JCR: 0,634; SJR: 0,396; H Index Scopus: 26; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número: V21N4

Artigos Originais

Comparação entre os critérios do International Physical Activity Questionnaire e do American College of Sports Medicine/American Heart Association para a classificação do padrão de atividade física em adultos

Comparison between the International Physical Activity Questionnaire and the American College of Sports Medicine/American Heart Association criteria to classify the physical activity profile in adults

Suzana Alves de Moraes; Cláudio Shigueki Suzuki; Isabel Cristina Martins de Freitas

OBJETIVO: avaliar a reprodutibilidade entre os critérios para classificação do padrão de atividade física propostos pelo International Physical Activity Questionnaire e pelo American College of Sports Medicine/American Heart Association em população de adultos, residentes em Ribeirão Preto, SP. MÉTODOS: estudo transversal de base populacional, com amostra de 930 adultos de ambos os sexos. Para a avaliação da reprodutibilidade, empregou-se a estatística Kappa, estimada para estratos específicos de variáveis sociodemográficas. RESULTADOS: os coeficientes Kappa indicaram bom/ótimo acordo entre os dois critérios, em todos os estratos. Entretanto, prevalências de maior magnitude para a "prática suficiente" foram obtidas quando aplicados os critérios do American College of Sports Medicine/American Heart Association. CONCLUSÕES: embora as estimativas de acordo tenham indicado boa reprodutibilidade, os achados sugerem cautela ao se escolher o critério para a avaliação do padrão de atividade física, principalmente quando a caminhada é a principal modalidade de prática.

Comunicação do idoso e equipe de Saúde da Família: há integralidade?

Communication between the elderly person and the Family Health Team: is there integrality?

Rita Tereza de Almeida; Suely Itsuko Ciosak

OBJETIVO: verificar as formas de comunicação utilizadas em quatro Unidades Básicas de Saúde com equipes da Estratégia Saúde da Família, em Porto Feliz, São Paulo, e como interferem no atendimento e controle da saúde dos idosos. MÉTODO: buscou-se apreender a comunicação entre idosos e profissionais de saúde por meio da pesquisa qualitativa. Realizou-se entrevista com 20 idosos de ambos os sexos. RESULTADOS: emergiram dos discursos e observações temas centrais de análise, por intermédio da comunicação assertiva e comunicação bloqueada, cujos elementos verbais e não verbais desvelaram subjetividade do processo de comunicação, da cultura local e dos fatores psicossociais, contribuindo de forma positiva e também negativa para o atendimento em saúde dos idosos. As equipes de enfermagem da Estratégia Saúde da Família mostraram formas de comunicação favoráveis à adesão dos idosos ao atendimento e controle da saúde. Aspectos negativos não trouxeram consequências totalmente prejudiciais, porém, devem ser evitados, para facilitar o cuidado integral ao idoso. CONCLUSÃO: vale reforçar a necessidade de aprimoramento da equipe de enfermagem e demais profissionais da saúde sobre comunicação em saúde como tecnologia inovadora, levando credibilidade aos programas de promoção e prevenção em saúde, referentes a usuários idosos.

Qualidade de vida e sobrecarga dos cuidadores de portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica em oxigenoterapia

Quality of life and burden in carers for persons with Chronic Obstructive Pulmonary Disease receiving oxygen therapy

Simone Cedano; Ana Rita de Cássia Bettencourt; Fabiana Traldi; Maria Christina Lombardi Oliveira Machado; Angélica Gonçalves Silva Belasco

OBJETIVO: avaliar a qualidade de vida e a sobrecarga de cuidados, vivenciada por cuidadores de portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, em uso de Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada, e investigar os fatores que influenciam essa sobrecarga. MÉTODO: trata-se de estudo transversal analítico, com 80 portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica em uso de Oxigenoterapia Domiciliar do ambulatório especializado da Universidade Federal de São Paulo e seus respectivos cuidadores, aplicando-se os instrumentos: Medical Outcomes Studies 36, Caregiver Burden Scale, índice de Katz e variáveis sociodemográficas e clínicas. RESULTADOS: os escores do questionário de qualidade de vida dos cuidadores mais comprometidos foram vitalidade e saúde mental. O ambiente foi o domínio do Caregiver Burden Scale que gerou maior sobrecarga de cuidados. Com exceção do envolvimento emocional, todos os domínios de qualidade de vida foram influenciados de forma negativa pelos domínios de sobrecarga de cuidados. CONCLUSÃO: demonstrou-se comprometimento da qualidade de vida e sobrecarga de cuidados dos cuidadores, confirmando que assistir portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica é um importante interveniente na qualidade de vida do cuidador.

