JCR: 0,634; SJR: 0,396; H Index Scopus: 26; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número: V23N1

Editorial

O enfermeiro no contexto das doenças crônicas

The nurse in the context of chronic disease

Maria Cecilia Bueno Jayme Gallani

Artigos Originais

Mudanças e acontecimentos ao longo da vida: um estudo comparativo entre grupos de idosos

Changes and events over life course: a comparative study between groups of older adults

Luípa Michele Silva, Antônia Oliveira Silva, Luiz Fernando Rangel Tura, Maria Adelaide Silva Paredes Moreira, Jordana Almeida Nogueira, Stefano Cavalli

Objetivo: identificar as mudanças ocorridas ao longo do último ano no percurso de vida de idosos, bem como as valorações atribuídas a estas mudanças. Método: trata-se de um estudo multicêntrico, transversal, tipo inquérito, realizado em três cidades do Nordeste brasileiro, que investigou dois grupos distintos de idosos. Resultados: entre os 236 idosos entrevistados, 30% relataram que a saúde foi a principal mudança em seu curso de vida no último ano, sendo esta categoria de resposta mais significativa entre os idosos de 80 a 84 anos (37,7%). Modificações na família foram citadas por 11,5% dos idosos, falecimento (9,6%) e alterações nas atividades cotidianas (9,6%). Quanto à valoração atribuída a estas mudanças, verificou-se que para 64,7% dos idosos, entre 65 e 69 anos, as mudanças foram vantajosas. No grupo mais velho, 49,4% dos idosos acreditam que suas mudanças foram relacionadas a perdas. Conclusão: o conhecimento das mudanças referidas, a valoração atribuída a estas mudanças e a autoavaliação de saúde favorecem informações que auxiliam na formulação de ações mais específicas às reais necessidades destes grupos etários. Além disso, proporciona aos profissionais de saúde melhor compreensão de como são vivenciadas algumas situações na trajetória de vida destes idosos.

Qualidade de vida de coronariopatas após implementação de estratégias de planejamento para adesão medicamentosa

Quality of life of coronary artery disease patients after the implementation of planning strategies for medication adherence

Laura Bacelar de Araujo Lourenço, Roberta Cunha Matheus Rodrigues, Thaís Moreira São-João, Maria Cecília Bueno Jayme Gallani, Marilia Estevam Cornélio

Objetivo: comparar a qualidade de vida relacionada à saúde - geral e específica - de pacientes coronariopatas entre os grupos Intervenção e Controle, após a implementação das estratégias de Planejamento de Ação e de Enfrentamento de Obstáculos para adesão medicamentosa e verificar a relação entre adesão e qualidade de vida, relacionada à saúde. Método: trata-se de estudo controlado e randomizado. Resultados: a amostra (n=115) foi aleatorizada nos grupos Intervenção (n=59) e Controle (n=56). Foram obtidas medidas de adesão medicamentosa e de qualidade de vida relacionada à saúde geral e específica, na fase inicial do estudo e após dois meses de seguimento. Conclusão: os achados evidenciaram que a combinação de estratégias de intervenção - Planejamento de Ação e de Enfrentamento de Obstáculos para adesão medicamentosa não influenciou a qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes coronariopatas em seguimento ambulatorial.

Análise comparativa da não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica em população urbana e rural

Comparative analysis of non-adherence to medication treatment for systemic arterial hypertension in urban and rural populations

Patricia Magnabosco, Eliana Cavalari Teraoka, Edward Meirelles de Oliveira, Elisangela Aparecida Felipe, Dayana Freitas, Leila Maria Marchi-Alves

Objetivo: avaliar os índices e os principais fatores associados a não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica, entre área urbana e rural. Método: estudo analítico baseado em inquérito epidemiológico, realizado com amostra de 247 hipertensos moradores das áreas rural e urbana, com aplicação de questionário sociodemográfico, econômico e avaliação da adesão. Foi utilizado o teste quiquadrado de Pearson e calculado o Odds Ratio (OD) para análise dos fatores relacionados a não adesão. Resultados: a prevalência da não adesão foi de 61,9%, sendo maior na área urbana (63,4%). Os fatores que apresentaram associação estatisticamente significativa com a não adesão foram: gênero masculino (OR=1,95; IC95% 1,08-3,50), faixa etária entre 20 e 59 anos (OR=2,51; IC95% 1,44-4,39), baixa classe econômica (OR=1,95; IC95% 1,09-3,47), etilismo (OR=5,92; IC 95% 1,73-20,21), tempo curto de diagnóstico de hipertensão (OR=3,07; IC95% 1,35-6,96) e não procura pelo serviço de saúde para consultas de rotina (OR=2,45; 1,35-4,42). Conclusão: as características sociodemográficas, econômicas, hábitos de vida e o modo de relacionar-se com os serviços de saúde foram os fatores que apresentaram associação com a não adesão, independentemente do local de residência.

