JCR: 0,712; SJR: 0,339; H Index Scopus: 29; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V26

Editorial

A inclusão da saúde mental na agenda da saúde pública internacional e o protagonismo da enfermagem no processo

The inclusion of mental health in the international public health agenda and the leading role of nursing in this process

Sueli Frari Galera

A Educação Interprofissional em saúde na Região das Américas

Interprofessional Health Education in the Region of the Americas

Fernando Antonio Menezes da Silva, Silvia Helena De Bortoli Cassiani, José Rodrigues Freire Filho

Gestão editorial e os 25 anos da Revista Latino-Americana de Enfermagem

Editorial management and the 25 years of the Latin American Journal of Nursing

Maria Helena Palucci Marziale

Artigos Originais

New

Riscos de adoecimento no trabalho da equipe de enfermagem em um hospital psiquiátrico

Risks of illness in the work of the nursing team in a psychiatric hospital

Kayo Henrique Jardel Feitosa Sousa, Tayane Silva Gonçalves, Marize Barbosa Silva, Elizabeth Camacho Fonseca Soares, Maria Luiza Figueiredo Nogueira, Regina Célia Gollner Zeitoune

Objetivo: Analisar os riscos de adoecimento do trabalhador de enfermagem relacionados ao contexto de trabalho em um hospital psiquiátrico. Método: Estudo transversal e quantitativo, desenvolvido em um hospital psiquiátrico, com 74 trabalhadores de enfermagem. Utilizou-se a Escala de Avaliação do Contexto de Trabalho, que permite medir os riscos de adoecimento no trabalho. Realizaram-se análises descritivas por meio de média e desvio padrão. Para testar a confiabilidade dos dados, utilizou-se o teste alfa de Cronbach. A correlação entre os fatores do contexto de trabalho foi testada por meio do coeficiente de correlação de Spearmann. Resultados: A organização do trabalho foi considerada crítica, as relações socioprofissionais satisfatórias e as condições de trabalho graves para riscos de adoecimento no trabalho. Os itens repetitividade das tarefas, condições de trabalho que oferecem riscos à segurança dos trabalhadores, mobiliário e estrutura física do posto de trabalho inadequados, bem como existência de barulho no ambiente de trabalho, indicaram riscos severos à saúde dos trabalhadores. Conclusão: O fator condições de trabalho é o que mais contribui para o adoecimento do trabalhador de enfermagem.

New

Avaliação do nível de conforto de cuidadores de pacientes com câncer em cuidados paliativos

Comfort level of caregivers of cancer patients receiving palliative care

Maisa Vitória Gayoso, Marla Andréia Garcia de Avila, Thays Antunes da Silva, Rúbia Aguiar Alencar

Objetivo: Verificar associação entre o nível de conforto do cuidador e variáveis sociodemográficas do cuidado realizado, com avaliação do estado funcional e sintomas do paciente. Método: Estudo transversal com amostragem não probabilística, de tipo intencional. Utilizaram-se os instrumentos Palliative Performance Scale (escore de zero a 100%), Escala de Avaliação de Sintomas de Edmonton (escore por sintoma de zero a dez) e Questionário de Conforto Holístico - cuidador (escore total de 49 até 294 e escore médio de 1 até 6). A relação dos escores de conforto em função das variáveis independentes foi realizada por regressão linear múltipla. Resultados: Participaram da pesquisa 50 cuidadores informais -80% do sexo feminino, 32% com 60 anos ou mais, 36% filhos(as), 58% exerciam trabalho remunerado e 60% não contavam com ajuda no cuidado. A média do conforto geral do cuidador foi de 4,52 pontos. Quanto maior a funcionalidade do paciente, maior é o conforto do cuidador. Os cuidadores com mais idade e que contaram com ajuda para o desempenho do cuidado possuem maiores escores de conforto. Conclusão: O nível de conforto dos cuidadores de pacientes com câncer acompanhados pelo serviço de cuidados paliativos apresentou associação com variáveis sociodemográficas, avaliação do estado funcional e sintomas do paciente.