Consumo de psicofármacos por pacientes de clínicas médica e cirúrgica de um hospital geral

Consumption of psychiatric drugs by patients of medical and surgical clinics in a general hospital

Flavio Hiroshi Shirama; Adriana Inocenti Miasso

OBJETIVOS: identificar a prevalência do uso de psicofármacos entre pacientes internados em clínicas médica e cirúrgica, de um hospital geral, e os fatores relacionados ao consumo desses medicamentos. MÉTODO: trata-se de estudo transversal, correlacional descritivo com análise quantitativa. Para coleta dos dados utilizou-se a entrevista estruturada e consulta a prontuários. RESULTADOS: constatou-se alta prevalência de usuários de psicofármacos que esteve associada ao sexo feminino, a ser não católico, à internação não custeada pelo Sistema Único de Saúde e à presença de transtornos mentais comuns. Os benzodiazepínicos foram os psicofármacos mais consumidos. Dentre o total de usuários, foram identificados pacientes que desconheciam estar recebendo tais medicamentos. Médicos não psiquiatras foram responsáveis pela maioria das prescrições de psicofármacos. CONCLUSÕES: sinaliza-se a necessidade de preparo dos profissionais de saúde para lidar com problemas psicossociais comumente encontrados na prática clínica, de modo a promover o uso racional de psicofármacos.

Vulnerabilidade às Doenças Sexualmente Transmissíveis em mulheres que comercializam sexo em rota de prostituição e turismo sexual na Região Central do Brasil

Vulnerability to Sexually Transmitted Infections in women who sell sex on the route of prostitution and sex tourism in Central Brazil

Marcos André de Matos; Karlla Antonieta Amorim Caetano; Divânia Dias da Silva França; Raquel Silva Pinheiro; Luciene Carneiro de Moraes; Sheila Araujo Teles

OBJETIVO: investigar o conhecimento, comportamentos de risco e sinais/sintomas de doenças sexualmente transmissíveis de mulheres profissionais do sexo. MÉTODO: estudo de coorte transversal, de uma amostra probabilística de 395 mulheres, recrutadas pelo método Respondent Driven Sampling, de 2009 a 2010. Os dados foram obtidos por meio de entrevista face a face. RESULTADOS: a maioria era de mulheres adultas jovens, com baixa escolaridade e conhecimento insuficiente sobre formas de transmissão do vírus da imunodeficiência humana. Mais de um terço das mulheres não soube informar os sinais/sintomas das doenças sexualmente transmissíveis. A prevalência de corrimento vaginal e ferida/úlcera foi de 49,0 e 8,6%, respectivamente, sendo que 41,7% dessas não procuraram tratamento. CONCLUSÃO: os resultados evidenciam a necessidade de políticas públicas de saúde voltadas para o controle e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis nessa população, especialmente, em mulheres que comercializam sexo em importante rota de prostituição e turismo sexual do Brasil Central.

Conhecimento de usuárias de anticoncepcional oral combinado de baixa dose sobre o método

Knowledge of users of low-dose oral combined contraceptives about the method

Camila Félix Américo; Paula Sacha Frota Nogueira; Rebeca Pinho Romero Vieira; Cleide Gomes Bezerra; Escolástica Rejane Ferreira Moura; Marcos Venícios de Oliveira Lopes