Avaliação das escalas de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos: uma coorte prospectiva

Evaluation of the pressure ulcers risk scales with critically ill patients: a prospective cohort study

Andressa Tomazini Borghardt, Thiago Nascimento do Prado, Thiago Moura de Araújo, Noemi Marisa Brunet Rogenski, Maria Edla de Oliveira Bringuente

Objetivos: avaliar a acurácia das escalas de avaliação de risco de Braden e de Waterlow, em pacientes críticos internados. Método: trata-se de uma coorte prospectiva, com 55 pacientes nas unidades intensivas, por meio de avaliação de variáveis sociodemográficas e clínicas, de aplicação das escalas (Waterlow e Braden), na admissão e a cada 48 horas, da avaliação e classificação das úlceras em categorias. Resultados: a incidência de úlcera por pressão foi de 30,9%, as escalas de Braden e de Waterlow apresentaram, nas três avaliações, alta sensibilidade (41% e 71 %) e baixa especificidade (21% e 47%), respectivamente. Os escores de coorte encontrados na primeira, segunda e terceira avaliações foram de 12, 12 e 11, na escala de Braden, e de 16, 15 e 14 na escala de Waterlow. Conclusão: a escala de Braden apresentou-se como bom instrumento de triagem, e a de Waterlow com melhor poder preditivo.

Uso de pulseiras de identificação em pacientes internados em um hospital universitário

Use of identification wristbands among patients receiving inpatient treatment in a teaching hospital

Louíse Viecili Hoffmeister, Gisela Maria Schebella Souto de Moura

Objetivo: avaliar o uso da pulseira de identificação em pacientes hospitalizados em unidades de internação. Método: pesquisa quantitativa, descritiva e transversal, com amostra de 385 pacientes. A coleta de dados ocorreu por método observacional, mediante preenchimento de um formulário estruturado, visando a conferência da pulseira de identificação e os identificadores utilizados.  Para análise foi utilizada estatística descritiva com frequências absolutas e relativas. Resultados: 83,9% dos pacientes encontravam-se com a pulseira corretamente identificada, 11,9% possuíam a pulseira de identificação com erros e 4,2% dos pacientes estavam sem a pulseira. As principais inconformidades encontradas nas pulseiras de identificação foram nomes incompletos, números de registros diferentes, ilegibilidade dos dados e problemas na integridade. Conclusão: o estudo mostrou o engajamento dos profissionais no processo de identificação dos pacientes, evidenciando alta taxa de conformidade das pulseiras. Além disso, contribuiu ao identificar elementos no uso de pulseiras que podem ser aprimorados para o seguro processo de identificação.

Intervenções de enfermagem no domicílio melhoram conhecimento sobre a doença e tratamento em pacientes com insuficiência cardíaca

Home-based nursing interventions improve knowledge of disease and management in patients with heart failure

Karina de Oliveira Azzolin, Dayanna Machado Lemos, Amália de Fátima Lucena, Eneida Rejane Rabelo-Silva

Objetivo: verificar o conhecimento dos pacientes sobre insuficiência cardíaca, por meio de dois Resultados de Enfermagem em ambiente domiciliar, durante um seguimento de seis meses e, correlacionar a média dos seus indicadores com um Questionário de Conhecimento sobre insuficiência cardíaca. Métodos: neste estudo tipo antes-depois, pacientes com insuficiência cardíaca receberam quatro visitas domiciliares, durante seis meses, após a alta hospitalar. Em cada visita foram implementadas Intervenções de Enfermagem, mensurados os Resultados e aplicado o Questionário do Conhecimento. Resultados: vinte e três pacientes receberam visitas em domicílio. Na visita um, o Resultado Conhecimento: Medicação obteve média de 2,27±0,14 e na visita quatro, 3,55±0.16 (P<0,001), e o Resultado Conhecimento: Regime Terapêutico 2,33±0,13 na visita um e 3,59±0,14 na visita quatro (P<0,001). A correlação entre o Questionário do Conhecimento e os escores da Classificação dos Resultados de Enfermagem foi de forte magnitude na visita domiciliar um (r=0.7, P<0,01), mas fraca e não significativa na visita quatro. Conclusão: os resultados indicaram progresso do conhecimento sobre insuficiência cardíaca e correlação forte entre a Classificação dos Resultados de Enfermagem e os escores do Questionário do Conhecimento. A Classificação dos Resultados de Enfermagem mostrou-se efetiva na avaliação do conhecimento quando comparada ao instrumento validado.