New

A construção social da experiência de viver com uma doença renal crônica

Social construction of the experience of living with chronic kidney disease

Claudia Andrea Ramírez-Perdomo, Mari Carmen Solano-Ruíz

Objetivo: Compreender a experiência vivida por pessoas com Doença Renal Crônica que foram transplantadas, a partir dos significados construídos em relação ao fenômeno vivenciado. Método: Estudo hermenêutico-fenomenológico baseado nos cinco existenciais, de acordo com o referencial teórico de Van Manen. Onze pessoas transplantadas participaram do estudo, e os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, após a aprovação do estudo pelo comitê de ética da Universidade de Antioquia. Resultados: Surgiu o tema de Viver com Doença Renal Crônica, e os subtemas foram agrupados como existenciais de Temporalidade: algo inesperado, estar presente e não vê-la, ser jovem e estar doente. Relacionalidade: o apoio, se sentir atados e Doença Renal Crônica Terminal. Espacialidade: mudanças de vida, tristeza e depressão. Corporeidade: deterioração do corpo e alteração da vida sexual. Materialidade: impacto na situação econômica. Conclusões: O cuidado proporcionado às pessoas deve ser orientado para o reconhecimento de suas individualidades, entendendo o que a doença significa para o indivíduo e para a família, como eles vivem com ela e quais são as mudanças que enfrentam, levando-os a modificar sua vida e iniciar um processo de longa duração, como é o fato de viver com uma condição de natureza crônica.

New

O efeito da escuta terapêutica na ansiedade e medos de pacientes cirúrgicos: ensaio clínico aleatorizado

The effect of therapeutic listening on anxiety and fear among surgical patients: randomized controlled trial

Ana Cláudia Mesquita Garcia, Talita Prado Simão-Miranda, Ana Maria Pimenta Carvalho, Paula Condé Lamparelli Elias, Maria da Graça Pereira, Emilia Campos de Carvalho

Objetivo: Investigar o efeito da escuta terapêutica sobre a ansiedade estado e os medos relacionados à cirurgia em pacientes no pré-operatório de cirurgia de câncer colorretal. Método: Ensaio clínico, aleatorizado e controlado, realizado com 50 pacientes que foram aleatoriamente designados para o grupo intervenção (escuta terapêutica) (n=25) ou para o grupo controle (n=25). O estudo avaliou as mudanças nos níveis de ansiedade das variáveis ansiedade estado, medos relacionados à cirurgia e variáveis fisiológicas (alfa-amilase salivar, cortisol salivar, frequência de pulso, frequência respiratória e pressão arterial). Resultados: Na comparação das variáveis nos grupos controle e intervenção nos momentos pré e pós-intervenção, constataram-se diferenças entre os momentos no grupo controle para as variáveis cortisol (p=0,043), frequência de pulso (p=0,034) e medos relacionados à cirurgia (p=0,030), com redução dos valores dessas variáveis. Conclusão: Não houve redução nos níveis das variáveis ansiedade estado e medos relacionados à cirurgia decorrente da realização da escuta terapêutica, seja por meio dos indicadores fisiológicos ou psicológicos. Contudo, o acolhimento dado pela pesquisadora na coleta de dados, sem estímulo reflexivo à situação, pode ter gerado os resultados do grupo controle. Registro de Ensaio Clínico: NCT02455128.

New

Eficácia de uma intervenção educativa de Prática Baseada em Evidências com estudantes do segundo ano de enfermagem

Effectiveness of an Evidence-Based Practice educational intervention with second-year nursing students

Desirée Mena-Tudela, Víctor Manuel González-Chordá, Agueda Cervera-Gasch, María Loreto Maciá-Soler, María Isabel Orts-Cortés

