JCR: 0,634; SJR: 0,396; H Index Scopus: 26; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número: V19N3

Artigos Originais

Determinantes da qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes ambulatoriais com insuficiência cardíaca

Health-related quality of life determinants in outpatients with heart failure

Viviane Martinelli Pelegrino; Rosana Aparecida Spadoti Dantas; Alexander Michael Clark

Trata-se de estudo descritivo e exploratório que analisou as variáveis associadas à qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS), de 130 pacientes com insuficiência cardíaca, em seguimento ambulatorial. A QVRS foi avaliada pelo Minnesota Living with Heart Failure e realizada análise de regressão linear. A média da QVRS foi de 34,9 (dp=24,8; intervalo de 0 a 99). Foram encontradas associações significantes entre a medida da QVRS e idade (r=-0,177; p=0,044), vitalidade (r=-0,625; p=<0,001) e saúde mental (r=-0,672; p=<0,001), domínios do SF-36. A regressão linear mostrou que a gravidade dos sintomas da insuficiência cardíaca, e dois domínios do SF-36, vitalidade e saúde mental, explicaram 54% da variação da medida da QVRS. Controlar os sintomas e manter bem-estar mental é essencial para a manutenção da QVRS e são essenciais para o cuidado eficaz da insuficiência cardíaca.

A dinâmica da família de idosos mais idosos no contexto de Porto, Portugal

The family dynamics of elder elderly in the context of Porto, Portugal

Lucia Hisako Takase Gonçalves; Maria Arminda Mendes Costa; Maria Manoela Martins; Silvia Modesto Nassar; Roberta Zunino

Este é um estudo descritivo que objetivou conhecer a dinâmica de família de idosos com 80 anos ou mais, sob cuidados do familiar cuidador, em domicílio. Cuidadores e idosos, registrados na unidade de saúde familiar da grande região do Porto, compuseram amostra de 107 unidades. Dados colhidos entre 9/2009 e 3/2010, por instrumentos de dinâmica familiar, qualidade de vida e de estilo de vida, resultaram em: aumento de cuidador masculino e de cônjuge idoso de seu par dependente e inclusão substancial no elenco de familiares cuidadores: netas(os), sobrinhas(os) e irmãs(os). Estilo de vida do cuidador revelou-se regular como também a qualidade de vida de ambos: cuidador e idoso, apesar de a dinâmica de família se mostrar de boa funcionalidade. Limitações impedem a generalização dos resultados, porém, fornece subsídios relevantes para o desenvolvimento do programa de saúde familiar e de enfermagem de família.

Doenças crônicas não transmissíveis e as tecnologias em saúde

Chronic non-communicable diseases and health technologies

Maria Lúcia Zanetti

Qualidade de vida, felicidade e satisfação com a vida em anciãos com 75 anos ou mais, atendidos num programa de atenção domiciliária

Quality of life, happiness and satisfaction with life of individuals 75 years old or older cared for by a home health care program

Montserrat Puig Llobet; Nuria Rodríguez Ávila; Jaume Farràs Farràs; Maria Teresa Lluch Canut

Objetivou-se detectar os elementos que participam da qualidade de vida (QV) das pessoas com 75 anos, ou mais que recebem cuidados domiciliários. O desenho foi de estudo de caso. A amostra do estudo foi configurada por pessoas com 75 anos, ou mais, atendidas pelo serviço de Atendimento Domiciliário da Área Básica de Vilafranca del Penedès (n=26). As variáveis foram: a) dados sociodemográficos, b) conceito de QV, c) percepção de QV, d) motivos, e) satisfação com a vida e aspectos relacionados e f) sentimento de felicidade. Aplicou-se a técnica da entrevista frente a frente. Do total, 76,9% apresentou boa percepção de QV e os principais elementos relacionados foram: saúde, relações familiares e sociais e adaptação. A teoria dos papéis e a teoria da desvinculação explicam o processo de adaptação desses indivíduos, nessa etapa da vida.