OBJETIVOS: identificar o conhecimento de usuárias de anticoncepcional oral combinado sobre uso correto, efeitos colaterais e complicações relacionados a esse uso; verificar correlação entre o conhecimento sobre o método com idade, escolaridade, renda familiar mensal e tempo de uso. MÉTODO: estudo transversal, desenvolvido em Fortaleza, Ceará, Brasil, de março a julho de 2010, com 294 mulheres. Os dados foram coletados por meio de entrevista. RESULTADOS: setenta e cinco por cento apresentaram conhecimento substancial para o uso correto e efeitos colaterais e nenhum conhecimento para complicações. Quanto maior a escolaridade e a renda familiar maior o conhecimento das mulheres sobre o uso correto do método. Correlação positiva sugere que mulheres que usaram o método por mais tempo conheciam mais sobre seus efeitos colaterais. CONCLUSÃO: há lacunas no conhecimento sobre o método, sendo essas influenciadas por variáveis socioeconômicas e tempo de uso.

Validação dos critérios de processo para avaliação do serviço de enfermagem hospitalar

Validation of the process criteria for assessment of a hospital nursing service

Liliane Bauer Feldman; Isabel Cristina Kowal Olm Cunha; Maria D'Innocenzo

OBJETIVO: validar um instrumento com critérios de processo para avaliação do serviço de enfermagem, com base na Organização Nacional de Acreditação. MÉTODO: estudo descritivo, quantitativo, de abordagem metodológica, realizado em etapas, onde, após elaboração do instrumento com 69 critérios de processo, esse foi avaliado, conforme escala tipo Likert, por 49 enfermeiros de hospitais acreditados em 2009, e validado por 16 juízes, por meio do ciclo de Delphi, em 2010. RESULTADO: o instrumento inicial, analisado pelos enfermeiros com 69 critérios de processo, foi julgado pelo grau de importância, e passou para 39 critérios. No 1º ciclo Delphi, os 39 critérios atingiram o consenso entre os 19 juízes, com média de confiabilidade pelo alfa Cronbach. No 2º ciclo, foram validados 40 critérios convergentes, por 16 juízes, com alta confiabilidade. Os critérios abordam a gestão, custo, ensino, educação, indicadores, protocolos, recursos humanos, comunicação, entre outros. CONCLUSÃO: os 40 critérios de processo validados formam um instrumento para avaliação do serviço de enfermagem hospitalar que, ao ser mensurado, pode melhor direcionar as intervenções pelo enfermeiro para o alcance e fortalecimento dos resultados.

Qualidade de vida das vítimas de trauma craniencefálico seis meses após o trauma

Quality of life of victims of traumatic brain injury six months after the trauma

Rita de Cássia Almeida Vieira; Edilene Curvelo Hora; Daniel Vieira de Oliveira; Maria do Carmo de Oliveira Ribeiro; Regina Márcia Cardoso de Sousa

OBJETIVOS: descrever a qualidade de vida das vítimas de trauma craniencefálico, após seis meses do evento, e mostrar a relação entre os resultados observados e os dados clínicos, sociodemográficos e retorno à produtividade. MÉTODO: foram analisados dados de 47 vítimas assistidas em hospital referência ao trauma, no município de Aracaju, SE, e acompanhadas em ambulatório de neurocirurgia. Os dados foram obtidos pela análise dos prontuários e entrevistas estruturadas, com aplicação do questionário World Health Organization Quality of Life, versão breve. RESULTADOS: as vítimas apresentaram percepção positiva de sua qualidade de vida e o domínio físico (68,4±22,9) apresentou o maior valor médio. Entre as características sociodemográficas, correlação estatisticamente significante foi verificada entre estado civil e o domínio psicológico. Entretanto, o retorno à produtividade se relacionou com todos os domínios. CONCLUSÃO: o retorno à produtividade foi fator importante para a qualidade de vida das vítimas de trauma craniencefálico e deve direcionar as políticas públicas na promoção à saúde dessas vítimas.