Objetivos: avaliar a eficácia de uma intervenção educativa sobre os conhecimentos, competências e atitudes da prática baseada em evidências em estudantes do segundo ano do curso de enfermagem. Método: estudo quase-experimental, antes e depois. A população do estudo foi composta por 120 estudantes matriculados na cadeira de Cuidados de Enfermagem em Processos de Assistência Médica. A intervenção educativa foi baseada em aulas teóricas e práticas sobre o processo da prática baseada em evidências e o uso da técnica do incidente crítico durante o estágio clínico. A eficácia foi medida com o Questionário de Competências de Práticas Baseadas em Evidências em três medidas pareadas usando análise de variância de medidas repetidas. Resultados: os escores médios do Questionário de Competências da Prática Baseada em Evidências foram 79,83 (IC95% 78,63-81,03) para a medição basal, 84,53 (IC95% 83,23-85,83) para a medição intermédia e 84,91 (IC95% 83,26-86,55) para a medição final, com uma diferença estatisticamente significante entre as três medidas pareadas (p<0,001). Houve diferenças estatisticamente significantes em Atitudes (p = 0,034) e Conhecimento (p <0,001), mas não em Competências (p = 0,137). Conclusão: esta intervenção educativa baseada em aulas teóricas e práticas sobre o processo de prática baseada em evidências e o uso da técnica do incidente crítico durante o estágio clínico aumenta a competência de prática baseada em evidências em estudantes do segundo ano do curso de enfermagem.

New

Rota crítica de mulheres em situação de violência por parceiro íntimo

Critical path of women in situations of intimate partner violence

Daniella Yamada Baragatti, Diene Monique Carlos, Maria Neto da Cruz Leitão, Maria das Graças Carvalho Ferriani, Eliete Maria Silva

Objetivo: Conhecer e analisar a rota crítica de mulheres em situação de violência, na perspectiva das mesmas, perpetrada por parceiro íntimo até um Centro de Referência de um município brasileiro. Método: Pesquisa qualitativa, ancorada pelo conceito de rota crítica. Foram realizadas observações participantes do grupo de apoio do Centro de Referência e entrevistas com dez mulheres em situação de violência, acompanhadas por esse serviço. Resultados: os fatores motivadores para as mulheres buscarem ajuda foram o aumento da gravidade das agressões, o impacto da violência nos filhos e o apoio familiar. Passando por diversos setores e serviços antes do acesso ao Centro de Referência, tais como policial, jurídico, saúde e social. Tais mulheres encontram pouca resposta efetiva dos serviços, sendo que o acolhimento é apontado como fator de resposta mais relevante para enfrentamento da situação. Conclusão: O atendimento é fragmentado e dependente da postura do profissional que as atende. O Centro de Referência é reconhecido como importante local de apoio pelas mulheres. Além dos esforços governamentais para manter a rede estruturada, é fundamental a educação permanente dos profissionais atuantes.

New

Consumo/dependência de álcool e resiliência na pessoa idosa com hipertensão arterial sistêmica

Alcohol consumption/dependence and resilience in older adults with high blood pressure

Aline Alves dos Santos Dullius, Silvana Maria Coelho Leite Fava, Patrícia Mônica Ribeiro, Fábio de Souza Terra

Objetivo: avaliar o consumo/dependência de álcool e a resiliência na pessoa idosa com hipertensão arterial sistêmica e analisar os fatores associados a essas variáveis. Método: estudo descritivo-analítico, transversal, quantitativo, desenvolvido com 300 idosos com hipertensão arterial sistêmica das Estratégias Saúde da Família em um município de Minas Gerais. Foram utilizados o questionário semiestruturado, a escala Alcohol Use Disorder Identification Test e a Escala de Resiliência. Para análise dos dados, utilizaram-se os testes Qui-quadrado de Person, Exato de Fisher, Alfa de Cronbach, odds ratio e regressão logística. Resultados: 89,3% dos entrevistados fazem uso de baixo risco de bebidas alcóolicas. As variáveis sexo, faixa etária, tabagismo e tempo de doença apresentaram associação significativa com o consumo/dependência de álcool. Constatou-se que 36,7% das pessoas apresentaram resiliência baixa. As variáveis renda familiar mensal e própria, escolaridade, atividade física e de lazer apresentaram associação com a resiliência. Não houve associação estatisticamente significativa entre o consumo/dependência de álcool e a resiliência. Conclusão: o consumo de álcool e a resiliência podem interferir na saúde física e mental das pessoas idosas com hipertensão arterial sistêmica.