Marcadores de vulnerabilidade ao câncer de colo do útero em mulheres infectadas pelo HIV

Markers of vulnerability for cervical cancer in HIV-infected women

Daniele Mary Silva de Brito; Marli Teresinha Gimeniz Galvão; Maria Lúcia Duarte Pereira

Objetivou-se identificar as dimensões e os marcadores de vulnerabilidade entre mulheres infectadas pelo HIV, para o desenvolvimento do câncer cérvico-uterino. Participaram 76 mulheres, infectadas pelo HIV, de outubro de 2007 a junho de 2008, atendidas em Fortaleza, CE, Brasil. Entrevista semiestruturada propiciou avaliar dados sociodemográficos, clínicos, sexuais e situações relacionadas ao seguimento em saúde e à prevenção contra câncer cérvico-uterino. Os dados possibilitaram o agrupamento de situações indicadas nas dimensões e marcadores de vulnerabilidade. As mulheres infectadas pelo HIV possuem diferentes situações que as tornam vulneráveis ao desenvolvimento do câncer de colo uterino, ligadas às dimensões individual, programática e social. Conclui-se ser essa população vulnerável ao câncer de colo do útero e serem necessárias ações preventivas específicas, para fornecer informações associadas à detecção precoce da doença, melhoria do nível de conhecimento, estímulo ao autocuidado e melhoria da qualidade dos serviços de saúde destinados a essa clientela.

Ocupação e fatores de risco para diabetes tipo 2: estudo com trabalhadores de enfermagem

Occupation and risk factors for type 2 diabetes: a study with health workers

Vitória de Cássia Félix de Almeida; Maria Lúcia Zanetti; Paulo César de Almeida; Marta Maria Coelho Damasceno

Objetivou-se analisar as inter-relações entre ocupação e prevalência de fatores de risco para diabetes tipo 2. Participaram 299 sujeitos, trabalhadores de um hospital público de Fortaleza, CE. Para a coleta de dados utilizou-se um formulário, contemplando variáveis sociodemográficas e relativas aos fatores de risco para diabetes tipo 2. Verificou-se que 40,5% eram trabalhadores de enfermagem, 63,9% mulheres, 68,6% tinham menos de 35 anos, 49,5% tinham escolaridade equivalente ao ensino médio e 51,9% não possuía vínculo matrimonial, ou união estável. A comparação da prevalência dos fatores de risco nas diferentes ocupações foi significante (p<0,05) para os seguintes fatores: obesidade abdominal, relação cintura/quadril aumentada, sedentarismo, tabagismo e HDL-colesterol <35mg/dl, sendo que os trabalhadores de enfermagem apresentaram maior prevalência para 3 desses fatores. Conclui-se que os trabalhadores de enfermagem apresentaram maior risco para desenvolver diabetes mellitus que os demais profissionais de saúde.

Perfil da população atendida em uma unidade de emergência referenciada

Profile of the Population Cared for in a Referral Emergency Unit

Gabriella Novelli Oliveira; Michele de Freitas Neves Silva; Izilda Esmenia Muglia Araujo; Marco Antonio Carvalho-Filho

O conhecimento das características da população que frequenta um serviço de emergência constitui ferramenta de planejamento de ações em saúde. O objetivo deste estudo foi identificar o perfil sociodemográfico e as principais queixas da população adulta, atendida na unidade de emergência referenciada (UER). O método usado foi o descritivo/retrospectivo, desenvolvido na UER de um hospital de ensino no interior do Estado de São Paulo. A amostra ficou constituída pelos boletins de atendimento (BAU), referentes ao período de janeiro a dezembro/2008. O instrumento utilizado foi estruturado com base nos dados do BAU.. Os resultados mostraram que a procura espontânea foi feita por mulheres jovens (14 aos 54 anos) dos bairros próximos à UER, durante a semana e no horário das sete às dezenove horas. As queixas mais frequentes foram: cefaleia, lombalgia, dores (abdominal, torácica). Conclui-se que o perfil da amostra foi, na maioria, composta por adulto jovem, idade produtiva, sexo feminino, demanda espontânea e no período diurno em dias úteis. Os atendimentos apontaram para queixas de baixa complexidade.