Aplicabilidade clínica dos resultados de enfermagem na evolução de pacientes ortopédicos com mobilidade física prejudicada

Clinical applicability of nursing outcomes in the evolution of orthopedic patients with Impaired Physical Mobility

Marcos Barragan da Silva, Miriam de Abreu Almeida, Bruna Paulsen Panato, Ana Paula de Oliveira Siqueira, Mariana Palma da Silva, Letícia Reisderfer

Objetivo: avaliar a aplicabilidade clínica de resultados, segundo a Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC), na evolução de pacientes ortopédicos com Mobilidade Física Prejudicada. Método: estudo longitudinal realizado em um hospital universitário, com 21 pacientes submetidos à Artroplastia Total de Quadril, em 2012, avaliados diariamente por pares de coletadoras capacitadas. Os dados foram coletados por meio de instrumento contendo cinco Resultados de Enfermagem, 16 indicadores clínicos e uma escala Likert de cinco pontos, que foram analisados estatisticamente. Resultados: os resultados Posicionamento do Corpo: autoiniciado, Mobilidade, Conhecimento: atividade prescrita e comportamento de prevenção de quedas apresentaram aumento significativo nos escores quando comparadas às médias da primeira com a última avaliação (p<0,001) e (p=0,035). Conclusão: o uso dos resultados da NOC possibilitou demonstrar a evolução clínica dos pacientes ortopédicos com Mobilidade Física Prejudicada e sua aplicabilidade neste cenário.

Sistematização da Assistência de Enfermagem na graduação: um olhar sob o Pensamento Complexo

Systematization of Nursing Care in undergraduate training: the perspective of Complex Thinking

Josilaine Porfírio da Silva, Mara Lucia Garanhani, Aida Maris Peres

Objetivo: analisar as percepções dos acadêmicos de um curso de graduação em enfermagem sobre sua formação em Sistematização da Assistência de Enfermagem. Método: estudo qualitativo compreensivo, realizado com 32 acadêmicos das quatro séries do curso de enfermagem de uma universidade pública brasileira estadual, que tem a Sistematização da Assistência de Enfermagem como tema transversal. A coleta de dados foi realizada por meio de grupo focal, com questões orientadoras que abordaram a aprendizagem do tema. Os grupos focais foram gravados, filmados, transcritos na íntegra e submetidos a um processo de análise de conteúdo, segundo Bardin. O referencial teórico empregado foi o Pensamento Complexo, proposto por Edgar Morin. Resultados: foram elaboradas três categorias que agruparam as atividades de ensino e aprendizagem, os sentimentos vivenciados e a visão do estudante sobre sua formação em Sistematização da Assistência de Enfermagem. Conclusão: constatou-se que a temática está presente em todas as séries, porém, de maneira fragmentada e que, o desenvolvimento do processo e da consulta de enfermagem na prática foram as atividades que marcaram o aprendizado da Sistematização da Assistência de Enfermagem dos acadêmicos.