New

Síndrome de Burnout e o trabalho em turnos na equipe de enfermagem

Burnout Syndrome and shift work among the nursing staff

Viviane Vidotti, Renata Perfeito Ribeiro, Maria José Quina Galdino, Julia Trevisan Martins

Objetivo: analisar os fatores associados à síndrome de Burnout, segundo o turno de trabalho da equipe de enfermagem. Método: estudo transversal, desenvolvido com uma amostra representativa de 502 trabalhadores de enfermagem de uma instituição hospitalar filantrópica. Os dados foram coletados por meio de um instrumento de caracterização, o Maslach Burnout Inventory-Human Service Survey e o Demand-Control-Support Questionnaire. Analisaram-se os dados por estatística descritiva e regressão logística binária múltipla. Resultados: os níveis da síndrome de Burnout foram significativamente maiores entre os trabalhadores de enfermagem do turno diurno. Entre os participantes que trabalhavam no período diurno, os fatores associados às dimensões da síndrome de Burnout foram: alta demanda, baixo controle, baixo apoio social, insatisfação com o sono e recursos financeiros, ser enfermeiro e, ainda, sedentarismo. Já no noturno, baixo apoio social, insatisfação com o sono e lazer, ter filhos, não ter religião, menor tempo de trabalho na instituição e ser auxiliar e técnico de enfermagem aumentaram significativamente as chances de altos níveis da síndrome. Conclusão: os fatores psicossociais e do contexto laboral, sobretudo o baixo apoio social, tiveram associação com as dimensões da síndrome entre os profissionais de enfermagem de ambos os turnos.

New

Adaptação cultural do “DISABKIDS” para medir a qualidade de vida em crianças colombianas com doença crônica

Cross-cultural validation of the “DISABKIDS” questionnaire for quality of life among Colombian children with chronic diseases

Nadia Carolina Reina Gamba, Miguel Richart Martinez, Julio Cabrero García

Objetivo: descrever o processo de adaptação cultural do questionário “DISABKIDS” para a Colômbia, na versão para crianças e adolescentes e na versão para pais; ferramenta que tem como finalidade medir a qualidade de vida relacionada com a saúde em crianças e adolescentes colombianos com doença crônica. Método: processo de adaptação cultural, seguindo a metodologia sistemática consensual internacional, denominada validação linguística padronizada, para garantir uma equivalência linguística com o questionário original. Resultados: as entrevistas cognitivas do pré-teste mostraram a necessidade de fazer um ajuste geral no questionário que consistiu em perguntar pela “condição de saúde” e não somente utilizar a palavra “condição”. Devido ao contexto cultural, a palavra “condição”, que figura na versão original, relaciona-se com condições sócio-econômicas e não com a saúde; realizaram-se ajustes aos 11 itens da versão de crianças e a 8 itens da versão dos pais. Conclusões: a versão colombiana do DISABKIDS-37 para medir qualidade de vida relacionada com a saúde em crianças e adolescentes com doença crônica tanto na versão para crianças como na versão para pais é equivalente à versão original e é apropriada para ser utilizada na Colômbia. Futuros estudos poderão avaliar suas propriedades psicométricas.

New

Sífilis na gestação: associação das características maternas e perinatais em região do sul do Brasil

Syphilis in during pregnancy: association of maternal and perinatal characteristics in a region of southern Brazil