Faturamento de procedimentos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva

Billing of nursing procedures at an intensive care unit

Raquel Silva Bicalho Zunta; Valéria Castilho

Os objetivos deste estudo foram: estimar o faturamento gerado pelos procedimentos de enfermagem, em uma unidade de terapia intensiva (UTI), e calcular a porcentagem do faturamento gerado pela enfermagem em relação ao faturamento total da UTI. Trata-se de pesquisa exploratório-descritiva, documental, com abordagem quantitativa. Foi realizada em uma UTI geral, de um hospital privado, na cidade de São Paulo. A amostra foi de 159 pacientes. Os procedimentos realizados pela enfermagem foram responsáveis por 15,1% do faturamento total da UTI, sendo, em média, 11,3% oriundo do faturamento da prescrição de enfermagem e 3,8% da prescrição médica. Demonstrar o quanto a enfermagem contribui para o faturamento dos hospitais é informação essencial para os gestores de enfermagem, pois é argumento importante para a obtenção de recursos e garantia de cuidado seguro.

Perfil clínico e diagnósticos de enfermagem de pacientes em risco para úlcera por pressão

Clinical profile and nursing diagnosis of patients at risk of pressure ulcers

Amália de Fátima Lucena; Cássia Teixeira dos Santos; Ana Gabriela da Silva Pereira; Miriam de Abreu Almeida; Vera Lucia Mendes Dias; Melina Adriana Friedrich

Estudo transversal, cujos objetivos foram caracterizar os pacientes em risco para úlcera por pressão (UP) e identificar os seus diagnósticos de enfermagem (DEs). A amostra consistiu de 219 hospitalizações de pacientes adultos em risco para UP, determinado pela escala de Braden. Os dados foram coletados, retrospectivamente, em registros da escala de Braden e em prontuário eletrônico e, após, analisados estatisticamente. A maioria dos pacientes era de mulheres, idosos, com tempo de internação mediano de nove dias e portadores de doenças cerebrovasculares, pulmonares, cardiovasculares, metabólicas e neoplásicas. Os DEs mais frequentes foram risco para infecção, síndrome do déficit no autocuidado, déficit no autocuidado: banho/higiene, mobilidade física prejudicada, nutrição desequilibrada: menos do que as necessidades corporais, padrão respiratório ineficaz, integridade tissular prejudicada, dor aguda, alteração na eliminação urinária, integridade da pele prejudicada, risco para prejuízo da integridade da pele. Conclui-se que esses DEs, na maioria, são comuns à prática clínica de enfermagem.

Liderança do enfermeiro: uma revisão integrativa da literatura

Leadership of the nurse: an integrative literature review

Gabriela Marcellino de Melo Lanzoni; Betina Hörner Schlindwein Meirelles

Trata-se de revisão integrativa da literatura, que buscou evidenciar e discutir as principais características do conceito de liderança e do enfermeiro líder, bem como suas contribuições para a prática em enfermagem e saúde, a partir de publicações científicas de enfermagem indexadas na base de dados Medical Literature and Retrivial System on Line (MEDLINE), entre 1998 e 2008. Seguindo os critérios de inclusão, totalizaram-se 36 estudos selecionados para análise, dos quais 89% (33 artigos) foram publicados em periódicos estrangeiros e 11% (3) publicados em periódicos nacionais. Os perfis de enfermeiros líderes encontrados foram o autoritário e o autêntico, sendo a liderança evidenciada como ferramenta organizacional que articula comunicação, relações interpessoais, planejamento, o compromisso com o êxito e a resolutividade de conflitos. A educação apresenta-se como fundamental para a formação de líderes, relacionando diretamente a valorização da titulação acadêmica ao aperfeiçoamento dessa competência.