Sobrevida e mortalidade em usuários e não usuários de hidroxiureia com doença falciforme

Survival and mortality among users and non-users of hydroxyurea with sickle cell disease

Olinda Maria Rodrigues de Araujo, Maria Lúcia Ivo, Marcos Antonio Ferreira Júnior, Elenir Rose Jardim Cury Pontes, Ieda Maria Gonçalves Pacce Bispo, Eveny Cristine Luna de Oliveira

Objetivo: estimar a sobrevida, mortalidade e causa de morte em usuários ou não de hidroxiureia com doença falciforme. Método: coorte retrospectiva de 1980 a 2010, de pacientes internados em dois hospitais públicos brasileiros. Determinou-se a probabilidade de sobrevida com Kaplan-Meier, cálculos de sobrevida (SPSS versão 10.0), comparação entre curvas de sobrevida e método Log Rank. Nível de significância p=0,05. Resultados: de 63 pacientes, 87% estavam com anemia falciforme, sendo 39 em uso de hidroxiureia, com média de idade na instituição do fármaco de 20,0±10,0 anos e dosagem média de 17,37±5,4 a 20,94±7,2mg/kg/dia, elevando a hemoglobina fetal. Na comparação de usuários e não usuários de hidroxiureia, a curva de sobrevida foi maior nos usuários (p=0,014). Ocorreram 10 óbitos, com idade média de 28,1 anos, tendo como causa principal a Insuficiência Respiratória Aguda. Conclusão: a curva de sobrevida é maior nos usuários de hidroxiureia. Os resultados apontam a importância do enfermeiro incorporar avanços terapêuticos da hidroxiureia em suas ações assistenciais.

Fatores sociodemográficos e clínicos de mulheres com papilomavírus humano e sua associação com o vírus da imunodeficiência humana

Sociodemographic and clinical factors of women with HPV and their association with HIV

Joice Gaspar, Silvana Maria Quintana, Renata Karina Reis, Elucir Gir

Objetivo: identificar a associação entre a sorologia reagente ou não reagente para o vírus da imunodeficiência humana e as variáveis sociodemográficas e clínicas de mulheres com infecção genital pelo papilomavírus humano. Método: estudo transversal, retrospectivo, realizado em um serviço de referência em Ribeirão Preto. Foram estudadas 824 mulheres submetidas ao teste antivírus da imunodeficiência humana que possuíam lesão intraepitelial cervical de baixo ou alto grau ou condiloma como lesão genital, causada pelo papilomavírus humano. Para verificar a associação, realizou-se o teste qui-quadrado e análise de regressão logística com cálculo de Odds Ratio e intervalo de confiança de 95%. Resultados: identificou-se maior probabilidade de soropositividade para mulheres não brancas; de baixa escolaridade; viúvas; que consumiam álcool, tabaco ou droga ilícita; com hepatite C; que possuíam múltiplos parceiros e as que se prostituíam. Conclusão: diante do crescente acometimento das mulheres pelas infecções sexualmente transmissíveis, considerando a influência do contexto socioeconômico e comportamental no percurso dessas infecções, destaca-se a importância de políticas públicas que estabeleçam estratégias de intervenção envolvendo a prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento oportuno desses agravos, a fim de que haja promoção na qualidade de vida dessa população.

Barreiras na inclusão da sexualidade no cuidado de enfermagem de mulheres com câncer ginecológico e mamário: perspectiva das profissionais

Barriers for the inclusion of sexuality in nursing care for women with gynecological and breast cancer: perspective of professionals

Simone Mara de Araújo Ferreira, Thais de Oliveira Gozzo, Marislei Sanches Panobianco, Manoel Antônio dos Santos, Ana Maria de Almeida

Objetivo: estudo qualitativo cujo objetivo é identificar as barreiras que influenciam as práticas de enfermagem relacionadas à sexualidade no cuidado de mulheres com câncer de mama e ginecológico. Método: o estudo foi conduzido com 16 profissionais da equipe de enfermagem (enfermeiras, técnicas de enfermagem e auxiliares de enfermagem) de dois setores de um hospital universitário situado no estado de São Paulo. Os dados foram coletados em entrevista individual semiestruturada em profundidade. Todas as entrevistas foram gravadas e as respostas dos participantes agrupadas em categorias por meio da Análise de Conteúdo. Resultados: três temas principais foram identificados: 1) barreiras relacionadas ao modelo biomédico; 2) barreiras relacionadas à dinâmica institucional e 3) barreiras relacionadas à interpretação social da sexualidade. Conclusão: os resultados deste estudo revelam que a inclusão da temática de forma sistematizada nas rotinas do cuidado de enfermagem exige mudanças no paradigma de saúde e na dinâmica do trabalho, além de reflexões sobre valores pessoais e interpretações sociais relativas ao tema. Um grande desafio consiste em destituir a sexualidade dos tabus e preconceitos que a acompanham, bem como contribuir para que a equipe de enfermagem seja mais consciente das dificuldades enfrentadas pelas mulheres com câncer ginecológico e mamário.