Camila Padovani, Rosana Rosseto de Oliveira, Sandra Marisa Pelloso

Objetivo: Analisar a prevalência de sífilis na gestação e sua associação com características socioeconômicas, histórico reprodutivo, assistência no pré-natal e no parto e características do recém-nascido. Método: Estudo retrospectivo, transversal, realizado a partir das notificações de sífilis gestacional e sífilis congênita. Realizou-se linkage dos bancos de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos e Sistema de Informação sobre Mortalidade. Resultados: A prevalência da sífilis gestacional foi de 0,57%. Foram encontradas as seguintes associações à sífilis na gestação: raça/cor não branca (RP=4,6; IC=3,62-5,76); baixa escolaridade (RP=15,4; IC=12,60-18,86); e ausência do pré-natal (RP=7,4; IC=3,68-14,9). Os desfechos perinatais associados à sífilis gestacional foram prematuridade (RP=1,6 IC=1,17-2,21) e baixo peso ao nascer (RP=1,6; IC=1,14-2,28). Notificaram-se dois óbitos por sífilis congênita, um óbito por outra causa e cinco natimortos. Conclusão: Os resultados apontam que há um longo caminho para o alcance da meta da Organização Mundial da Saúde de erradicação da sífilis congênita.

New

Atitudes para a colaboração interprofissional de equipes da Atenção Primária participantes do Programa Mais Médicos

Attitudes towards interprofessional collaboration of Primary Care teams participating in the ‘More Doctors’ (Mais Médicos) program

José Rodrigues Freire Filho, Marcelo Viana da Costa, Carinne Magnago, Aldaísa Cassanho Forster

Objetivos: comparar atitudes em relação à colaboração interprofissional de profissionais de saúde componentes de equipes da Estratégia Saúde da Família, participantes do Programa Mais Médicos, bem como identificar fatores associados a atitudes de colaboração interprofissional. Método: estudo descritivo, transversal e comparativo, desenvolvido com 63 profissionais de saúde que responderam à Escala Jefferson de Atitudes Relacionadas à Colaboração Interprofissional. Os dados foram analisados estatisticamente. Resultados: o somatório dos itens da escala variou de 88 a 139 pontos. A análise do conjunto das equipes de Saúde da Família indicou diferenças estatísticas significantes entre os escores da escala e a categoria profissional e entre os escores e a escolaridade, sugerindo que os enfermeiros e os profissionais com nível superior são mais inclinados para a prática colaborativa. A análise segundo o perfil do médico - brasileiro, intercambista ou cubano - não determinou diferenças estatísticas nos escores dos médicos, tampouco nos escores dos componentes das equipes de diferentes perfis. Conclusão: o perfil não sugeriu maior ou menor inclinação, com significância estatística, dos médicos ou das equipes para o trabalho interprofissional. Este estudo pode constituir subsídio para novas investigações que contribuam para análise sobre a colaboração interprofissional e o impacto do Programa Mais Médicos.

New

Segurança do paciente na assistência de enfermagem durante a administração de medicamentos

Patient safety in nursing care during medication administration

Júlian Katrin Albuquerque de Oliveira, Eliana Ofélia Llapa-Rodriguez, Iza Maria Fraga Lobo, Luciana de Santana Lôbo Silva, Simone de Godoy, Gilvan Gomes da Silva

Objetivo: avaliar a conformidade da prática assistencial da equipe de enfermagem durante a administração de medicamentos por cateter vascular central. Método: estudo descritivo, prospectivo, observacional, realizado em Unidade de Terapia Intensiva. A amostra não probabilística, do tipo intencional, é constituída de 3402 observações de administrações de medicamentos em pacientes em uso de acesso vascular central. O instrumento de coleta, previamente validado, é construído e alicerçado no Guideline for Prevention of Intravascular cateter-related infections. A coleta se deu a partir da observação direta da prática assistencial realizada pela equipe de enfermagem. A análise utilizou estatística analítica, descritiva e inferencial (Teste de Qui-quadrado e Exato de Fisher). Resultados: foram observadas 3402 ações relacionadas a administrações de medicamentos. O maior número de ações foi realizado por Técnicos de Enfermagem do sexo feminino. Em nenhum dos procedimentos o profissional executou todas as ações necessárias, com 0,2% das administrações de medicamento antecedidas pela higienização das mãos e 1,3% pela desinfecção do frasco multidose, ampola ou injetores. Conclusão: a prática avaliada foi classificada como indesejada. A não obtenção da conformidade almejada deu-se, provavelmente, pela baixa adesão dos profissionais à prática de higienização das mãos e à desinfecção de materiais, injetores e conectores.

