concebida da Cunha Garcia, Jordana de Almeida Nogueira, Ricardo Alexandre Arcêncio

Objetivo: caracterizar as diferenças do perfil clínico e epidemiológico dos casos de óbitos que tiveram a tuberculose como causa básica e causa associada, e analisar a distribuição espacial dos casos de óbito por tuberculose nos territórios de Ribeirão Preto, SP. Método: trata-se de estudo ecológico em que a população foi composta por 114 casos de óbito por tuberculose. Realizaram-se análise bivariada e da densidade de pontos definidas como estimativa de Kernel. Resultados: dos casos de óbito por tuberculose, 50 foram causa básica e 64 associada. Idade (p=0,008) e setor responsável pelo atestado do óbito (p=0,003) foram as variáveis que apresentaram associação estatisticamente significante com a causa do óbito. A distribuição espacial, em ambos os eventos, não ocorreu de forma aleatória, formando clusters em regiões do município. Conclusão: a diferença no perfil dos casos de óbito por tuberculose, como causa básica e como causa associada, esteve pautada na idade e no setor responsável pelo preenchimento da Declaração de Óbito. A não aleatoriedade da distribuição espacial dos casos sugere áreas vulneráveis à ocorrência desses eventos. Conhecer essas áreas pode contribuir para a escolha de estratégias de controle da doença.

Prevalência da Brucella spp em humanos

Prevalence of Brucella spp in humans

Catharina de Paula Oliveira Cavalcanti Soares, José Andreey Almeida Teles, Aldenir Feitosa dos Santos, Stemberg Oliveira Firmino Silva, Maria Vilma Rocha Andrade Cruz, Francisco Feliciano da Silva-Júnior

Objetivo: determinar a soroprevalência da Brucella spp em humanos. Método: trata-se de estudo observacional, desenvolvido com 455 indivíduos entre 18 e 64 anos, selecionados, que utilizavam a estratégia de saúde da família. As amostras de soro dos voluntários foram submetidas aos testes de antígeno acidificado tamponado, como triagem, imunodifusão em gel de ágar e aos testes de soroaglutinação lenta em tubos e 2-mercaptoetanol. Resultados: dentre as amostras, 1,98% reagiram ao antígeno acidificado tamponado, 2,85% à imunodifusão em gel ágar e 1,54% aos testes de soroaglutinação lenta em tubos/2-mercaptoetanol. Sendo a prevalência da Brucella spp de 4,4%, representada pelos dois últimos testes. Conclusão: os resultados desta pesquisa sugerem que a população estudada encontra-se exposta à infecção por Brucella spp.

Desenvolvimento de software para apoiar a tomada de decisão na seleção de diagnósticos e intervenções de enfermagem para crianças e adolescentes

Software development to support decision making in the selection of nursing diagnoses and interventions for children and adolescents

Kenya de Lima Silva, Yolanda Dora Martinez Évora, Camila Santana Justo Cintra

Objetivo: relatar o desenvolvimento de um software de apoio à tomada de decisão na seleção de diagnósticos e intervenções de Enfermagem para crianças e adolescentes, a partir da nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de Enfermagem de um hospital universitário da Paraíba. Método: trata-se de pesquisa metodológica aplicada, baseada na engenharia de software de Pressman, desenvolvida em três ciclos, a saber: elaboração do fluxograma, desenvolvimento da interface de navegação e elaboração das expressões funcionais e do desenvolvimento da programação. Resultado: o software consiste de telas administrativas e telas para o processo de enfermagem. O histórico é selecionado, automaticamente, de acordo com a faixa etária, os diagnósticos de enfermagem são sugeridos pelo sistema, depois de serem inseridas as informações, e podem ser indicados pelo enfermeiro. As intervenções para o diagnóstico escolhido são selecionadas estruturando-se o plano assistencial. Conclusão: acredita-se que o desenvolvimento dessa ferramenta empregada para documentar as ações de enfermagem contribuirá com a tomada de decisão e a qualidade da assistência.