Conhecimento sobre câncer de mama e câncer de mama hereditário entre enfermeiros em um hospital público

Knowledge about breast cancer and hereditary breast cancer among nurses in a public hospital

Carmen Maria Dornelles Prolla, Patrícia Santos da Silva, Cristina Brinckmann Oliveira Netto, José Roberto Goldim, Patricia Ashton-Prolla

Objetivo: avaliar os conhecimentos de enfermeiros envolvidos nos cuidados de pacientes oncológicos em um hospital público universitário, em relação ao câncer de mama e ao câncer de mama hereditário e verificar o uso de tais conhecimentos em sua prática diária. Métodos: este é um estudo transversal. Os dados foram obtidos por meio de um questionário estruturado autoaplicado. De um total de 154 enfermeiros convidados a participar do estudo, 137 (88,9%) concordaram. Dois questionários foram excluídos, totalizando 135 analisados. Resultados: a porcentagem global de respostas corretas não estava associada à idade (p = 0,173) ou à formação/especialização (p = 0,815). As perguntas foram classificadas em categorias. Nas categorias que abrangiam conhecimentos relacionados aos fatores de risco estabelecidos para o câncer de mama e aos indicadores do câncer de mama hereditário, a taxa de respostas corretas foi de 65,8% e 66,4%, respectivamente. Em relação à prática de aconselhamento genético, 40,7% dos entrevistados não tinham certeza sobre a definição de aconselhamento genético, e 78,5% relataram nunca ter identificado ou encaminhado um paciente com risco genético para uma avaliação de riscos especializada. A prática de ações educativas em relação a esse tema foi relatada por 48,5% dos entrevistados. Conclusão: este estudo reforça a necessidade de desenvolver ações qualificadoras para enfermeiros de modo que as estratégias para o controle do câncer tornem-se eficientes em suas prática de cuidados de saúde.

Avaliação dos Programas de Controle de Infecção Hospitalar em serviços de saúde

Evaluation of Nosocomial Infection Control Programs in health services

Mayra Gonçalves Menegueti, Silvia Rita Marin da Silva Canini, Fernando Bellissimo-Rodrigues, Ana Maria Laus

Objetivos: avaliar os Programas de Controle de Infecção Hospitalar nas instituições hospitalares, quanto aos indicadores de estrutura e processo. Método: trata-se de um estudo descritivo, exploratório e quantitativo, realizado em 2013. A população foi composta por 13 Programas de Controle de Infecção Hospitalar de serviços de saúde, de uma cidade brasileira do interior paulista. Foram utilizados instrumentos de domínio público, disponibilizados no Manual de Indicadores de Avaliação de Práticas de Controle de Infecção Hospitalar. Resultados: os indicadores com maior média de conformidade foram “Avaliação da Estrutura dos Programas de Controle de Infecção Hospitalar” (75%) e “Avaliação do Sistema de Vigilância Epidemiológica de Infecção Hospitalar” (82%) e os com menores médias foram “Avaliação das Diretrizes Operacionais” (58,97%) e “Avaliação das Atividades de Controle e Prevenção de Infecção Hospitalar” (60,29%). Conclusão: o uso de indicadores identificou que, apesar do conhecimento produzido sobre ações de prevenção e controle de infecções hospitalares, ainda existe um grande hiato entre prática e recomendações.

Liderança do enfermeiro em unidade de terapia intensiva e sua relação com ambiente de trabalho

Nursing leadership in intensive care units and its relationship to the work environment

Alexandre Pazetto Balsanelli, Isabel Cristina Kowal Olm Cunha

Objetivo: verificar se o ambiente de trabalho relaciona-se com a liderança do enfermeiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Método: estudo correlacional realizado em quatro UTIs da zona sul de São Paulo (SP), Brasil. A população constituiu-se de 66 duplas (enfermeiros e técnicos de enfermagem), definidas por meio de sorteio. Os enfermeiros responderam a três instrumentos: 1-) caracterização; 2-) Nursing Work Index Revised, versão para a língua portuguesa validada (B-NWI-R); e 3-) Grid & Liderança em Enfermagem: comportamento ideal. Os técnicos em enfermagem responderam: 1-) caracterização e 2-) Grid & Liderança em Enfermagem: comportamento real considerando o enfermeiro que o sorteou. Os dados foram analisados por meio da ANOVA com p ≤0,05. Resultados: o ambiente de trabalho não se relacionou com a liderança real do enfermeiro (p=0,852). A característica da instituição à qual pertencem os enfermeiros das UTIs, em privada ou pública, não foi significativa para a liderança (p=0,437). Destaca-se apenas o domínio Relação entre Médicos e Enfermeiros, com p=0,001. Conclusão: a escolha do estilo de liderança pelos enfermeiros deve corresponder às características da UTI. Esta competência pode ser desenvolvida e o ambiente de trabalho não exerceu influência na população estudada.