Experiências de famílias de crianças com paralisia cerebral em contexto de vulnerabilidade social

Experiences from families of children with cerebral paralysis in context of social vulnerability

Marja Rany Rigotti Baltor; Giselle Dupas

OBJETIVO: descrever e analisar a experiência de famílias de crianças com paralisia cerebral que vivem em situação de vulnerabilidade social. MÉTODO: foram entrevistadas seis famílias, residentes em área com essa característica. Optou-se pelo Interacionismo Simbólico como referencial teórico e Análise de Conteúdo Temática de Bardin como método de análise dos dados. RESULTADO: a experiência de tais famílias está representada nos temas: Reestruturando a Vida, com as categorias "Desvelando o caminho" e "Acomodando a rotina", e Travando uma Luta Constante, com as categorias: "Cuidador principal tendo sobrecarga", "Convivendo com o preconceito", "Tendo dificuldade de locomoção" e "Vivendo com dificuldades financeiras". CONCLUSÃO: a vulnerabilidade social influencia em como a família vive a condição crônica. Profissionais e estratégias de saúde pública são uma potência para minimizar impactos, inclusive os relativos ao orçamento familiar, mas não têm sido efetivos. Eles precisam ser sensibilizados para se tornar recursos de suporte, oferecer e orientar o acesso às redes de apoio e acionar o serviço social, quando necessário. Este estudo agrega conhecimento ao já produzido, ao apontar peculiaridades da vivência familiar em situações de duas variáveis de difícil manejo: cronicidade e vulnerabilidade social, evidenciando o papel do profissional na busca de solução conjunta, com a família, para o enfrentamento de demandas e sofrimentos.

Prevalência de síndrome da fragilidade em idosos de uma instituição hospitalar

Prevalence of frailty syndrome in old people in a hospital institution

Daniela Ramos Oliveira; Luiz Antonio Bettinelli; Adriano Pasqualotti; Débora Corso; Felipe Brock; Alacoque Lorenzini Erdmann

OBJETIVO: medir a prevalência da síndrome da fragilidade em idosos internados numa instituição hospitalar. MÉTODO: estudo transversal, tendo como amostra 99 idosos com 65 anos ou mais, internados no mês de novembro de 2010, no Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, Rio Grande do Sul. Foram coletados dados relacionados ao fenótipo da fragilidade, variáveis sociodemográficas, clínicas e antropométricas. RESULTADOS: a idade média foi de 74,5±6,8 anos e 50 (50,5%) eram mulheres. Foram classificados não frágeis quatro (4%), pré-frágeis 49 (49,5%) e frágeis 46 (46,5%). Não se identificaram fatores estatisticamente associados à fragilidade. CONCLUSÕES: como era esperado, a prevalência nessa população mostrou-se alta quando comparada a outros estudos com foco na comunidade. Acredita-se que a detecção precoce e a intervenção interdisciplinar evitem a progressão do quadro e reduzam a incidência de complicações e hospitalizações.

Vivenciando a maternidade em contextos de vulnerabilidade social: uma abordagem compreensiva da fenomenologia social

The motherhood experience in the context of social vulnerability: a comprehensive approach to social phenomenology

Luz Angélica Muñoz; Ximena Sanchez; Estela Arcos; Antonia Vollrath; Carla Bonatti

OBJETIVO: compreender a vivência de mães em situação de vulnerabilidade da gestação até os primeiros anos de vida do filho, assim como as suas expectativas para o futuro. MÉTODO: estudo qualitativo que utilizou a fenomenologia social de Alfred Schütz como referencial filosófico. Entre janeiro e abril de 2011, foram entrevistadas, em centros de saúde de uma comunidade urbana de Santiago do Chile, nove mães matriculadas no programa Chile Cresce Contigo, em 2009. RESULTADOS: a análise compreensiva do tipo vivido permitiu compreender a vivência do mundo de vida cotidiano. Numa situação de extrema vulnerabilidade, ser mãe é uma notícia imprevista, com sentimentos de desesperança que se transformam em resignação. Não existe projeto de futuro, mas vive-se o aqui e o agora com incerteza. Com base nos relatos das mulheres-mães, foram identificados padrões significativos do vivido no âmbito pessoal e familiar, que contribuem com conhecimentos para uma compreensão mais acurada do mundo social, com base nas perspectivas particulares das mulheres. CONCLUSÕES: para a prática do cuidado humanizado e compreensivo da saúde na área de enfermagem, o presente estudo traz conhecimentos necessários para o desenho de intervenções que permitam vencer a desesperança das mulheres excluídas devido à sua invisibilidade e à sua condição de pobreza.