New

Fatores de risco para quedas em pacientes adultos hospitalizados: um estudo caso-controle

Risk factors for fall occurrence in hospitalized adult patients: a case-control study

Isis Marques Severo, Ricardo de Souza Kuchenbecker, Débora Feijó Villas Boas Vieira, Amália de Fátima Lucena, Miriam de Abreu Almeida

Objetivo: identificar os fatores de risco para a ocorrência de quedas em pacientes adultos hospitalizados. Métodos: estudo do tipo caso-controle pareado (um controle para cada caso). Pesquisa quantitativa realizada em unidades clínicas e cirúrgicas de um hospital universitário da região Sul do Brasil. A amostra incluiu 358 pacientes. Os dados foram coletados durante 18 meses, entre 2013-2014. A análise dos dados foi realizada por meio de estatística descritiva e regressão logística condicional, utilizando o Microsoft Excel e o SPSS versão 18.0. Resultados: os fatores de risco identificados foram: desorientação/confusão [OR 4,25 (1,99 a 9,08), p<0,001]; micção frequente [OR 4,50 (1,86 a 10,87), p=0,001]; limitação para caminhar [OR 4,34 (2,05 a 9,14), p<0,001]; ausência de cuidador [OR 0,37 (0,22 a 0,63), p<0,001]; período pós-operatório [OR 0,50 (0,26 a 0,94), p=0,03]; e o número de medicamentos administrados nas 72 horas anteriores à queda [OR 1,20 (1,04 a 1,39) p=0,01]. Conclusão: os riscos para quedas são multifatoriais. Todavia, conhecê-los dá suporte à decisão clínica do enfermeiro, o que contribui para a busca das melhores intervenções preventivas e impacta positivamente na segurança dos pacientes.

New

Vias do planejamento na transferência do tratamento diretamente observado da tuberculose

Planning pathways in the transfer of Directly Observed Treatment of Tuberculosis

Rarianne Carvalho Peruhype, Fernando Mitano, Juliana Feliciati Hoffmann, Catiucia de Andrade Surniche, Pedro Fredemir Palha

Objetivo: investigar o processo de planejamento da transferência da política do Tratamento Diretamente Observado da tuberculose. Método: estudo qualitativo, realizado por meio de entrevistas e roteiro semiestruturado aplicado a cinco sujeitos, dentre coordenadores e gestores dos programas de controle da tuberculose e o secretário de saúde de um município do Sul do Brasil. O Planejamento Estratégico Situacional e a Análise de Discurso de matriz francesa foram os referenciais teórico e analítico utilizados, respectivamente. Resultados: três eixos reflexivos sobressaíram: as fragilidades no processo de planejamento da transferência do Tratamento Diretamente Observado; o antagonismo entre o planejamento e as exigências cotidianas; e a formulação do planejamento e sua execução. A assistematização do planejamento para a execução da transferência do Tratamento Diretamente Observado indica não apenas a fragilidade e incipiência dessa atividade, mas também a possibilidade de sua inexistência. Conclusão: é notória a premente necessidade de os gestores e coordenadores se apropriarem melhor tanto do referencial teórico da transferência de políticas públicas quanto dos próprios mecanismos de planejamento em si, incluindo, nesse sentido, uma proposta de reorganização e qualificação do processo difusor, prático-operativo e político-organizativo.

New

Cultura de segurança do paciente em um hospital universitário

Patient safety culture in a university hospital

Taís Freire Galvão, Marcélia Célia Couteiro Lopes, Carmen Conceição Carrilho Oliva, Maria Elizete de Almeida Araújo, Marcus Tolentino Silva