A produção discursiva dos profissionais acerca da humanização em saúde: singularidade, direito e ética

The discursive production of professionals about humanizing health: singularity, rights and ethics

Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva, Denize Cristina de Oliveira, Eliane Ramos Pereira

Objetivo: descrever a produção discursiva dos profissionais acerca da humanização em saúde. Método: estudo qualitativo, de caráter descritivo, inspirado na Teoria das Representações Sociais, com 24 profissionais do campo da saúde, em atuação em hospital universitário com a política de humanização implantada. A seleção dos participantes foi feita seguindo-se os critérios de adequação e diversidade de uma amostragem intencional. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas. Resultados: através da análise do conteúdo, foram obtidas três categorias, em torno das quais foram desenvolvidas as análises: “humanização em saúde como ato de acolher o outro como único”, “humanização em saúde como questão de direito” e “humanização em saúde como uma questão ética”. Depreendeu-se que a produção discursiva dos profissionais baseia-se numa perspectiva que tem como solo a perspectiva humanista com viés sócio-histórico. Conclusão: considera-se indispensável que os profissionais do campo da saúde conheçam a Política Nacional de Humanização, a fim de que proporcionem assistência de qualidade, promovendo, assim, o encontro, acolhimento e reconhecimento de si mesmo, do outro e de sua profissão no cenário político e sócio-histórico de seu país, enquanto cidadão não só de direitos, mas também de deveres.

O cotidiano de enfermeiras e enfermeiros: relações de gênero, a partir do tempo no hospital

Nurses’ daily life: gender relations from the time spent in hospital

Audrey Vidal Pereira

Objetivo: analisar os tempos da vida cotidiana de enfermeiras e enfermeiros, através da divisão sexual do trabalho e das relações de interdependência, a partir do tempo no hospital. Método: estudo quantiqualitativo, embasado em pesquisas de Usos do Tempo e na Teoria da Configuração de Interdependências de Norbert Elias. Registro da distribuição dos tempos diários, realizado por 42 participantes, com autoconfrontação, por meio de entrevistas que suscitavam diálogos sobre os aspectos subjetivos das experiências cotidianas relacionadas aos usos do tempo, a partir do trabalho num hospital universitário. O aporte teórico que fundamentou a análise dos dados foi embasado em conceitos de conflitos de interesses, disputas de poder, divisão sexual do trabalho, monocronia e policronia. Resultados: os registros dos tempos permitiram observar diferenças entre os grupos estudados, sendo úteis para identificação de conflitos, tensões, disputas de poder e desigualdades de gênero nas relações cotidianas das(os) entrevistadas(os), que afetam não apenas a saúde física e mental, mas os modos de vida. Conclusão: O percurso analítico apontou a necessidade de políticas públicas que promovam equidade nas relações de gênero, com vistas ao exercício de posturas tolerantes e discursos plurais capazes de respeitar as diferenças entre os tempos individuais e coletivos.

Vigilância do desenvolvimento infantil: estudo de intervenção com enfermeiros da Estratégia Saúde da Família

Child development surveillance: intervention study with nurses of the Family Health Strategy

Altamira Pereira da Silva Reichert, Neusa Collet, Sophie Helena Eickmann, Marília de Carvalho Lima

Objetivo: avaliar a efetividade de uma ação educativa em vigilância do desenvolvimento infantil, de enfermeiros que atuam na atenção primária à saúde. Métodos: estudo de intervenção do tipo antes-depois, realizado com 45 enfermeiros e 450 mães de crianças menores de 2 anos. Inicialmente, avaliaram-se as práticas e conhecimentos dos enfermeiros quanto à vigilância do desenvolvimento infantil e entrevistaram-se as mães sobre estas práticas. Em seguida, realizaram-se oficinas com enfermeiros e após quatro meses reavaliaram-se os conhecimentos dos enfermeiros e as informações maternas. Resultados: após intervenção houve aumento significativo na frequência dos seguintes aspectos: de 73% para 100%, em relação à prática dos enfermeiros em perguntar a opinião das mães sobre o desenvolvimento dos filhos; de 42% para 91%, quanto à utilização de instrumento sistematizado para avaliação; de 91% para 100%, referente à orientação às mães sobre como estimular o desenvolvimento da criança. Conclusões: a intervenção contribuiu para o aumento dos conhecimentos dos enfermeiros e implementação da vigilância do desenvolvimento infantil, evidenciando a importância desta iniciativa para a melhoria da qualidade do cuidado em saúde da criança.