Sobrecarga, Enfrentamento, Sintomas Físicos e Morbidade Psicológica em Cuidadores de Familiares Dependentes Funcionais

Burden, Coping, Physical Symptoms and Psychological Morbidity in Caregivers of Functionally Dependent Family Members

Ana Catarina Guedes; Maria da Graça Pereira

OBJETIVOS: investigar a sobrecarga, enfrentamento, sintomas físicos e morbidade psicológica em cuidadores de familiares dependentes funcionais. MÉTODOS: cinquenta cuidadores de membros da família completaram medidas autorrelatadas de sobrecarga, sintomas físicos, morbidade psicológica e estratégias de enfrentamento. RESULTADOS: foi observada correlação negativa significante entre estratégias de enfrentamento e as diversas variáveis clínicas, bem como correlação positiva significante entre estratégias de enfrentamento e tempo de cuidado. Pode-se notar que o vínculo mais forte entre cuidador e familiar leva ao menor uso de estratégias adaptáveis de enfrentamento. Pode-se, também, notar que a deterioração da relação compartilhada entre eles e a mais baixa percepção da autoeficácia são mais proeminentes em cuidadores de familiares com deficiência cognitiva, indicando que cuidadores de familiares que não apresentam deficiências cognitivas enfrentam menos dificuldades. CONCLUSÃO: esses resultados enfatizam a necessidade de intervenções que incluam estratégias de enfrentamento, uma vez que essas são importantes para a redução da sobrecarga, morbidade psicológica e sintomas físicos dos cuidadores.

Editorial

Consultórios de Enfermagem

Nursing Offices

Evelin Capellari Cárnio

Artigos Originais

Tradução e validação da escala Parent-adolescent Communication Scale: tecnologia para prevenção de DST/HIV

Translation and validation of the Parent-adolescent Communication Scale: technology for DST/HIV prevention

Fabiane do Amaral Gubert; Neiva Francenely Cunha Vieira; Patrícia Neyva da Costa Pinheiro; Mônica Oliveira Batista Oriá; Paulo César de Almeida; Thábyta Silva de Araújo

OBJETIVO: realizar a adaptação transcultural da escala Parent-adolescent Communication Scale, a qual avalia a frequência de comunicação entre pais e filhas acerca de temas relacionados a sexo, preservativo, doenças sexualmente transmissíveis, vírus da imonodeficiência humana e gravidez. MÉTODO: pesquisa metodológica, de abordagem quantitativa, realizada com 313 adolescentes escolares do sexo feminino, na faixa etária dos 14 aos 18 anos, em Fortaleza, CE. A validade de conteúdo foi realizada por meio da tradução inicial, backtranslation, versão pré-final e versão final, sendo analisada por comitê de especialistas, a confiabilidade foi verificada pelo alfa de Cronbach e averiguada pela testagem de hipóteses e teste-reteste em cinco semanas. A escala foi aplicada via computador na modalidade online, no período de novembro/2010 a janeiro/2011. RESULTADOS: a versão do instrumento em português apresentou alfa de 0,86; quanto à validade de constructo, foi parcialmente verificada, visto que a testagem de hipóteses por grupo contrastado não foi confirmada. CONCLUSÃO: a versão do instrumento adaptada para o português é considerada válida e confiável na amostra de estudo.

Sobrecarga de familiares cuidadores de idosos com doença de Alzheimer: um estudo comparativo

Overload of families taking care of elderly people with Alzheimer's Disease: a comparative study