Fatores biopsicossociais que interferem na reabilitação de vítimas de queimaduras: revisão integrativa da literatura

Biopsychosocial factors that interfere in the rehabilitation of burn victims: integrative literature review

Natália Gonçalves; Maria Elena Echevarría-Guanilo; Fernanda de Loureiro de Carvalho; Adriana Inocenti Miasso; Lidia Aparecida Rossi

Este estudo teve como objetivo identificar os fatores biopsicossociais que influenciam a reabilitação de vítimas de queimadura, por meio de revisão integrativa de literatura, no período de janeiro de 1987 a janeiro de 2007. A partir da busca dos artigos nas bases de dados SciELO, PubMed e LILACS, obtiveram-se 982 artigos, dos quais 45 foram selecionados. A maior parte dos estudos era do tipo descritivo e qualitativo. Os fatores mais frequentemente associados ao processo de reabilitação foram: estado de saúde mental prévio ao acidente, estratégias de enfrentamento e apoio da família, além da gravidade da queimadura e da superfície corporal queimada. A qualidade dos estudos, na maioria classificados com nível de evidência VI, chama a atenção para a escassa produção de evidências fortes nessa área do conhecimento, necessitando maiores investimentos, considerando-se as importantes implicações das sequelas da queimadura na reintegração social dessas pessoas.

Experiências de famílias na imunização de crianças brasileiras menores de dois anos

Experiences of families in the immunization of Brazilian children under two years old

Glória Lúcia Alves Figueiredo; Juliana Coelho Pina; Vera Lúcia Pamplona Tonete; Regina Aparecida Garcia de Lima; Débora Falleiros de Mello

O objetivo foi descrever as experiências de famílias sobre imunização de crianças menores de dois anos. É estudo de natureza descritiva, com análise qualitativa dos dados, entrevistas não estruturadas com 22 sujeitos. Os resultados foram agrupados em: conhecimentos práticos sobre imunização, responsabilidade e obrigatoriedade na imunização e ampliação da prática de imunização. Foram destacados elementos que fortalecem a imunização: experiência e realização pessoal no papel de ser mãe, temor de adoecimento, reconhecimento como um bom cuidado, acesso, flexibilidade do horário, divulgação, cartão de vacinas, campanhas de vacinação e disponibilidade de vacinas, e elementos da não imunização: inexperiência dos pais, recusa de aplicações simultâneas de vacinas, assistência fragmentada, ausência de diálogo, discriminação, falsas contraindicações e obrigatoriedade. A imunização centrada no cumprimento do calendário vacinal, ou em situações autoritárias, está descolada do cuidado familiar. O vínculo com as famílias precisa ser fortalecido para ampliação da adesão às medidas de proteção e promoção da saúde da criança.

Satisfação dos usuários no programa de controle da tuberculose de um município do Rio de Janeiro, Brasil

User satisfaction in the tuberculosis control program in a city in Rio de Janeiro, Brazil

Rute dos Santos Lafaiete; Maria Catarina salvador da Motta; Tereza Cristina Scatena Villa

Uma das formas de se avaliar serviços de saúde é através da satisfação dos usuários. O objetivo do estudo foi avaliar a satisfação dos usuários do Programa de Controle da Tuberculose de uma unidade básica de saúde, em Itaboraí, RJ, já que usuários satisfeitos com os serviços tendem a aderir à terapêutica, e, relacionado à tuberculose, a adesão é fundamental para o sucesso do tratamento. Realizou-se estudo descritivo, quantitativo, de dezembro/2008 a fevereiro/2009, com 88 indivíduos, selecionados de forma não probabilística, usando-se questionário validado e adaptado para satisfação do indivíduo com tuberculose. O estudo teve como resultados altas taxas de satisfação. Essas avaliações positivas podem ser explicadas pelo doente estar inserido no programa de tuberculose e ser acompanhado por equipe de saúde com a qual ele estabelece vínculo e apoio à adesão, durante o tratamento. Estudos com abordagem qualitativa poderiam ampliar a compreensão sobre a satisfação, complementando a pesquisa realizada.