Cochilo durante o plantão noturno e a recuperação após o trabalho entre enfermeiros de hospitais

Napping during the night shift and recovery after work among hospital nurses

Thaís Aparecida de Castro Palermo, Lúcia Rotenberg, Regina Célia Gollner Zeitoune, Aline Silva-Costa, Ester Paiva Souto, Rosane Härter Griep

Objetivo: analisar a associação entre duração do cochilo durante o plantão noturno e recuperação após o trabalho, entre enfermeiros. Método: estudo epidemiológico seccional com 1940 enfermeiros, de 18 hospitais públicos, do Município do Rio de Janeiro. Utilizou-se questionário multidimensional e autopreenchível com informações sobre saúde, características sociodemográficas, ocupacionais, comportamentos relacionados à saúde e trabalho doméstico. Utilizou-se a regressão logística múltipla, buscando identificar a associação ajustada por variáveis de confundimento. Resultados: as análises brutas mostraram chances 44%, 127% e 66% mais elevadas de alta recuperação após o trabalho, para aqueles que dormem até 2 horas, de 2,1 a 3 horas e de 3,1 horas ou mais, respectivamente, comparados aos que não dormem. Após o ajuste por variáveis de confundimento, a associação permanece significativa apenas para o grupo que dorme de 2,1 a 3 horas durante o plantão noturno (OR=1,79; IC95%=1,33-2,41). Conclusão: a associação entre tempo de cochilo e alta recuperação após o trabalho, confirmada nos resultados, pode compor os estudos que buscam subsidiar políticas mais adequadas voltadas à melhoria das condições de trabalho, de vida e saúde dos trabalhadores, não apenas da enfermagem, mas trabalhadores noturnos de forma geral.

Contribuição da educação a distância para o conhecimento de docentes de enfermagem sobre avaliação de feridas crônicas

The contribution of distance learning to the knowledge of nursing lecturers regarding assessment of chronic wounds

Márcia Beatriz Berzoti Gonçalves, Soraia Assad Nasbine Rabeh, César Augusto Sangaletti Terçariol

Objetivo: identificar a contribuição de um curso de atualização sobre a avaliação de feridas crônicas, oferecido pelo Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle, para o conhecimento de docentes de enfermagem e enfermeiros vinculados ao ensino superior, acerca da temática. Método: estudo prospectivo, quase-experimental, com coleta de dados antes e após intervenção educativa. O estudo foi desenvolvido em três etapas, através do AVA Moodle. A amostra foi composta por 28 participantes, que responderam ao pré-teste de conhecimento, elaborado de acordo com diretrizes internacionais sobre feridas crônicas. Após, o curso de atualização foi oferecido (intervenção) e acessado conforme programação individual, durante prazo estabelecido. Ao término do curso, 26 participantes responderam ao pós-teste. Aqueles que não participaram do pós-teste foram excluídos do estudo, por tratar-se da análise pareada da amostra. Resultado: os participantes obtiveram, em média, 55,5% de acertos no pré-teste de conhecimento, e 73,4%, no pós-teste, sendo essa diferença estatisticamente significante. Houve correlação negativa entre o tempo de experiência na docência e o desempenho no teste de conhecimento. Conclusão: a participação no curso de atualização on-line contribuiu para melhor desempenho dos docentes no teste de conhecimentos, sobre as recomendações para avaliação de feridas crônicas, com embasamento em evidência científicas.