Ana Carla Borghi; Vivian Carla de Castro; Sonia Silva Marcon; Lígia Carreira

OBJETIVO: comparar a sobrecarga do cuidador familiar principal com a do secundário do idoso com doença de Alzheimer e identificar qual dimensão gera maior impacto. MÉTODO: estudo comparativo, realizado em Maringá, Paraná, com 20 cuidadores primários de idosos com Alzheimer e 20 secundários. Os dados foram coletados em maio e junho de 2012, utilizando-se a Escala de Avaliação da Sobrecarga de Familiares de Pacientes Psiquiátricos, e os resultados foram analisados estatisticamente pelo teste de Mann-Whitney e análise de variância. RESULTADOS: a sobrecarga objetiva global e em cada subescala foi significativamente maior no grupo de cuidadores principais; a sobrecarga subjetiva não diferiu entre os grupos. Comparando-se as subescalas, a assistência cotidiana ao paciente exerceu maior influência para a sobrecarga objetiva em ambos os grupos, e a preocupação com o idoso foi a dimensão que mais influenciou a sobrecarga subjetiva de cuidadores principais e secundários. CONCLUSÃO: as diferenças de sobrecarga entre os grupos reforça a necessidade de planejamento de ações de saúde para cada tipo de cuidador, visando reduzi-las.

Capacidade de mães para cuidar de crianças expostas ao HIV

Maternal ability to take care of children exposed to HIV

Julyana Gomes Freitas; Léa Maria Moura Barroso; Marli Teresinha Gimeniz Galvão

OBJETIVO: avaliar a capacidade de mães para cuidar de crianças expostas ao HIV, mediante a Escala de Avaliação da Capacidade para Cuidar de Crianças Expostas ao HIV e verificar a associação entre dimensões da escala e as características maternas. MÉTODO: estudo transversal, com participação de 62 mães HIV+ com filhos nascidos expostos ao vírus até um ano de idade. A Escala de Avaliação da Capacidade para Cuidar de Crianças Expostas ao HIV possui 52 itens e cinco dimensões que indicam alta, moderada ou baixa capacidade de cuidado. RESULTADOS: das mães, 72,7% ofertaram adequadamente zidovudina xarope; 86,0% possuíam alta capacidade para preparar e administrar o leite em pó; 44,4% possuíam moderada capacidade para preparar e administrar a alimentação complementar; 76,5% apresentaram alta capacidade para administrar a profilaxia contra pneumonia e 95,3% possuíam alta capacidade para o acompanhamento clínico e vacinação. Houve significância entre algumas variáveis maternas e dimensões da escala. CONCLUSÃO: a escala permite avaliar o cuidado materno dispensado às crianças e realizar intervenções específicas em prol da saúde infantil.

Experiência de mulheres com aborto provocado na adolescência por imposição da mãe

The experience of women with abortion during adolescence as demanded by their mothers

Selisvane Ribeiro da Fonseca Domingos; Miriam Aparecida Barbosa Merighi; Maria Cristina Pinto de Jesus; Deíse Moura de Oliveira

OBJETIVO: compreender a experiência de mulheres que provocaram o aborto na adolescência por imposição da mãe. MÉTODO: pesquisa qualitativa com abordagem da fenomenologia social, realizada em 2010, com três mulheres, por meio de entrevista com questões abertas. RESULTADOS: as participantes tentaram esconder da mãe a gravidez, e essa, ao descobrir, decidiu que elas deveriam interrompê-la, impondo o aborto, o qual foi realizado de modo inseguro, independentemente da vontade das filhas. Após o acontecimento, o que restou foi sofrimento, culpa e arrependimento por não ter lutado contra a decisão materna. Essas mulheres têm como expectativas ter autonomia para tomar suas próprias decisões, cuidar da saúde e engravidar novamente. CONCLUSÃO: o estudo evidenciou a decisão sobre o aborto centrada na mãe da adolescente, o que merece ser explorado em outras investigações que aprofundem a relação estabelecida entre mãe e filha na situação de aborto provocado. Sugere-se a criação de espaços de diálogo para a tríade profissional saúde/adolescente/família, com destaque para a mãe, que, no contexto das relações familiares, pode ajudar a filha a enfrentar de modo seguro a gravidez precoce e a fazer sua prevenção, em vez de influenciá-la sobre a realização do aborto.