Representações sociais da AIDS para pessoas que vivem com HIV e suas interfaces cotidianas

Social representations of AIDS and their quotidian interfaces for people living with HIV

Antonio Marcos Tosoli Gomes; Érika Machado Pinto Silva; Denize Cristina de Oliveira

Trata-se de estudo qualitativo descritivo, norteado pela teoria das representações sociais. Objetivou-se descrever o conteúdo das representações sociais acerca da síndrome de imunodeficiência adquirida (AIDS) para os usuários soropositivos, em acompanhamento ambulatorial da rede pública de saúde, e analisar a interface das representações sociais da AIDS com o cotidiano dos indivíduos que vivem com o vírus da imunodeficiência humana (HIV), especialmente no processo de adesão ao tratamento. Realizaram-se entrevistas com 30 indivíduos soropositivos. Utilizou-se a técnica de análise de conteúdo manual. Da análise, emergiram seis categorias que retraduziram o cotidiano de soropositivos, permeados pelo estigma, preconceito, luta pela vida e a necessidade do uso contínuo de antirretrovirais. A AIDS foi assimilada a doenças crônicas como diabetes, evidenciando tendência para transformação da representação social da AIDS, substituindo a ideia de morte, por vida. Conclui-se que as pessoas que convivem com HIV estão mais otimistas devido aos tratamentos eficazes no controle da doença.

Condições de limpeza de superfícies próximas ao paciente, em uma unidade de terapia intensiva

Condition of cleanliness of surfaces close to patients in an intensive care unit

Adriano Menis Ferreira; Denise de Andrade; Marcelo Alessandro Rigotti; Maria Verônica Ferrareze Ferreira

A limpeza das superfícies é reconhecidamente medida de controle da disseminação de microrganismos no ambiente hospitalar. Este estudo prospectivo, realizado em uma unidade de terapia intensiva, durante 14 dias, teve como objetivo descrever as condições de limpeza/desinfecção de quatro superfícies próximas do paciente. Cem avaliações das superfícies foram realizadas após o processo de limpeza. Utilizaram-se três métodos para avaliar a limpeza: inspeção visual, adenosina trifosfato (ATP) bioluminescência e presença de Staphylococcus aureus/MSRA. Respectivamente, 20, 80 e 16% das avaliações pelos métodos visual, ATP e presença de Staphylococcus aureus/MSRA foram consideradas reprovadas. Houve diferenças estatisticamente significantes (p<0,05) entre as taxas de reprovação da limpeza utilizando os métodos ATP, comparado ao visual e microbiológico. A inspeção visual não se mostrou medida confiável para avaliar a limpeza das superfícies. Os resultados demonstram que a rotina de limpeza adotada precisa ser revista.

O enfermeiro e as práticas de cuidados coletivos na estratégia saúde da família

Nurses and the collective care practices within the family health strategy: salud de la familia

Cinira Magali Fortuna; Silvia Matumoto; Maria José Bistafa Pereira; Silvana Martins Mishima; Lauren Suemi Kawata; Celiane Camargo-Borges

Essa pesquisa qualitativa teve como objetivo identificar e analisar as práticas de cuidados coletivos do enfermeiro na estratégia saúde da família e seus conhecimentos estruturantes. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com enfermeiros da estratégia saúde da família e análise temática para tratamento dos dados. O referencial teórico metodológico baseou-se na análise institucional e no processo de trabalho. Os resultados estão dispostos em dois grandes temas: concepções que sustentam as práticas coletivas e práticas dos enfermeiros nos cuidados coletivos. Conclui-se que há participação ativa do trabalhador enfermeiro tanto na proposição como na coordenação, execução e acompanhamento dessas ações, mas ainda norteado, predominantemente, por saberes tradicionais da saúde e da educação.

Da onipotência ao desgaste: as perspectivas do adolescente em quimioterapia

From omnipotence to exhaustion: the perspectives of adolescents in drug therapy

Mariela Santos Lombardo; Regina Célia Popim; Antonia Leonilda Suman

Este estudo teve como objetivo compreender o significado do tratamento quimioterápico para o adolescente acometido pelo câncer. Trata-se de pesquisa de natureza qualitativa, com referencial fenomenológico social de Alfred Schütz. Foram entrevistados sete adolescentes. Da análise dos discursos, emergiram quatro temas: impacto da doença em sua vida, o desconforto do tratamento, estratégias de enfrentamento e projeção para o futuro sem a doença. A fala dos adolescentes revelou que a experiência com o tratamento quimioterápico afeta as várias possibilidades do ser-no-mundo-com-os-outros. A equipe que cuida é parte fundamental na vida desses adolescentes, cuja relação ultrapassa o científico.