Objetivo: avaliar a cultura de segurança do paciente em hospital universitário. Método: estudo transversal com coleta de dados por meio do Hospital Survey on Patient Safety Culture aplicado em dispositivo eletrônico. Entrevistaram-se 381 funcionários, correspondendo a 46% do total de profissionais elegíveis. Os dados foram analisados descritivamente, com cálculo de frequências e da confiabilidade pelo alfa de Cronbach. Resultados: a maior parte eram mulheres (73%), da área de enfermagem (50%) e com contato direto com pacientes (82%). As dimensões “trabalho em equipe no âmbito das unidades” (58%, α=0,68), “aprendizado organizacional” (58%, α=0,63), “expectativas e ações dos supervisores e gerentes para promoção da segurança do paciente” (56%, α=0,73) apresentaram maior positividade. Nove dimensões tiveram positividade baixa, com destaque para “respostas não punitivas aos erros” (18%, α=0,40). Somente o item “nesta unidade, as pessoas se tratam com respeito” obteve positividade acima de 70%. A avaliação da segurança do paciente na unidade de trabalho foi positiva para 36% dos funcionários, porém somente 22% informaram ter notificado eventos no último ano. Conclusão: os achados revelam fragilidades na cultura de segurança no hospital, com destaque à culpabilização.

Estratégias de enfermeiros para a vigilância à saúde da criança

Nursing strategies for child health surveillance

Marina Sayuri Yakuwa, Sarah Neill, Débora Falleiros de Mello

Objetivo: apreender as estratégias impulsionadas por enfermeiros no contexto da vigilância à saúde da criança, relevantes ao desenvolvimento na primeira infância. Método: estudo qualitativo, com análise temática indutiva dos dados, fundamentado nos princípios conceituais da vigilância à saúde da criança, a partir de entrevistas semiestruturadas gravadas com enfermeiras brasileiras que atuam com famílias, no âmbito da atenção primária à saúde. Resultados: as estratégias das enfermeiras a favor da vigilância à saúde da criança focam em ações que se antecipam aos danos com acompanhamento contínuo e monitorização de indicadores de saúde. O processo de crescimento e desenvolvimento da criança é a base para respostas e benefícios à saúde, conexão com o cotidiano das famílias, busca ativa, articulações entre profissionais e serviços, acesso a cuidado abrangente, ações intrínsecas entre promoção, prevenção e seguimento da saúde. Conclusão: as ações em vigilância à saúde da criança, que os enfermeiros realizam com e junto às famílias, envolvem compartilhamento de saberes, favorecem a resolutividade, incrementam os indicadores de saúde infantil e estreitam relações entre saúde e direitos da criança, as quais sustentam a promoção do desenvolvimento na primeira infância.

Análise da confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester: concordância interna e entre observadores

Reliability analysis of the Manchester Triage System: inter-observer and intra-observer agreement

Cristiane Chaves de Souza, Tânia Couto Machado Chianca, Welfane Cordeiro Júnior, Maria do Carmo Paixão Rausch, Gabriela Fontoura Lana Nascimento

Objetivo: analisar a confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester para determinar o grau de prioridade de pacientes em serviços de urgência. Método: trata-se de estudo de confiabilidade com amostra de 361 enfermeiros. Os dados foram coletados em três etapas e os questionários aplicados utilizando software eletrônico. A concordância foi mensurada pela avaliação de casos clínicos. Os desfechos avaliados foram: concordância com o padrão ouro e intraobservadores na indicação do fluxograma, discriminador e nível de risco. Os dados foram submetidos a análises uni e bivariadas. A concordância foi mensurada pelo cálculo do índice Kappa. Resultados: a confiabilidade externa e interna do protocolo variou de moderada a substancial (Kappa:0,55-0,78). Tempo de experiência profissional como enfermeiro, em serviços de urgência e emergência e na classificação de risco, foi associado à confiabilidade externa e interna. A escolha certa do discriminador influenciou mais a correta indicação do nível de risco (R²=0,77; p<0,0001) do que a escolha correta do fluxograma (R²=0,16; p<0,0001). Conclusão: a confiabilidade do Sistema de Triagem de Manchester variou de moderada a substancial e foi influenciada pela experiência clínica do enfermeiro. O protocolo é seguro para definição das prioridades clínicas utilizando diferentes fluxogramas de classificação.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br