Consumo de álcool e práticas sexuais de risco: o padrão dos estudantes de enfermagem de uma universidade espanhola

Alcohol consumption and risky sexual practices: the pattern of nursing students from the Spanish University

Eugenia Gil-García; Jussara Gue Martini; Ana Maria Porcel-Gálvez

OBJETIVO: determinar a prevalência de abuso de substâncias e práticas sexuais inseguras e analisar a relação entre elas em estudantes de enfermagem da Universidade de Sevilha, Espanha. MÉTODO: abordagem metodológica quantitativa, com um delineamento transversal descritivo. A população foi constituída por estudantes do primeiro ano de enfermagem da Universidade de Sevilha, durante o ano lectivo de 2010-2011 (N=510), com amostragem oportunista consecutiva, formada por estudantes que assistiam às aulas na data prevista (n=291). RESULTADOS: alta prevalência de consumo de álcool e aumento da probabilidade de não de não serem utilizadas medidas de proteção durante as práticas sexuais, quando se consumia álcool. CONCLUSÃO: esses resultados são consistentes com aqueles obtidos em uma mesma população no Brasil e se destaca a necessidade de reforçar, no currículo de enfermagem, um eixo transversal relacionado à prevenção de abuso de substâncias, principalmente o álcool.

Fatores associados à sobreposição de tipos de violência contra a mulher notificada em serviços sentinela

Factors associated to the imposition of types of violence against women informed in sentry services

Luiza Jane Eyre de Souza Vieira; Renata Carneiro Ferreira; Gracyelle Alves Remigio Moreira; Ana Paula Soares Gondim; Maria Alix Leite Araujo; Raimunda Magalhães da Silva

OBJETIVO: identificar a prevalência e os fatores associados à sobreposição dos diferentes tipos de violência contra a mulher, notificada em serviços sentinela. MÉTODO: estudo transversal, realizado com 939 fichas de notificação de casos de violência contra a mulher, referentes ao triênio de 2006 a 2008, em Fortaleza, Ceará. Análises univariada e múltipla por regressão logística foram realizadas. RESULTADO: os resultados mostraram associação positiva entre a sobreposição de tipos de violência contra a mulher com a escolaridade variando de analfabeta a ensino fundamental e a agressão ter ocorrido outras vezes. CONCLUSÃO: esse conhecimento contribui para o delineamento de ações específicas que visam o enfrentamento dessa problemática, assim como gera subsídios para proposta adequada de atendimento e encaminhamento das vítimas que buscam os serviços de saúde.

Emergência de saúde pública: representações sociais entre gestores de um hospital universitário

Public health emergency: social representations among managers of a university hospital

Dirciara Barañano Souza; Clarice Maria Dall'Agnol

OBJETIVO: compreender as representações sociais de emergências de saúde pública entre gestores que experienciaram a Pandemia de Influenza A (H1N1), de 2009. MÉTODO: pesquisa qualitativa, do tipo estudo de caso, encontrando na Teoria das Representações Sociais sua fundamentação teórico-metodológica. As informações foram obtidas pelas técnicas de associação livre e de entrevistas semiestruturadas, aplicadas individualmente a gestores que atuavam em diferentes instâncias da estrutura gerencial hierárquica da instituição, durante a emergência pandêmica, num total de 30 participantes. RESULTADOS E DISCUSSÃO: a análise de conteúdo temática resultou nas categorias: vulnerabilidade, proteção da saúde, descaso - zonas nebulosas da esfera pública e integralidade. As representações sociais de emergências de saúde pública atestam permanências que transitam pela sobrevalorização de discursos negativos ligados ao espaço público da saúde/ensino, naturalização do caráter substancial de epidemia e normativo da ação gerencial. Entretanto, a defesa da educação permanente como necessidade, associada à gestão das emergências, acena possibilidades de mudança na percepção técnico-científica da gestão. CONCLUSÕES: o entendimento do trabalhador da saúde/enfermagem, enquanto ser político, assumindo responsabilidades nos espaços das macro e micropolíticas do Estado, dos hospitais universitários e das equipes de trabalho são caminhos que se desenham para a gestão das emergências.