Enfermagem e sexualidade: revisão integrativa de artigos publicados na Revista Latino-Americana de Enfermagem e na Revista Brasileira de Enfermagem

Nursing and sexuality: integrative review of papers published by the Latin-American Journal of Nursing and Brazilian Journal of Nursing

Lucia Helena Rodrigues Costa; Edméia Coelho de Almeida Coelho

Esta pesquisa partiu do pressuposto de que os estudos sobre sexualidade, realizados pela Enfermagem, apresentam mudanças e ampliam o olhar sobre a realidade ao incluir gênero e direitos sexuais, embora permaneça forte tendência para a vinculação da sexualidade aos seus aspectos biológicos. O objetivo do estudo foi identificar o estado da arte das publicações sobre sexualidade em dois periódicos de circulação internacional: Revista Latino-Americana de Enfermagem/RLAE e Revista Brasileira de Enfermagem/REBEn. As fontes foram artigos publicados em ambos os periódicos, no período de dez anos (1998 a 2007). Em um universo de 1894 resumos consultados, foram identificados 29 que traziam no título, palavras-chave, ou resumo a palavra sexualidade. Os resultados confirmam o pressuposto do estudo, demonstrando que a produção sobre sexualidade pela Enfermagem, divulgada nesses dois periódicos, ao mesmo tempo em que amplia a compreensão sobre a temática ao incorporar categorias, como gênero, mantém vinculação excessiva da sexualidade aos seus aspectos biológicos.

Estresse laboral e capacidade para o trabalho de enfermeiros de um grupo hospitalar

Occupational stress and work capacity of nurses of a hospital group

Christian Negeliskii; Liana Lautert

Este estudo teve como objetivo avaliar a relação entre o estresse laboral e o índice de capacidade para o trabalho, de 368 enfermeiros (82,1% da população) de um grupo hospitalar. Utilizou-se um questionário com questões sócio-ocupacionais e duas escalas: a Job Stress Scale e o índice de capacidade para o trabalho. O grupo de enfermeiros era predominantemente feminino (93,2%), trabalhando em atividades assistenciais (63,9%), possuía pelo menos um curso de pós-graduação (76%) e satisfeito com a unidade onde trabalhava (70,5%). O estresse laboral está presente em 23,6% dos enfermeiros, e, desses, 15,2% apresentam alta exigência no trabalho e 8,4% trabalho passivo. O apoio social exerce influência positiva significativa sobre todos os grupos - expostos e não expostos ao estresse laboral. Quanto à capacidade para o trabalho, essa é moderada (28-36 pontos) para 51,4% dos enfermeiros e boa (37-43 pontos) para 47,4%. Não há correlação entre o estresse e a capacidade para o trabalho.

Cuidando da criança com câncer: avaliação da sobrecarga e qualidade de vida dos cuidadores

Taking care of children with cancer: evaluation of the caregivers' burden and quality of life

Elizete Aparecida Rubira do Espírito Santo; Maria Aparecida Munhoz Gaíva; Mariano Martinez Espinosa; Dulce Aparecida Barbosa; Angélica Gonçalves Silva Belasco

Câncer é doença de alta incidência entre crianças, e os portadores necessitam de cuidador durante o tratamento. O objetivo deste estudo foi avaliar a sobrecarga de cuidado e qualidade de vida (QV) dos cuidadores de crianças/adolescentes, portadoras de câncer, durante o tratamento quimioterápico, e relacioná-las entre si e aos dados sociodemográficos, e a presença e grau de sinais de depressão. Trata-se de estudo transversal, com 32 cuidadores. Coletados dados sociodemográficos, sobrecarga de cuidado (caregiver burden scale) e de QV, através do SF-36. Os resultados mostraram que 87,5% dos cuidadores eram mães, idade média de 35 anos, escore geral de sobrecarga 1,92±0,09 e escores do SF-36 mais comprometidos: aspectos emocionais (59,3), vitalidade (60,0) e dor (60,9). Houve correlação significativa entre sobrecarga, saúde mental e vitalidade. Conclui-se que os cuidadores apresentaram sobrecarga de cuidado e aspectos de QV comprometidos e, possivelmente, necessitam de intervenções que promovam bem-estar físico, social e emocional, para diminuir a sobrecarga, melhorar a QV e, consequentemente, prestar melhor assistência.