Ansiedade da hospitalização em crianças: proposta de um diagnóstico de enfermagem

Anxiety in children following hospitalization: a proposal for a nursing diagnosis

Gabriela Lisieux Lima Gomes, Maria Miriam Lima da Nóbrega

Objetivo: descrever o processo de elaboração da proposta do diagnóstico de enfermagem ansiedade da hospitalização em crianças, a ser submetido à Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem, de acordo com as diretrizes do Conselho Internacional de Enfermeiros e Norma ISO 18.104:2014. Método: trata-se de um estudo metodológico, no qual realizou-se uma análise conceitual, tomando como base a análise dos fenômenos ansiedade e hospitalização, com a identificação dos atributos críticos do conceito e elaboração de uma definição operacional. Resultados: evidenciou-se que todos os critérios para a inclusão de um novo conceito de enfermagem foram obedecidos e a proposta de inclusão não viola a estrutura da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem, uma vez que o conceito ansiedade já existe neste sistema de classificação e o conceito ansiedade da hospitalização seria considerado uma espécie ou subclasse do conceito. Conclusão: a análise do conceito ansiedade da hospitalização em crianças permitiu o esclarecimento do seu significado e, consequentemente, o entendimento para sua aplicabilidade prática, contribuindo para o incentivo à elaboração de novas propostas de diagnósticos de enfermagem para inclusão na Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem.

Validação da escala Adherence Determinants Questionnaire entre mulheres com câncer de mama e cervical

Validation of the Adherence Determinants Questionnaire scale among women with breast and cervical cancer

Paula Renata Amorim Lessa, Samila Gomes Ribeiro, Priscila de Souza Aquino, Paulo Cesar de Almeida, Ana Karina Bezerra Pinheiro

Objetivos: objetivou-se traduzir e adaptar culturalmente a escala Adherence Determinants Questionnaire para a língua Portuguesa, no contexto brasileiro, e verificar a confiabilidade e a validade da mesma para analisar os elementos da adesão das pacientes ao tratamento clínico do câncer de mama e cervical. Método: trata-se de estudo metodológico, realizado em dois centros de referência em oncologia. A amostra foi composta por 198 participantes, sendo 152 em tratamento para câncer de mama e 46 em tratamento para câncer cervical. A validação de conteúdo foi realizada por um comitê de especialistas. Já a validação de construto se deu pela análise fatorial e a confiabilidade foi analisada por meio do alfa de Cronbach. Resultado: o comitê de especialistas fez os ajustes necessários para que a escala fosse adaptada ao contexto brasileiro. A análise fatorial sugeriu a redução de sete para cinco fatores, bem como a permanência dos 38 itens semelhantes à escala original. A confiabilidade averiguada pelo alfa de Cronbach foi de 0,829, revelando alta consistência interna. Conclusão: conclui-se que a escala Adherence Determinants Questionnaire - Versão Brasileira - é um instrumento válido, confiável e capaz de mensurar os elementos de adesão ao tratamento do câncer de mama e cervical.

Avaliação da Atenção Primária à Saúde: a visão de usuários e profissionais sobre a Estratégia de Saúde da Família

Primary Health Care Evaluation: the view of clients and professionals about the Family Health Strategy

Simone Albino da Silva, Tamara Cristina Baitelo, Lislaine Aparecida Fracolli

Objetivo: avaliar os atributos da atenção primária à saúde quanto a acesso; longitudinalidade; integralidade; coordenação; orientação familiar e orientação comunitária na Estratégia de Saúde da Família, triangulando e comparando o ponto de vista de atores sociais implicados no processo assistencial. Método: Pesquisa avaliativa, de abordagem quantitativa e delineamento transversal. Dados coletados, empregando-se o Primary Care Assessment Tool para entrevistas com 527 usuários adultos, 34 profissionais de saúde, e 330 responsáveis por crianças de até dois anos, relacionados a 33 equipes de saúde da família, em onze municípios. Análise feita no software Statistical Package for the Social Sciences, com intervalo de confiança de 95% e erro de 0,1. Resultados: Os três grupos avaliaram o acesso de primeiro contato - acessibilidade com baixos escores. Os profissionais avaliaram com alto escore os demais atributos. Os usuários emitiram avaliações de baixo escore para os atributos: orientação comunitária; orientação familiar; integralidade - serviços prestados; integralidade - serviços disponíveis. Conclusões: A qualidade de atuação autorreferida pelos profissionais da Estratégia de Saúde da Família não é percebida ou valorizada pelos usuários e as ações e serviços podem estar sendo desenvolvidos de forma inadequada ou insuficiente para serem captados pela experiência dos mesmos.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br