Modificação na frequência alimentar de crianças e adolescentes: acompanhamento em serviço de referência

Changes in the frequency of food intake among children and teenagers: monitoring in a reference service

Larissa Soares Mariz; Carla Campos Muniz Medeiros; Caroline Evelin Nascimento Kluczynik Vieira; Bertha Cruz Enders; Alexsandro Silva Coura

OBJETIVO: identificar modificações na frequência alimentar de crianças e adolescentes com excesso de peso, tratadas em um serviço de referência. MÉTODO: estudo de coorte, realizado entre abril/2010 e abril/2011. Participaram 109 crianças e adolescentes obesos ou com sobrepeso. A população foi dividida em dois grupos, de acordo com o tempo de permanência (>6 meses e <6 meses de afastamento do tratamento). Efetuaram-se os testes de qui-quadrado e de regressão logística. RESULTADOS: a tendência do grupo com maior tempo de afastamento foi consumir mais refrigerante, massas e frituras e menos frutas e legumes. O grupo com menor tempo apresentou melhora quanto à redução do consumo de refrigerante e guloseimas. Verificou-se risco aumentado para consumo de refrigerantes, massas e guloseimas, bem como para o afastamento do tratamento na adolescência. CONCLUSÕES: o grupo com maior tempo de acompanhamento modificou positivamente a frequência alimentar. A principal contribuição do estudo é indicar que o tratamento multiprofissional, incluindo os cuidados de enfermagem, é eficaz para modificar, de forma progressiva, a frequência alimentar de crianças e adolescentes com excesso de peso.

Rotinas de cuidado em relação à saúde de famílias em transição após um desastre natural

Routine healthcare for families in transition after a natural disaster

Gisele Cristina Manfrini Fernandes; Astrid Eggert Boehs

OBJETIVO: apresentar as rotinas de cuidado com a saúde de famílias na transição pós-desastre natural, com base no referencial teórico das rotinas e rituais familiares. MÉTODO: estudo qualitativo, de múltiplos casos, desenvolvido com seis famílias rurais do Sul do Brasil, passados dois anos de um desastre natural. Os dados foram coletados com observação participante, entrevistas narrativas, genograma, ecomapa e o calendário de rotinas, prosseguindo-se com a análise das narrativas. RESULTADOS E DISCUSSÃO: nas rotinas de cuidado com a saúde das famílias, têm relevância os episódios de doença e a necessidade do atendimento profissional no pós-desastre, os cuidados na rotina diária e rotinas próprias dos serviços de saúde. CONCLUSÃO: os resultados contribuem para que a enfermagem preste atenção às experiências familiares nas transições por desastres naturais, tornando-se preparada para as mudanças e as necessidades de cuidado e promoção da saúde.

Educação permanente na estratégia saúde da família: repensando os grupos educativos

Continuing education in the family health strategy: rethinking educational groups

Cinira Magali Fortuna; Silvia Matumoto; Maria José Bistafa Pereira; Celiane Camargo-Borges; Lauren Suemi Kawata; Silvana Martins Mishima

OBJETIVO: analisar a vivência de equipe de saúde da família em ressignificar o modo como desenvolvem grupos educativos. MÉTODO: grupos de discussão, sendo realizados vinte e seis encontros grupais quinzenais, com média de quinze profissionais de equipe de saúde da família durante o ano 2009. O material empírico constituiu-se da transcrição dos grupos, sendo realizada análise temática. RESULTADOS: dois temas foram desenvolvidos e explorados com base em discussões coletivas com a equipe: "a vivência e a coordenação de grupos" e "o processo de trabalho e os grupos educativos em um serviço-escola". CONCLUSÕES: a educação permanente em saúde, desenvolvida com a equipe, permitiu não somente aprendizagens sobre os grupos educativos formados com a população, como também contribuiu para a análise da equipe a respeito de suas próprias relações e de seu processo de trabalho, que é atravessado por instituições. Esse estudo contribui para o avanço do conhecimento científico quanto ao processo de educação permanente em saúde, assim como contribui para a realização de grupos educativos com a população. Destaca-se também o dispositivo de pesquisa utilizado, que propiciou reflexividade e análise por parte da equipe sobre o processo grupal vivenciado nos encontros, levando-os a se apropriar de conhecimentos, de forma significativa e transformadora.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br