Adaptação e validação do Inventário de Sobrecarga do Cuidador para uso em cuidadores de idosos

Adaptation and validation of the Caregiver Burden Inventory for use with caregivers of elderly individuals

Daiany Borghetti Valer, Marinês Aires, Fernanda Lais Fengler, Lisiane Manganelli Girardi Paskulin

Objetivo: adaptar e validar o Inventário de Sobrecarga do Cuidador para uso em cuidadores de idosos no Brasil. Método: estudo metodológico envolvendo tradução inicial, síntese das traduções, retrotradução, revisão por comitê de especialistas, pré-teste, envio da versão final para apreciação dos autores da versão original, e avaliação de suas propriedades psicométricas. O inventário avalia cinco dimensões de sobrecarga do cuidador: tempo dependente, sobrecarga à vida pessoal, física, social e emocional. Resultados: participaram do estudo 120 cuidadores familiares. Todos os indivíduos sob cuidado destes cuidadores eram idosos que dependiam de assistência para realizar atividades da vida diária e residiam na região central da cidade de Porto Alegre, RS, Brasil. O valor alfa de Cronbach encontrado para o inventário foi de 0,936 e o coeficiente de correlação Pearson para a relação entre os escores obtidos no Inventário de Sobrecarga do Cuidador e na escala Burden Interview foi de 0,814. O coeficiente de correlação intraclasse foi de 0,941 e o valor do teste t de Student que comparou os escores do teste e reteste foi de 0,792. Conclusão: o instrumento apresentou confiabilidade apropriada e a adequação de seus itens e domínios foi confirmada neste estudo.

Validação do construto e da confiabilidade de uma escala de inteligência emocional aplicada a estudantes de enfermagem

A validation of the construct and reliability of an emotional intelligence scale applied to nursing students

Maritza Espinoza-Venegas, Olivia Sanhueza-Alvarado, Noé Ramírez-Elizondo, Katia Sáez-Carrillo

Objetivo: este estudo tem como objetivo validar o construto e a confiabilidade de uma escala de inteligência emocional. Método: a escala Trait Meta-Mood Scale-24 foi aplicada em 349 estudantes de enfermagem. O processo envolveu a validação do conteúdo, que compreendeu avaliações de especialistas, testes piloto, medição da confiabilidade utilizando o coeficiente alfa de Cronbach e análise fatorial para corroborar a validade do construto do modelo teórico. Resultados: coeficientes de Cronbach adequados foram obtidos nas três dimensões e a análise fatorial confirmou as dimensões da escala (percepção, compreensão e regulação). Conclusão: a Trait Meta-Mood Scale-24 é um instrumento confiável e válido para medir a inteligência emocional de estudantes de enfermagem. Seu uso permite determinar precisamente a capacidade dos indivíduos de interpretar e gerenciar emoções. Ao mesmo tempo, esse novo construto é de potencial importância para medidas em liderança em enfermagem; para o aperfeiçoamento educacional, organizacional e pessoal e para o estabelecimento de relacionamentos eficazes com os pacientes.

Adaptação e validação de indicadores para o processamento de produtos na atenção primária à saúde

Adaptation and validation of indicators concerning the sterilization process of supplies in Primary Health Care services

Isis Pienta Batista Dias Passos, Maria Clara Padoveze, Camila Eugênia Roseira, Rosely Moralez de Figueiredo

Objetivos: adaptar e validar para o uso no âmbito da APS, por meio de consenso de especialistas, um conjunto de indicadores para avaliação do processamento de artigos odonto-médico-hospitalares. Método: estudo metodológico quantitativo, realizado em duas fases subsequentes. Na primeira fase, um grupo focal foi desenvolvido com especialistas, a fim de adaptar os indicadores para uso em Atenção Primária em Saúde. Na segunda fase, os indicadores foram submetidos à validação pelos juízes, através de uma escala tipo Likert de 4 pontos, considerando-se Índice de Validade de Conteúdo ≥0,75 para aprovação dos indicadores. Resultados: as adaptações do grupo focal foram principalmente quanto à: estrutura física, inserção de profissionais de odontologia, inclusão de desinfecção química e substituição de métodos de esterilização por calor seco por calor úmido. A fase de validação resultou num total de 0,96 de índice para os componentes dos indicadores, variando 0,90-1,00. Conclusão: após adaptação os indicadores foram considerados validados pelos juízes. Embora haja diferença entre os produtos de processamento em todo o mundo, certamente características comuns podem ser encontradas, principalmente em países com ambiente econômico e cultural similares. Deve-se considerar a inclusão desses indicadores para avaliação da segurança dos produtos na atenção primária à saúde.