Prazer e sofrimento em trabalhadores de enfermagem de Unidade de Terapia Intensiva

Pleasure and suffering in intensive care unit nursing staff

Helena Eri Shimizu; Djalma Ticiani Couto; Edgar Merchan-Hamann

O objetivo do estudo foi analisar os fatores causadores de prazer e sofrimento em trabalhadores de enfermagem que atuam em unidade de terapia intensiva (UTI) e comparar a ocorrência desses fatores, no início e no final da carreira. Este é um estudo descritivo transversal, realizado com 26 enfermeiros e 96 técnicos de enfermagem. Utilizou-se a escala de prazer e sofrimento, validada previamente. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva, com software SPSS12.0, e, para avaliar a presença desses fatores, no início e no final da carreira, o teste de Kruskal Wallis. Constatou-se que, tanto para enfermeiros como para os técnicos de enfermagem, os fatores que contribuem para os sentimentos de prazer, realização profissional e liberdade de expressão e os fatores que causam sofrimento, esgotamento profissional e falta de reconhecimento se encontram em níveis críticos.

Prevalência de doenças sexualmente transmissíveis em mulheres profissionais do sexo, em um município do interior paulista, Brasil

Prevalence of sexually transmitted diseases in female sex workers in a city in the interior of São Paulo, Brazil

Maíra Rodrigues Baldin-Dal Pogetto; Márcia Guimarães Silva; Cristina Maria Garcia de Lima Parada

Mudanças no perfil das doenças sexualmente transmissíveis têm ampliado a necessidade de seu rastreamento, especialmente onde existe concentração de pessoas ou grupos com comportamentos de risco, para que o diagnóstico e tratamento imediato se traduzam na redução dos problemas causados. Objetivou-se identificar a prevalência de doença sexualmente transmissível entre mulheres profissionais do sexo, de município de médio porte do interior paulista. Este estudo de prevalência populacional foi realizado no ano 2008 com 102 profissionais do sexo. A prevalência geral de doença sexualmente transmissível foi 71,6%. Considerados isoladamente e em associação, os maiores valores encontrados foram: HPV (67,7%) e infecção clamidiana (20,5%). A tipagem do HPV evidenciou genótipos oncogênicos. A prevalência de sífilis foi de 4,0% e de tricomoníase 3,0%. Nenhum caso de hepatite B ou gonorreia foi identificado. Conclui-se que a prevalência de doença sexualmente transmissível foi elevada, pois, aproximadamente dois terços das mulheres, apresentavam alguma doença assim classificada.

Volume de líquidos excessivo: validação clínica em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada

Excess fluid volume: clinical validation in patients with decompensated heart failure

Quenia Camille Soares Martins; Graziella Badin Aliti; Joelza Chisté Linhares; Eneida Rejane Rabelo

Estudo transversal que teve como objetivo validar clinicamente as características definidoras do diagnóstico de enfermagem volume de líquidos excessivo, em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada. Para a validação, utilizou-se o modelo de Fehring. Participaram 32 pacientes de um hospital universitário do Rio Grande do Sul. A média de idade foi de 60,5±14,3 anos. As características definidoras maiores com taxa de fidedignidade(R): R =0,80 foram: dispneia, ortopneia, edema, refluxo hepatojugular positivo, dispneia paroxística noturna, congestão pulmonar e pressão venosa central elevada; e menores, ou secundárias, R >0,50 a 0,79: ganho de peso, hepatomegalia, distenção da veia jugular, crepitações, oligúria, hematócrito e hemoglobina diminuídos. Demonstrou-se, neste estudo, que as características definidoras com R >0,50 e 1 foram validadas para o diagnóstico volume de líquidos excessivo na amostra em estudo.

Violência de gênero: concepções de profissionais das equipes de saúde da família

Gender-based violence: conceptions of professionals on the family health strategy's teams

Neusa Maria Franzoi; Rosa Maria Godoy Serpa da Fonseca; Rebeca Nunes Guedes

Este artigo é resultante de pesquisa junto a profissionais das equipes do Programa de Saúde da Família (PSF), do município de Araraquara, SP, e teve como objetivo conhecer e analisar, à luz de gênero, as concepções de profissionais das equipes de saúde da família desse município em relação à mulher, ao homem e à violência de gênero. O referencial teórico-metodológico foi constituído pelo gênero e violência de gênero, como construtos sociais norteadores das práticas em saúde. Os dados empíricos foram obtidos em oficinas de trabalho e submetidos à análise de conteúdo. Constatou-se a coexistência de concepções críticas, potencialmente transformadoras, com outras conservadoras e reprodutoras da ideologia hegemônica da dominação masculina. Tais resultados confirmam a necessidade de ampliar a qualificação profissional no sentido de capacitar os trabalhadores para lidar com o fenômeno da violência de gênero, comum no cotidiano da vida das mulheres que buscam os serviços de saúde.

Medidas utilizadas na prevenção de infecções em transplante de células-tronco hematopoéticas: evidências para a prática

Infection prevention measures used in hematopoietic stem cell transplantation: evidences for practice

Livia Maria Garbin; Renata Cristina de Campos Pereira Silveira; Fernanda Titareli Merízio Martins Braga; Emilia Campos de Carvalho

Esta revisão integrativa teve como objetivo identificar e avaliar as evidências disponíveis em relação ao uso de filtros de ar de alta eficiência, isolamento protetor e máscaras para a prevenção de infecção em pacientes submetidos ao transplante de células-tronco hematopoéticas, durante a internação. Para a seleção dos artigos foram utilizadas as bases de dados LILACS, PubMed, CINAHL, EMBASE e a Biblioteca Cochrane. Das 1023 publicações identificadas, 15 foram incluídas na amostra. O uso dos filtros HEPA é recomendado para pacientes submetidos ao transplante alogênico, durante o período de neutropenia. O nível das evidências do isolamento protetor é fraco (VI) e os estudos avaliados não recomendam o seu uso. Não foram avaliados estudos com evidências fortes (I e II) que justifiquem o uso de máscaras, sendo indicado que sejam seguidas as recomendações dos Centers for Disease Control and Prevention quanto ao uso de respiradores especiais pelos pacientes imunocomprometidos. Os dados evidenciados podem auxiliar na tomada de decisão para a assistência de enfermagem.

Educação em saúde: análise do ensino na graduação em enfermagem

Health education: analysis of its teaching in undergraduate nursing courses

Alva Helena de Almeida; Cássia Baldini Soares

Na perspectiva da saúde coletiva, objetivou-se analisar como se processa, na contemporaneidade, o ensino de educação em saúde em cursos de graduação em Enfermagem. As instituições de ensino foram selecionadas de maneira a representar o setor público e o privado. Os sujeitos, docentes responsáveis pelo desenvolvimento da temática, foram identificados a partir da indicação dos coordenadores dos cursos. Desenvolveu-se pesquisa de caráter exploratório-descritivo-analítico, com abordagem qualitativa, que se utilizou de análise documental, de entrevista semiestruturada, com base em roteiro, cuja análise seguiu os passos da análise de conteúdo e identificação de núcleos temáticos. Os resultados evidenciaram que o ensino desenvolvido permanece majoritariamente vinculado ao modelo biomédico preventivo, e que as concepções de educação crítica e as práticas educativas ?populares? são escassas, devido à deficitária formação política dos docentes e, mais amplamente, como consequência do enfrentamento de contexto acadêmico de implementação do ideário neoliberal.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3451, +55 (16) 3315-4407
E-mail: rlae@eerp.usp.br