Adaptação cultural, validade de conteúdo e confiabilidade interobservadores do “STAR Skin Tear Classification System”

Cultural adaptation, content validity and inter-rater reliability of the “STAR Skin Tear Classification System”

Kelly Cristina Strazzieri-Pulido, Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos, Kerlyn Carville

Objetivos: realizar a adaptação cultural do STAR Skin Tear Classification System, para a língua portuguesa e testar a validade de conteúdo e a confiabilidade interobservadores da versão adaptada. Métodos: estudo metodológico com abordagem quantitativa. A adaptação cultural foi desenvolvida em três fases: tradução, avaliação por comitê de juízes e retrotradução. O instrumento foi testado quanto à validade de conteúdo e confiabilidade interobservadores. Resultados: a versão adaptada obteve um nível regular de concordância quando aplicada por enfermeiros em fotografias de lesões por fricção. Quando aplicada na prática clínica, a versão adaptada obteve nível moderado e estatisticamente significativo de concordância. Conclusão: o estudo atestou a validade de conteúdo e a confiabilidade interobservadores da versão adaptada para a língua portuguesa. Sua inclusão na prática clínica possibilitará a correta identificação desse tipo de lesão, além da implementação de protocolos para a prevenção e tratamento das lesões por fricção.

Avaliação da cicatrização da episiotomia: confiabilidade da escala REEDA (Redness, Oedema, Ecchymosis, Discharge, Approximation)

Episiotomy healing assessment: Redness, Oedema, Ecchymosis, Discharge, Approximation (REEDA) scale reliability

Marina Barreto Alvarenga, Adriana Amorim Francisco, Sonia Maria Junqueira Vasconcellos de Oliveira, Flora Maria Barbosa da Silva, Gilcéria Toshika Shimoda, Lucas Petri Damiani

Objetivo: analisar a confiabilidade da escala REEDA (Redness, Oedema, Ecchymosis, Discharge, Approximation) para avaliar a cicatrização do períneo após parto vaginal com episiotomia médio-lateral direita. Método: estudo observacional, baseado em dados coletados em ensaio clínico, conduzido com 54 mulheres, selecionadas aleatoriamente. As mesmas tiveram o processo de cicatrização perineal avaliado em quatro momentos (de 6 horas a 10 dias após o parto), por enfermeiras treinadas para o uso da escala. O coeficiente kappa foi usado para análise de confiabilidade da escala REEDA. Resultados: os resultados indicam bom nível de concordância na avaliação do item secreção (0,75< Kappa ≥0,88), concordância boa e marginal em relação ao item equimose (0,25< Kappa ≥0,42), e bom nível de concordância em relação à hiperemia (0,46< Kappa ≥0,66). O nível de concordância referente à avaliação do item coaptação diminuiu de excelente, na primeira avaliação, para bom, na última avaliação. Conclusão: a diferença entre as pontuações atribuídas pelas avaliadoras na aplicação da escala indica que o instrumento precisa ser melhorado, para permitir avaliações mais precisas do processo de cicatrização da episiotomia.

Artigos de Revisão

Interrupções de atividades de enfermeiros e a segurança do paciente: revisão integrativa da literatura

Interruptions of nurses’ activities and patient safety: an integrative literature review

Cintia Monteiro, Ariane Ferreira Machado Avelar, Mavilde Luz Gonçalves Pedreira

Objetivos: identificar características relacionadas à interrupção de enfermeiros em sua prática profissional, bem como avaliar as implicações para a segurança do paciente. Método: foi realizada revisão de literatura do tipo integrativa, com busca nas bases de dados Pubmed/Medline, LILACS, SciELO e Biblioteca Cochrane, utilizando os descritores interruptions e patient safety. A data inicial não foi limitada e a data final foi 31 de dezembro de 2013, identificando-se 29 artigos que atenderam aos critérios de inclusão. Resultados: todos os artigos revisados descreveram a interrupção como fator prejudicial à segurança do paciente. A análise destes estudos revelou três categorias relevantes: características da interrupção, implicações da interrupção para a segurança do paciente e intervenções para minimizar as interrupções. Conclusão: a interrupção favorece a ocorrência de erros na saúde. Assim, notou-se necessidade de novas pesquisas para compreender tal fenômeno e seus efeitos na prática clínica.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br